O casal carioca Erika e Bruno se conheceram por acaso, de forma super despretensiosa, dentro de um restaurante em pleno pré-carnaval! Isso mostra novamente que o amor pode estar em qualquer lugar, em qualquer hora do dia, em qualquer esquina. E quando aquele encontro marcado pelo destino acontece, duas vidas vão se juntar não importa as circunstâncias: o mundo conspira e une. O final nós já sabemos né? Um lindo casamento!

Noivos : Erika Krause Breyer e Bruno de Araújo Massard

Data: 01/10/2016

◊ ANTES DO CASAMENTO

História do casal contada por ELE:

Prévia do encontro!

Eu solteiro, muito trabalho, recebendo aqui no Brasil o grande amigo Patrick, da Suiça, que veio conhecer um pouquinho de nossa terra, mas especialmente nosso carnaval!!

Domingo, pré-carnaval almoço de família. Conversa vai, conversa vem e a gente no esquenta para o bloco “Chora me Liga” em Copacabana. Quando a sobrinha (E AGORA MADRINHA!!!), de 16 anos, diz que quer ir junto!! Pensei: “Vishiiii, minha sobrinha querendo sair comigo…ok, vamos nessa!”

Chega o bloco, encontro de amigos, colegas de trabalho, muita diversão, muita gente… e então a sobrinha diz “Tio, estou com fome!!! Vamos comer no Devassa!!!” Primeira reação? “Não acredito…! Quem come no carnaval?!?”, mas tudo bem né… “vamos lá!!” Entramos, pegamos a mesa bem na entrada, e já mandei “Amigão, adianta um chopp aí por favor…”.

O Encontro

Quando então, entra uma loira, charmosa, jogando seus cabelos para o lado, tirando seus óculos escuros!!!! Eu: “QUEEEEE ISSSSSOOOOOOO!” Paulinha (a sobrinha): “Para com isso Tio!!! Que vergonha…” À partir dai, olhava, brincava, pedia para tirar o óculos, ela tirava, eu ria, ela ria, mandava bilhetinho sem graça:

E ela riaaaaaa… mas se fazia de difícil!! Até que depois de algum tempo, sentei ao lado dela, e depois de uma bela inspeção (claro, dela, SEMPRE desconfiada!!) no meu Facebook, descobre um amigo em comum: Henrique Sprenger (Olha nosso padrinho aiii!!!). Com muito custo, consegui o telefone, mas depois de tanto jogo duro, malandramente falei: “Ok, Erika, então vou te ligar, para você ter meu numero também!!” Eis que a peça, cai na gargalhada e diz “OK, vou te dar o número certo!!” A partir dai, tentei roubar uma colherada da bela sobremesa dela, mas sem sucesso!! kkkkkkk

A primeira saída

Uma semana depois, sábado de carnaval, eu em casa com meu amigo, afinal, lembrem, ele estava aqui para conhecer o carnaval brasileiro, e domingo, íamos para Salvador, para um bate e volta!

Entro no Facebook, e quem está on-line? Senhorita Erika Breyer. Então… “porque não um jantarzinho?!?” Eis que começa então mais uma longa batalha de convencimento (doce!!!) mas que no final, fomos para o Kotobuki, no Rio Design Barra. Depois de um jantar agradável, ficamos pela primeira vez! 🙂

Pós Primeiro encontro!

Como dito, domingo de carnaval, acordo cedo, vou para Salvador: Casa de amigo –> Bloco –> Casa de Amigo –> Camarote –> Casa de Amigo –> Aeroporto. Quando lá chego, penso “Rapaz, e a Erika???? Vamos falar com ela!!!”

E a partir dai, jantar ajustado!!! Upppsss, mas eu a noite ia para Búzios!! (Sim, no mesmo dia que chegava de Salvador). Então, já sei: “Patrick, você vai para Búzios com meu irmão, eu vou  somente na terça!”. Assim foi feito, saímos, jantamos, bebemos, muito divertido e já era possível ver o encanto nos olhos dela!!!

Então, terça fui para Búzios e passamos o carnaval trocando mensagens. Ela não se aguentava mais de saudades! E claro, eu vendo aquela loira linda, apaixonada não podia decepcionar, certo? Pois bem, voltaria sábado para deixar o Patrick no aeroporto, mas então voltei sexta para vê-la. Assim, saímos sexta, sábado e domingo. Ocorre que terça estava de viagem para um treinamento no Texas, que seria de terça a sexta, quando então, fui para Las Vegas onde ficaria até o outro final de semana.

