O amor de Alê e Murillo é contagiante. Os noivos fizeram questão de colocá-lo em cada detalhe de seu casamento boho chic. A decoração escolhida pelo casal, assinada por Viviane Grätz, combina com a forma com que os dois queriam a cerimônia: aconchegante, rústica, lúdica e colorida.

 

Alê e Murillo adoram estar com a natureza e faziam questão deste elemento no dia do casamento deles. Aproveitaram para fazer uma cerimônia à tarde que valorizasse a luz do dia no Alto da Boa Vista. Envoltos por muito verde e cores naturais, o casal celebrou essa união com muita felicidade e emoção.

Os lindíssimos votos dos noivos você já viu no Instagram do CaseMe e hoje Alê e Murillo contam a história dos bastidores desta cerimônia. Leia o relato completo!

 
Os Casamentos Reais publicados no CaseMe são escritos diretamente pelas noivas ou noivos. Nossa proposta é uma troca real de experiências, sejam boas ou ruins, que ajudem outras noivas que ainda estão no processo, com foco e inspiração!

 

Noivos: 

Alexandre Schueda – Relações Públicas.

Murillo Barbosa Vianna Neto – Engenheiro de produção.

Local: Casa Jardins do Alto (Rio de Janeiro – Alto da Boa Vista)

Data: 21 / 04 / 2018 

 

◊ ANTES DO CASAMENTO

 

 

História do casal:

 

Nos conhecemos virtualmente, e depois de alguns dias de conversa marcamos o primeiro encontro em um restaurante japonês do Leblon, no Rio de Janeiro (nov/2013). A partir daquele jantar, não desgrudamos mais um do outro. Gostamos muito de curtir os amigos, jantares e encontros em casa e viagens para aproveitar a natureza. Depois de 2 anos de namoro nos mudamos para São Paulo e começamos a morar juntos (jan/2016). E deu tudo muito certo! Depois de 8 meses morando juntos o Murillo fez o pedido de casamento e em novembro de 2016 nós começamos a organizar a grande comemoração!

 
O pedido de casamento:

 

O pedido de casamento foi na Pousada Vila Naia, em Ponta do Corumbal, no sul da Bahia. Depois de uma primeira viagem, em 2015, nós simplesmente nos apaixonamos pelo lugar. O pedido tinha que ser lá. Em agosto de 2016 resolvemos voltar para uns dias de descanso. Eu, Murillo, resolvi aproveitar a viagem e preparar um belo pedido de casamento. A ideia inicial era fazer o pedido naquela praia (deserta) no por do sol, mas por causa da maré alta, o pessoal da pousada, que fez toda a montagem, disse que não seria possível naquele horário. Então combinamos de montar tudo para um pedido à noite. Eles colocaram uma tenda na praia, com canga, espumante, comidinhas, almofadas, iluminação de velas e também uma fogueira lindíssima – eles super capricharam na produção, como sempre o fazem em tudo. Do nosso quarto até a praia fizemos um caminho de tochas, pois lá é breu total à noite. E isso tudo sem o Ale suspeitar de nada.

Chegando o momento, mostrei para o Ale o clarão que estava na praia e para irmos lá ver do que se tratava. Chegando lá nos deparamos com aquele cenário incrível e o Ale super feliz achando que aquilo tudo era um mimo do hotel. Daí eu ajoelhei na areia, e fiz o pedido…

A aliança de noivado foi da Tiffany, modelo Milgrain platina com um brilhante, uma das poucas lojas em que consegui achar um anel solitário modelo masculino – esse mercado ainda está muito mal explorado pelas joalherias. Levei o pedido por escrito (esse tipo de coisa não se faz no improviso)  e depois apresentei o anel na sua caixa preta (não na tradicional azul). A resposta a gente já sabe rs

 

◊ O CASAMENTO

 

 
Os preparativos:

 

Marcamos a data com cerca de 18 meses de antecedência. Queríamos tempo para organizar e também não fazer no verão do Rio de Janeiro. Quando decidimos fazer uma festa, primeiro falamos com amigos recém casados que conseguiram nos passar vários orçamentos e tomadas de preço de casamentos reais e recentes. E também conversamos com eles sobre primeiros passos importantes, como por onde começar, quem são os fornecedores-chave (aqueles que são personalíssimos e só realizam um casamento por final de semana) e etc. Começamos visitando lugares e pesquisando os principais fornecedores (local, decor, cerimonial, DJ,…) nos sites de casamento também e com base nas planilhas que tínhamos recebido.

