O Léo é apaixonado por música e adora Lady Gaga e, por isso, a Ana Cecilia resolveu fazer uma surpresa durante a cerimônia: no final dos votos dela, pediu para que a orquestra tocasse a música “I’ll never love again” e uma querida madrinha entrou cantando. Vocês imaginam a emoção? Eu fiquei arrepiada só de pensar! 

A noiva teve o prazer de criar o sapato que usaria no próprio casamento. Ela tem uma marca de sapatos, a Anas, e foi assim que conheceu a estilista Martu  anos atrás, quando vendia suas sandálias na loja dela. Assim que ficou noiva foi lá na Martu falar sobre o seu vestido de casamento. E não é que a estilista acertou em cheio? Para completar o look, Ana Cecilia desenhou uma anabela do jeitinho que queria: confortável e elegante.  

A Ana Cecilia e o Leonardo escolheram a casa da noiva em Secretário, um cenário bucólico e romântico. Por ser um casamento na serra, a noiva escolheu pela praticidade e entrou em contato com fornecedores da serra do Rio de Janeiro para o seu casamento. Esta escolha foi essencial para facilitar o processo. Ter fornecedores locais sempre ajuda muito porque eles sabem exatamente como funciona a logística, o clima e não é preciso se preocupar com o transporte

Não perca nada deste casamento na serra carioca que ficou lindo, lindo. A noiva Ana Cecilia compartilhou detalhes e fotos maravilhosas do dia.  

 

Os Casamentos Reais publicados no CaseMe são escritos diretamente pelos noivos, em 1ª pessoa. Nossa proposta é uma troca livre e real de experiências, sejam boas ou ruins, que ajudem outros casais que ainda estão no caminho!

 

Noivos:  Ana Cecilia Friedheim e Leonardo Rufino

Local: Casa de serra da família – Secretário, Rio de Janeiro

Data: 01/12/2018

 

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-1-750x50

 

 

História do casal:

 

O Léo trabalha com a minha irmã, então já o conhecia um pouco. Ficamos a primeira vez na festa da empresa que eles trabalham! Começamos a namorar um mês depois e ficamos durante 7 meses. Terminamos por 6 meses e voltamos. Depois de 1 ano do “segundo namoro” ele me pediu em casamento.

Achava ele “um pouco diferente” porque era alucinado por música e só viajava em função de shows e festivais. Aos poucos fui curtindo isso também e hoje em dia equilibramos as viagens e os shows. O que mais gostamos de fazer são essas duas coisas! Quando conseguimos juntar, melhor ainda. De fato descobri o que é ter um companheiro de verdade pra tudo!

 

O pedido de casamento:

 

Já vínhamos falando nisso, mas o momento foi super inesperado. Como sou muito desconfiada, ele fez de um jeito que me pegou de surpresa

Saímos pra jantar para comemorar 1 ano de namoro (segunda etapa kkk) em março de 2018 no Rio e nada aconteceu no restaurante, apesar de eu ter uma pontinha de desconfiança que poderia ser naquele momento. Ele falou que ainda não tinha comprado presente, mas que ia pensar em alguma coisa. Achei super tranquilo e não me incomodei. 

Chegando em casa, a gente se arrumando pra dormir, ele apareceu com uma sacolinha com o anel. Disse que era o meu presente e não disse mais nada. Quando abri e vi a aliança de noivado, fiquei na dúvida se era de fato um pedido (kkkk) e eu perguntei se era isso mesmo e se ele queria casar comigo! Tive uma crise de riso e choro sem saber direito o que estava acontecendo.Foi uma coisa muito pessoal e a nossa cara. Não poderia ter sido de maneira melhor. Fui completamente surpreendida, ainda mais que duas semanas depois estávamos com uma viagem marcada para um festival e era mais provável que fosse acontecer lá. Fiquei um tempo até acreditar kkk. Foi muito bom!

 

Créditos: todas as fotos desta matéria são da Laura Campanella

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-2-750x50

 

 

Os preparativos:

 

Foram super tranquilos. Se não fosse a minha mãe, acho que não tinha casado até agora. No dia seguinte ela me perguntou a data e eu disse que não fazia ideia. Minha irmã estava para ter bebê e só falei que o foco do ano seria me mudar com o Léo e a Betina nascer. Nunca tive esse sonho de casamento, mas acabou indo muito além e sendo muito melhor do que jamais podia imaginar. 