Que a verdade seja dita: Estávamos encantados! E todo tempo livre, no Whatsapp (e viva a tecnologia!!! – Aliás, deveríamos ter chamado Brian Acton para padrinho!!!) rsrsrs

(Mas claro, sempre na busca de referência ne? Liga para amiga em comum (Dani Sabagh): “Dani… e aiiii?????” Ai que ela reponde “Kika? Kika pode. A Kika eu deixo você namorar!!” Não a toa é nossa madrinha!! srsrsrs

Mas, o amor é lindo! Adiantei meu vôo, para quarta-feira. Ela apaixonada, foi me buscar no aeroporto, saímos para jantar e começamos a namorar.

Dia 27 de fevereiro de 2013. Nunca mais nos desgrudamos. Formalização do compromisso com a mulher da minha vida!

Amor, brincadeiras (e exageros) a parte, quero que saiba que te amo mais que tudo. Que você é a melhor coisa que aconteceu na minha vida! Meu porto seguro!!! Te amo para sempre!!!  MINHA ETERNA NAMORADA!

História do casal contada por ELA (a versão OFICIAL):

Parecia um final de semana comum… porém, um final de semana de pré-carnaval. O clima do Rio de Janeiro colaborava com meu estado de espírito. Sábado, foi a comemoração do aniversário de uma amiga muito especial, no forte de Copacabana… clima fim de tarde, delícia. No dia seguinte, combinei de ir ao bloco “Fogo e Paixão” no centro da cidade. Estava com a minha fiel escudeira, minha irmã e com uma amiga. Bloco excelente, diversão total e muitasssssss risadas. Minha fiel escudeira cansou na largada do bloco e resolveu voltar p casa da nossa avó em Copacabana para me esperar.

De volta do bloco, sugeri à Bia que antes de voltarmos para a Barra que almoçássemos por Copacabana e ela aceitou. Banho tomado, all star nos pés e sem a mínima pretensão, fomos caminhando por Copacabana sem rumo, sem lugar ao certo. Estávamos tão entretidas no assunto banal do dia a dia que fomos andando… passamos por vários bares que tinham lugar para sentar, mas, sem combinarmos, entramos direto no Devassa de Copacabana… Ahhhhh DESTINO, que peça me pregou!!!

Entrei no bar e como estava de óculos escuros, tirei para ver melhor em qual mesa poderíamos sentar… mas a claridade fez com que eu o recolocasse quase que imediatamente. Ao sentar, comento com a Bia o quanto as pessoas tinham perdido o senso, porque só quando sentei percebi que duas mesas à frente um homem havia olhado para mim e a menina que estava com ele havia dado um “tapa” brincando no rosto dele… mal sabia eu que aquele homem mudaria a minha vida e que aquela menina tinha apenas 16 anos e era sua sobrinha.

Sentamos e eu e Bia continuávamos o nosso papo que, hoje, nem lembro mais sobre o que era. De repente aquele homem, de longe, me pediu com gestos que eu retirasse novamente meus óculos… olhei para trás, não imaginei que fosse comigo. Volto meu olhar para ele e ele confirma que é comigo mesmo… rio e, como nunca antes, tirei o óculos e o coloquei imediatamente. Minutos depois, vem um outro homem que também estava na mesa e “tira” do meu cabelo uma flor de guardanapo e coloca um bilhete (que tenho guardado até hoje). Gargalho como nunca, afinal, que cantada mais velha… mas levei super na boa… afinal, estávamos num final de semana de pré–carnaval, clima descontraído… há uma magia no ar.

Mais uns minutos depois, o tal homem que deixou o bilhete, sentou na nossa mesa; depois veio um suíço que também estava na mesa… Bia estava completamente sem saco para eles e eu??? Só gargalhava… e de repente o brasileiro saiu da mesa, e sabe aquele homem que pediu para que eu tirasse os óculos??? Sentou ao meu lado e disse: “eu não vou te encher o saco, só quero seu telefone”. Quem me conhece sabe… quando que eu daria meu telefone assim???? Dei o número… ele não titubeou e pegou o celular para me ligar e eu GARGALHEI!! Tinha dado o número errado… vi pelo Facebook, ali na hora, que tínhamos 2 amigos em comum e só por este motivo, dei meu número e ficamos amigos pelo Facebook.