Quando estávamos com uma ideia melhor desse mercado, optamos por escolher uma cerimonialista que nos ajudasse desde a primeira decisão (inclusive lugar). Ja tínhamos visto o trabalho da Viviane Gratz na decoração e nos apaixonamos – depois de conversar com ela e outros cerimoniais, optamos pela Vivi, com cerimonial completo e decoração.

A contratação do cerimonial foi essencial para nos dar um norte e nos ajudar a navegar pelo universo que é o mundo dos casamentos. Ouvimos muito a Vivi mas também importante sempre fazermos o nosso dever de casa. O cerimonial ajudou muito filtrando os fornecedores dentro do budget e para o nosso formato de casamento. O cerimonial também já solicitava um orçamento inicial que fosse dentro do nosso budget e nos enviava. Pegávamos opiniões de amigos e conversamos com todos os parceiros indicados que estavam dentro do que queríamos, negociamos cada contrato pessoalmente (importante isso), principalmente os maiores. Também sempre consultávamos a Vivi antes de fechar qualquer coisa, o que foi fundamental para prever nos contratos pontos (principalmente logísticos)  que os noivos ás vezes nem sabem que importam.

De maneira geral a organização e preparação de toda a festa foi uma experiência incrível e muito prazerosa. Eu e Ale gostamos e queríamos nos envolver com o projeto todo, então tínhamos que faze-lo com pessoas que existisse uma grande empatia. Nós fizemos questão de conhecer ao vivo cada fornecedor, e de fazer de cada momento uma diversão, principalmente as degustações! Também escolhemos parceiros dos quais tínhamos admiração pelo trabalho e deixamos que eles voassem na criatividade deles dentro da nossa proposta de casamento. Super importante se ter afinidade com o parceiro escolhido, a relação tem que ser de confiança e carinho, só assim o trabalho sai tão incrível.

 

Traje dos noivos:

 

Cada um escolheu o seu. Mas dávamos dicas um para o outro de mais ou menos como seria para termos certeza de que estávamos indo para a mesma festa de casamento.

 

 

Acessórios:

 

Cada um montou seu look. Olhamos referências no Pinterest. O Ale já tinha uma idéia bem nítida dos tipos de acessórios queria desde o inicio e montou o terno em torno disso. O Murillo escolheu o terno e depois foi combinando os acessórios.

 

Making of

 

Murillo: Eu queria passar meu dia do noivo em uma suite grande de hotel com os meus padrinhos. Não queria uma festa, queria que fosse bem relax, um chill lounge. Peguei a penthouse no Gran Hyatt e meu dia do noivo começou com um café da manhã reforçado seguido de uma sessão de massagem e relaxamento. Por volta de meio-dia estava no quarto e os meus padrinhos chegaram para almoçarmos tranquilos e nos vestirmos juntos. Estava zero nervoso, na verdade estava em um estado de leveza e muita felicidade. É muito amor que você já começa a receber desde antes da festa. E eu também estava no modo zero-stress, nada podia me abalar. Foi muito bom e importante para eu ter tanta energia na pista de dança! Eu e Ale nos despedimos na 5a-feira à noite antes do jantar e só nos vimos no altar!

 

Ale: Eu queria passar o dia junto com a minha mãe, minha avó e madrinhas. Todas amigas de longa data que sempre torceram pelo meu sonho de me casar. Queria acompanhar os preparativos delas e que elas estivessem comigo nas últimas horas de solteiro (nada mais justo). Não idealizei um lugar, apenas o momento ao lado delas, mas sempre gostei muito da ideia de me arrumar no mesmo local da festa para curtir cada detalhe e tb acompanhar (de longe) os preparativos. E assim aconteceu. Eu não estava nervoso, mas muito emocionado. Cheguei às 9h da manhã no local da festa e as madrinhas já estavam lá me esperando. Ninguém conseguiu segurar a emoção. Às 14h a Vivi (decoradora e cerimonial) me deixou descer para ver como tudo tinha ficado. Pude ver todos os detalhes e me emocionar com cada um deles ao lado das pessoas que mais amo no mundo. Foi incrível!

 

Cerimônia:

 

Depois de definirmos por uma festa grande, escolhemos a cidade do Rio de Janeiro com base na maior quantidade de convidados, e também por ter sido lá aonde nos conhecemos e namoramos muitos anos.

Queríamos um lugar que fosse logisticamente tranquilo para se chegar depois que o convidado estivesse devidamente instalado no Rio de Janeiro. Nossa lista de convidados que tinha quase 50% de fora do Rio e/ou Brasil, então tentamos facilitar ao máximo para eles (cidade com aeroporto, hotel perto da festa, etc).

Somos apaixonados por natureza e queríamos casar em um jardim muito bonito. Também  queríamos uma casa que tivesse uma identidade própria – e não fosse simplesmente uma caixa branca para a gente pintar como quisesse. Não foi fácil achar o lugar. A combinação “boa logística + boa pista de dança + beleza natural + preço compatível” não é fácil, mas quando visitamos o Jardins do Alto foi amor a primeira vista. O jardim é lindíssimo, com plantas variadas, grandes e bonitas, muito verde e muita cor natural, em uma das mais belas naturezas do Rio de Janeiro, o Alto da Boa Vista. Além disso, a casa é regularmente habitada e apresenta uma identidade fortíssima e de muito bom gosto. Parte do mobiliário e obras de arte – que incluem um piano de cauda, uma tapeçaria de parede e móveis de madeira maciça – não podiam ser removidos para a festa, o que para nós foi musica para os ouvidos! A casa também é bastante repartida com vários salões, o que as vezes é um empecilho para o flow da festa, mas fizemos desse limão uma limonada, com cada ambiente com seu charme especial.

 

Sobre o celebrante, não queríamos que fosse um profissional da área, seja religioso ou não. Queríamos que fossem pessoas que tivessem uma representatividade muito forte nas nossas vidas, que nos conhecessem muito bem, que falassem bem em público e que fossem capazes de entregar essa tarefa. Escolhemos a madrinha de batismo do Murillo, a Judith Ferreira, e a Thaisa Bogoni, amiga de infância do Ale. E foi a escolha perfeita. Elas bolaram todo o roteiro, nos enviaram um questionário confidencial para cada um de nós e só passaram com a gente o roteiro macro para nossa aprovação. Não sabíamos o que elas iam falar no dia, e nem queríamos. Foi o maior presente que recebemos!

 
Música da cerimônia:

 

Queríamos uma formação de banda moderna (tipo jazz). Sem violinos, flautas ou instrumentos muito clássicos. Escolhemos A Banda do Baile! Eles tocaram todas as musicas da cerimonia que escolhemos e depois seguiram aquecendo os convidados com um show estilo “lounge” durante o jantar, antes da abertura da pista. Até hoje os convidados comentam do verdadeiro show que a banda deu!

 

Padrinhos e madrinhas:

 

Foram 25 amigos/familia que organizamos por afinidade e na forma de onze pares e um trio.

Os homens usaram terno cinza, sapato marron, lapela azul escuro, camisa branca e gravata azul marinho.

As mulheres usaram vestido longo/midi na paleta nude/rosa/pastel.

 

Damas e pajens:

 

i) Uma daminha e 3 pajens (com 4, 2, 7 e 9 anos respectivamente), que entraram no cortejo de abertura. Composto por afilhados e filhos de amigos ou primos queridos.

ii) 2 pajens (6 e 9), todos sobrinhos do casal, entraram durante a cerimonia, levando as alianças para os noivos. O planejado eram 3 pajens mas só dois entraram, o mais novinho (1,5 anos) não conseguiu executar a tarefa.

 

Local da festa:

 

Queriamos que a festa e a cerimonia fossem no mesmo lugar.

A gente não conhecia o lugar. Nunca tínhamos ido a uma festa lá. O local super atendeu as expectativas. A Claudia e sua equipe foram impecáveis! Tratamento da melhor qualidade. A casa já vinha com serviço de camareira, segurança, gerador de energia reserva, iluminação de pista e jardim, DJ (que nao usamos) e outros serviços atrelados ao bom funcionamento do local.

 

Decoração:

 

Queriamos natureza e um casamento a tarde. O estilo principal sempre foi boho-chique. Escolhemos pois é o que parece com nossa casa e o estilo que mais nos identificamos. Queriamos uma vibe aconchegante, rústica/orgânica, lúdica e colorida. E sem perder a masculinidade. Eu e o Murillo escolhemos diversas referências juntos e montamos listas no Pinterest. Tivemos uma primeira reunião com a Vivi e passamos a ela nossas referências e acesso às nossas listas no Pinterest. Também nessa primeira reunião conversamos sobre potenciais possibilidades para o flow das pessoas, que experiências elas teriam em cada ambiente da festa, como seriam as melhores disposições dos ambientes da festa, e etc.

 

Meses depois, quando a Vivi mostrou para a gente a primeira versão do projeto vimos que ela acertou na mosca. Da primeira versão do projeto para a versão final, foram pouquissimas as alterações, e as que ocorreram foram principalmente por causa de orçamento.