Eu e Bia fomos embora… durante aquela semana pensei em tirá-lo do face, afinal, qual o intuito de ter alguém que você não conhece??? Não tive tempo para isso… sábado seguinte, após mais um bloquinho, sentei em casa para trabalhar, mas deixei o Facebook aberto… ele veio falar comigo; queria sair para jantar naquele dia. Já havia visto, pelo Facebook, que ele iria no dia seguinte para salvador, Búzios e Las Vegas… uma viagem engatilhada na outra… sugeri que curtíssemos o carnaval e depois sairíamos. Neste dia, fomos ao Japa…

Amor Meu não foi amor à primeira vista, mas foi a primeira vez que senti o que senti… nossa história foi completamente diferente de tudo o que sempre imaginei… você conseguiu fazer com que eu me afastasse dos meus pré-conceitos… não conseguia ficar um minuto longe e, quando estava perto de você, não conseguia ficar longe do toque. Com você, vivencio diariamente o que é o amor, o que é a segurança de um amor verdadeiro, de uma parceria e cumplicidade… você me completa e é com você que eu digo SIM… pra vida toda.

Te Amo pra sempre, da sua eterna namorada.

O pedido de casamento: O Bruno sempre soube da minha paixão pelo Natal. Minha família sempre celebrou muito a data, sempre reunida. Pensando nisso, ele, sem que ninguém soubesse, ninguém mesmo, resolveu me pedir em casamento no dia 24 pra 25 de dezembro de 2014.

Ele já sabia do meu desejo por uma caixinha azul da Tiffany e assim, dia 24 de dezembro, saiu para comprar nosso presente. Desde que nos conhecemos, tínhamos um combinado que após a ceia na casa dele, ele ia para a minha casa para o amigo oculto da família… neste dia… eu já estava soltando os cachorros de tanto que ele demorou. Eu, com cara emburrada no sofá, esperando a “minha peça” chegar. E lá chega ele com umas dez pessoas. Eu que já estava emburrada, fuzilei ele com os olhos; eu só pensava: “Como assim ele chega com tanta gente sem avisar?” Ele me abraçou e só disse: “Amor, relaxa!” Naquele instante, eu imaginei que seria uma noite especial. E realmente foi e, só de lembrar, me emociono… lembrar de um momento único que ele proporcionou não só a mim, mas a minha família… Lembrar da felicidade, das frases, do silêncio do meu pai de emoção e das carinhas da família, me deixa realizada. Naquele momento nós sabíamos que a nossa família estava se iniciando.

◊ O CASAMENTO

Os preparativos: Em janeiro de 2015 começamos os preparativos; iniciamos pela igreja, local e cerimonial. Tiveram momentos estressantes ao longo desses meses no que diz respeito a ver orçamentos, escolher decoração, os detalhes em si. Precisei administrar o trabalho com a organização do casamento; minha mãe e minha irmã foram essenciais para que tudo saísse como queríamos. Tudo foi visto por nós.

O vestido de noiva: A escolha do meu vestido foi bem diferente. Sempre quis casar com o véu da minha mãe, que está casada há 36 anos. Quando fui pegá-lo vi que estava bem amassado e que não daria para utilizá-lo. De brincadeira, experimentei o vestido dela e entrou como uma luva!! Ficou lindo e perfeito. Escolhi a Carol Hungria para reformar o vestido, mas permaneci com a ideia original dele. Ficou perfeito, como imaginei.

Como o vestido tinha muito detalhe e brilho, escolhi uma grinalda simples e o véu Tb, sem informação.

Dica: Se eu pudesse dar uma dica às noivas que estão escolhendo um vestido é que ele tem que seguir a sua personalidade. Quando você entrar na igreja, seus convidados não podem ter a sensação de que você está fantasiada. Se você é clássica, romântica ou seja lá qual for seu estilo, escolha um vestido com a sua cara; esqueça o que os outros gostam! O vestido é seu e de mais ninguém! Se for para surpreender, para ser comentário da noite, que seja pela beleza e não pela falta de dialogo entre o vestido e o seu jeito.