O resultado final excedeu todas as nossas expectativas! Ficou simplesmente incrivel e uma obra de arte! Apesar de sabermos e termos visto com muito detalhe o projeto, sempre é muito dificil visualisar como tudo vai ficar no grande dia. A gente não conseguia imaginar que o resultado seria daquele jeito, e o que recebemos da Vivi foi exatamente o que a gente queria mais o que a gente nem imaginava que queria. Não mudaríamos nada.

 

 
Bolos e doces:

 

O Bolo

Essa foi a escolha mais facil e uma das mais prazerosas, pois não deu “trabalho” nenhum. Fomos escolher nosso espumante para a festa na Porto DiVino e quando coincidentemte eles também estavam fazendo um mini evento com alguns fornecedores para casamento. E assim conhecemos a Betah! O estilo principal de bolo dela (naked, semi naked, rústico) era exatamente o que queríamos, fizemos a degustação ali na hora e achamos o bolo e os recheios incríveis. Além disso a conexão com a Betah foi imediata, ficamos ali com ela um tempão nos divertindo e dando muita gargalhada. Se fechassemos um pedido de bolo ali na hora, a gente ganhava um desconto. Juntou tudo que a gente precisava para escolher o nosso bolo. Escolhemos na hora. Nunca olhamos nenhum outro fornecedor.  Nosso bolo estava delicioso e foi o bolo mais bonito e original que nós já vimos no estilo semi-naked. Nos trouxe e ainda nos traz lagrimas aos olhos sempre que pensamos nele e na Betah.

 

Doces, Chocolates e Outros

 

A escolha dos fornecedores de doces e chocolates foi feito com base nos fornecedores que já conheciamos e estavam dentro do orçamento. Até testamos 2 fornecedores que vimos pelo instagram e que gostamos do trabalho pelas fotos, mas acabamos não selecionando nenhum doce deles.

Fizemos um fim de semana de degustação de doces e chocolates do Rio de Janeiro e de São Paulo. Escolhemos os doces que gostamos de cada fornecedor e montamos a seleção final com doces e chocolates da Brown-me, Louzieh, Petit Fleur, Fabiana D’angelo, Barriga de Freira e Cacau Noir.

Tambem queríamos na festa os bem-casados da Elvira Bona e bem-casados de brownie com chocolate argentino da Brown-me, que são feitos pelos irmão do Murillo com muito amor e foi um presentasso que ganhamos de casamento! Outra coisa que não podia faltar no casamento eram os cookies da Brown-me que somos simplesmente viciados! Além de deliciosos eles vieram em embalagens individuais com a logo do casal dando mais um charme para a festa.

A mesa de doces ficou impecável! Todos os doces nós já conheciamos e adorávamos. Foi uma mesa bem equilibrada, com doces com frutas, tradicionais, a base de chocolate e um ou outro fora do comum. Não faltou nada. Mas no final todos os doces acabaram.

 

 
Buffet:

 

Como não ficar feliz com a Ecila? Nós saímos em busca de um buffet e encontramos uma madrinha que vai ficar com a gente para o resto da vida! Os convidados nos enviam mensagens até hoje dizendo que sonharam com o buffet do nosso casamento.

Fizemos um menu com volantes frios e quentes e quatro estações de pratos montados na hora. A Ecila nos apresentou essa proposta de Buffet Contemporâneo, em que os pratos são finalizados e montados para cada convidado ali na hora e adoramos a ideia. Comos pratos principais escolhemos um atum gravlax com abacate (prato de peixe), um picadinho carioca (tradicional), um risotto de camarão com azeite trufado (exotico) e um fetuccini Alfredo (basico e bom). A Ecila também nos serviu as bebidas não alcoolicas e cervejas e nos deu uma mesa lidissima de café com pirulitos de sorvete e hot fudge de chocolate.

Com relação à bebida alcoolica, queríamos espumante, whisky, cerveja e um bar de drinks (gin, vodka, cachaça). Contratamos um a Help Bar para o serviço de bar, compramos o whisky atraves de amigos no free shop e os espumantes compramos na Porto Divino.

Música da festa:

 

Queriamos o melhor DJ. Tinha que ser o Taw. Conversamos com outras indicações mas essa é uma peça tão crucial que dá medo experimentar sem conhecer.

Várias musicas marcaram o casamento, mas acreditamos que “Oração” tenha sido um dos mais marcantes. Foi um momento de muitos amigos se abraçando e muito carinho sendo projetado naquela pista, tendo nós dois, Murillo e Ale, ao centro de tudo.