Acessórios: Não abri mão de entrar com o meu anel de noivado, o brinco de brilhante penduradinho e delicado que o Bruno me deu de presente no dia do nosso casamento e um terço (este presente da minha avó para a ocasião). 

Making ofComo nossa festa foi no Sheraton da Niemeyer, passei o dia com meus pais e meus irmãos na suite; foi do jeitinho que sempre imaginei. Curtimos muito esse momento dos 5 juntos. Ao longo do dia, eu estava calma, tranquila, mas muito emocionada. Via meus pais e só agradecia de ter eles ali comigo curtindo e felizes por esse momento.

Antes de começar a me arrumar, por volta do 12h, o Bruno chegou no hotel e nos encontramos no salão da festa para vermos os preparativos, foi a última vez que nos vimos solteiros.

Cerimônia: Vi algumas igrejas no Centro, mas o fato de ter vários casamentos num mesmo dia me desanimava. Sempre gostei muito do Outeiro, sempre achei intimista e charmosa. Acabou que a opção pela igreja se deu por não ter mais de um casamento à noite.

O Celebrante foi escolhido quando fomos fazer a entrevista para casar na igreja. Fizemos na Paroquia do Santo Agostinho na Barra e gostamos do Frei que nos recebeu.

Sem dúvida nenhuma, a hora em que meu pai “me entregou” para o Bruno e se “despediu” de mim foi o ápice – eu tremia dos pés à cabeça.

Padrinhos e madrinhas: Chamamos 5 casais de cada lado. Pedimos que os padrinhos fossem de meio fraque e as madrinhas de longo.

Damas e pajens: A daminha foi uma prima do Bruno e vestiu um vestido escolhido por mim, bem tradicional de daminha. O Pajem foi outro priminho do Bruno que somos fãs de carteirinha pela educação; ele entrou apenas na hora das alianças. O pajem foi Tb de meio fraque.

Local da festa: Escolhemos o Sheraton da Niemeyer por vários motivos: primeiro, porque meus pais passaram a noite de núpcias deles lá há 36 anos atrás; ou seja, temos uma simpatia especial pelo hotel.

Depois, porque quando colocamos o orçamento no papel, saia muito mais em conta, pois o lugar já é lindo e não precisaríamos gastar na decoração para esconder os defeitos do local. O quarto para eu me arrumar e para dormirmos já estava incluído; já havia gerador; ar; não teria dor de cabeça com Buffet; mesas e cadeiras; muito mais prático para a família, que ao acabar a festa, podem ir cada um para o seu quarto.

Escolhemos o salão que tem vista total para a praia e desde o começo a nossa intenção era colocar a pista de dança de “cara” para a vista da praia do Leblon; ficou do jeitinho que queríamos.

Decoração: Tudo quem fez e idealizou fomos nós, com a ajuda da minha mãe e minha irmã. Ficou como queríamos, mas agora que o casamento passou, eu pagaria um decorador. No nosso caso, o valor da decoração estava embutido no cerimonial.

Música da festa: Como eu e Bruno temos a mesma idade e frequentamos os mesmos lugares, W e Prelude, não tínhamos nem que pensar para a escolha do Roger como nosso DJ.

De surpresa, mais uma vez sem que ninguém, ninguém mesmo, soubesse, o Bruno contratou a Mangueira para ir ao nosso casamento. Sempre tive muita vontade de ter a Mangueira no nosso casamento, mas o orçamento já tava ok e não queríamos casar e ficar pagando a vida eterna a festa. Sem dúvida, a entrada da escola de samba, a minha cara sem acreditar, a entrada das mulatas foi marcante.

Não houve uma música que marcou o nosso casamento e sim a animação nossa e dos convidados, a festa acabou como o Roger queria, no ápice, lotada e com a pista bombando!! Foi sem duvida, muito animado.

Buffet: O Buffet foi do local e 100% maravilhoso. Servimos jantar (Buffet), mas infelizmente não comemos nada hahaha Para não dizer que eu não comi nadinha, antes de entrarmos na festa, enquanto eu tirava o véu, o hotel preparou uma salinha com algumas comidas que estavam sendo servidas na festa, mas eu estava tão tão, mas tão nervosa (ainda não acreditava que a noiva era eu), que não conseguia comer. O Bruno e o cerimonial conseguiram fazer eu engolir 3 canapés de salmão defumado que sou louca.

De bebida escolhemos vodka (Absolut), whisky (Black label), espumante (Casa Valduga 25 brut), licor para o café. E no meio da pista de dança o garçom chegou com uma banheirinha de Busca Vida em mini garrafinhas.

Registros: Contratamos a foto e vídeo com o Momento Fotográfico e ficamos radiantes com o tratamento, a simpatia e o resultado do trabalho! O nosso hashtag foi casamentokikaebruno.

Convidados: No primeiro momento, pensamos em 200 pessoas, mas acabou que tivemos que convidar 320 pessoas, mais ou menos. Como muitos convidados eram de fora, acabamos que conseguimos fechar em 200 convidados na festa.

Ficamos bastante felizes com a presença de todos os convidados. Engraçado porque depois você se pega falando de todos os convidados presentes com muito amor e carinho por terem ido; além é claro dos padrinhos e madrinhas que vieram de longe para estarem no altar conosco.

O RSVP ativo foi muito importante para conseguirmos fechar o total na expectativa que tínhamos.

◊ APÓS O CASAMENTO

Lua-de-mel: Fomos para Punta Cana, pois o nosso foco era descansar. Queríamos um lugar que nenhum dos dois conhecesse, e praia. Super recomendo porque o lugar é lindo, mas tem que escolher bem o resort, porque all inclusive nunca é maravilhoso.

E esqueçam essa que em Punta Cana não se põe a mão no bolso. Fizemos 3 passeios alucinantes, vale a pena sair e fazer passeios turísticos na natureza.

Dicas importantes sobre a organização pós casamento + lua-de mel + novo apartamento:  Nós já tínhamos um apartamento para ficar depois de casados que era onde o Bruno morava sozinho, mas por ser pequeno, estamos procurando um maior. Se você tem onde ficar, curta os preparativos do casamento (apesar de eu ter achado chato 😉 ) e depois veja o apartamento, porque é algo mtoooo chato e estressante.

Troca de presentes: Colocamos lista em 4 lojas: Fast Shop, Tutto per La Casa, H Stern home e Trousseau. Ficamos satisfeitos com todas, menos a Trousseau que fomos obrigados a retirar do site. O site da loja é muito bagunçado e a loja não tem total controle sobre vendas e informações para os noivos, chegando ao ponto do convidado receber na própria casa um presente que comprou para nós na nossa lista.

Fora isso, as outras lojas deram show e recebíamos logo o informativo do presente. Todos os presentes foram agradecidos assim que recebíamos os informativos através de whats ou pessoalmento, fizemos questão de dar um ar pessoal e familiar ao agradecimento.

Ainda não trocamos os presentes.

 

Ficha técnica:

✓ Cerimonial e Assessoria – Carine e Gil Cerimonial

✓ Celebrante – Frei Enrique

✓ Local da Cerimônia – Outeiro da Gloria

✓ Local da Festa – Sheraton Niemeyer

✓ Vestido de Noiva, Véu e Grinalda – Carol Hungria

✓ Cabelo e Maquiagem – Regiane Celye

✓ Acessórios – Tiffany

✓ Sapatos – Carol Hungria

✓ Buquê e Lapelas dos padrinhos – JR Flores

✓ Alianças – H. Stern

✓ Música Cerimônia (Coral, Orquestra) – Astorga Coral e Orquestra

✓ Música Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria) – DJ Roger e Mangueira

✓ Foto e Filme – Momento Fotográfico

✓ Buffet – Sheraton Niemeyer

✓ Decorador – Eu, minha mãe e minha irmã

✓ Flores e Plantas – JR Flores

✓ Bolo – Glacê Real

✓ Doces – Barriga de Freira, Joaquinas, Aina e Sonia

✓ Bem-casados – Elvira Bona

✓ Chocolate – Cacau Noir

✓ Lembrancinhas – Chandon para os padrinhos

✓ Convite e identidade visual – LS Relevografia (super maravilhoso)

✓ Roupa do noivo – So à Rigor

✓ Gerador, Ar Condicionado, Manobra e Segurança – do próprio Hotel

✓ Hotel da noite de núpcias – Sheraton

✓ Lua de mel – Punta Cana

✓ Lista de presentes – Tutto per la Casa, H.Stern Home, Fast Shop

Deixar um comentário