 

Não tivemos atração. Não queríamos, sempre foi uma premissa. Até recebemos de amigos mais que queridos a oferta de uma atraçaõ incrivel como presente de casamento. Foi dificilimo negar, mas queríamos aproveitar muito a pista e não desfocar o casamento para um show.

 

 
Registros:

 

Para foto escolhemos a Thay Rabello e para o video a AG2. Ambos pela qualidade do trabalho e visão artistica. Foi muito tranquilo passar o dia sendo filmado e fotografado. Ambas equipes nos deixaram muito confortaveis, tirando fotos e filmando mais de longe, não deixando em momento algum que nos sentissemos amultuados. Foram super cuidadosos e estremamente gentis durante todo o dia. Na pista, já os tínhamos como parte da família!

 

Convidados:

 

A festa foi para 270 convidados. Planejamos tudo para 250 , mas com uma gordura. Chamamos 380 pessoas, mas quase metade era de fora da cidade, e varios convidados eram de fora do Brasil. Fizemos RSVP ativo com a equipe da calígrafa dos nossos convites, a Valeria Serejo.

Ficamos muito felizes com a presença de tanta gente de fora do Rio. Além dos amigos e familiares que vieram de todos os cantos do Brasil, tivemos amigos que vieram de todos os cantos do mundo só para festejar com a gente. Isso não tem preço!

Para os noivos de primeira viagem, a dica que damos é: aproveitem ao máximo toda a trajetória da produção do casamento, isso é tão importante quanto  casamento em si. Aproveitem as conversas, aproveitem as pesquisas, troquem ideia e se divirtam muito em cada degustação. Para trabalhar com vocês, escolham profissionais que tenham sintonia com o casal, que entendam o que o casal quer e que respeitem isso. Aposte em fornecedores iniciantes, existe muita gente de qualidade e com muita vontade de fazer um otimo trabalho (e por um preço mais em conta). Ouçam os fornecedores e confiem também no talento deles.

 
Ferramentas:

 

Utilizamos a planilha em excel que nos foi enviada pela nossa cerimonialista, a Vivi Grätz. Foi mais que o suficiente.

 

◊ APÓS O CASAMENTO
 

 

Lua-de-mel:

 

Amsterdam, Grecia (Milos, Santorini e Mykonos) e Paris. Foi incrivel e super recomendamos. Montamos nosso pacote com a SoulTraveler, que já na primeira sugestão de pacote acertaram em cheio. A viagem foi incrível e não nos preocupamos com nada!  A Soultraveler, como sempre, foi nota dez!

 

Presentes:

 

Fizemos lista na Mickey Presentes, FastShop, Trusseau e Cotas de Lua de Mel. Escolhemos presentes que realmente queríamos para precisar trocar o minimo possível. Também achamos importante dar variedades de opções para os nossos convidados.

Lemos cada mensagem e agradecemos cada presente. Achamos super importante isso.

 

Ficha técnica:

 

♦︎ Local: Jardins do Alto

♦︎ Decoração e Cerimonial: Viviane Grätz 

♦︎ Flores: Com que flor eu vou

♦︎ Mobiliário: Ambiente Eventos

♦︎ Tapetes: By Kamy

♦︎ Paisagismo: Horto Art

♦︎ Cenografia: Airton Andrade

♦︎ Objetos decorativos: Depósito de Ideias

♦︎ Objetos decorativos: Essencial etc

♦︎ Iluminação: DJ Andre Garcia

♦︎ Pista de dança: Upperpistas     

♦︎ Toldo: Lonarte

♦︎ Buffet: Ecila Antunes

♦︎ Bar: Help Bar

♦︎ Bebidas: Porto di Vino

♦︎ Fotografia: Thay Rabello Photograph

♦︎ Filme: AG2 Digital

♦︎ DJ: Rastropop     

♦︎ Banda: A Banda Do Baile

♦︎ Bolo: Os Bolos da Betah

♦︎ Bem-casados: Elvira Bona    

♦︎ Doces: Louzieh

♦︎ Doces: Petite Fleur Patisserie  

♦︎ Doces Portugueses: Barriga de Freira | Monica e Naná 

♦︎ Brownies: Brown-Me Brownies  

♦︎ Brigadeiros: Fabiana D’Angelo

♦︎ Chocolates: Cacau Noir

♦︎ Forminhas: Arte em Forminhas

♦︎ Make: Viviana Borlido

 

NEWSLETTER-POST-3-3-750x125

Leia mais:

Bebidas alcoólicas no casamento

Os diferentes tipos de cobertura para bolos

Tendência nos convites de casamento

 

 

Deixar um comentário