Nunca tive nenhuma exigência de fornecedor pro casamento, apenas o maquiador e dj. Sendo assim, foram os primeiros que falamos. Como a capela é na minha casa, foi mais fácil de conseguir a data que queria. Tendo tudo alinhado, marcamos para o dia 01/12/2018 e combinamos que eu casaria no civil primeiro. E foi assim no dia 12 de maio, já que minha irmã mora em SP e ela teria que parar de viajar por conta da gravidez. Fizemos um jantar na minha casa para famíliapadrinhos com uma cerimônia simples realizada por uma juíza. Depois desse jantar já me sentia casada e disse para os meus pais que não precisava de muito mais coisa. 

 

Quanto a escolha dos fornecedores, preferi optar por pessoas da serra pra facilitar o processo, o que foi essencial. Não poderia ter feito escolhas melhores!!! Ter cerimonial, pra mim, foi muito importante. Conheci a Renata da Ie Eventos na festa que meu pai deu um ano antes na serra também. Ela ajudou em algumas coisas e gostamos muito. Além disso, ela fez a decoração junto com o Vinícius Santo que é florista! Tínhamos indicações de amigos e já havíamos acompanhado de perto o trabalho de praticamente todos eles. 

O G Júnior, maquiador, fez a minha irmã de noiva há 3 anos atrás e desde então ficamos próximos; o DJ André Paulo, além da festa do meu pai, fez vários casamentos de amigos que foram muito bons; cerimonial e decoração já haviam trabalhado com a gente, e praticamente todos já tínhamos alguma ligação.

 

No dia do casamento, antes da cerimônia: 

 

Como foi em casa, passei o dia só com as mulheres da família e ele ficou na casa que a família dele alugou no mesmo condomínio. De quinta pra sexta e de sexta pra sábado, dormimos separados e não nos falamos no dia. 

 

Chegamos lá na quinta de manhã e participamos de toda a montagem. O que foi maravilhoso. Pudemos ver todos os detalhes e fazer os ajustes necessários na hora. 

Estávamos muito nervosos. Foi chegando perto e o frio na barriga foi inevitável. Falo que virei noiva de verdade um mês antes quando percebi que realmente faltava pouco.

 

O vestido de noiva:

 

Fiz meu vestido na Martu. Já conheço a Marta há um tempo, pois vendi as sandálias na minha marca (Anas) na loja dela uma época. Fizemos uma linha especial para noivas e madrinhas. Minha irmã também fez o vestido com ela, e sempre soube que ela faria o meu também. Assim que fiquei noiva marquei de ir lá.

 

Não tinha muita ideia do que eu queria. Mostrei algumas referências e ela desenhou na hora um vestido que nem eu sabia que era exatamente aquilo que gostaria! Na hora fechei com ela. 

 

Sobre a cauda, nós íamos prender na hora da festa, mas chamei a assistente da Marta para me ajudar no dia e ela cortou pra mim depois da cerimônia. Como não era um vestido armado, fiquei super confortável com um vestido longo e pude dançar a noite toda sem me preocupar. 

Eu fiquei muito na dúvida se casava de véu, ainda mais que meu vestido tinha um decote lindo nas costas. Em uma das provas e Marta me mostrou uma opção mais transparente e acabei optando por ele. Ficou lindo e nada pesado. 

 

A Grinalda eu fiz com o G Júnior que tem a marca Hera. Nesse caso já tinha uma coisa na cabeça e ele desenvolveu um modelo pra mim. Recomendo muito eles! 

 

A dica que eu dou para ver o vestido é ter calma e ver opções diferentes. No caso de mandar fazer, sugiro ter reuniões que naturalmente você vai saber escolher até mesmo por empatia. Essas coisas quando bate, você não tem mais dúvida. Seja com a pessoa que vai fazer ou com um modelo pronto. Acaba sendo amor a primeira vista.

 

Acessórios:

 

O brinco usei o mesmo que a minha irmã casou. O sapato eu mesma desenhei. Inclusive vai virar um modelo da coleção porque funcionou super bem e ficou muito confortável. Queria um salto anabela simples e com cara de espadrille “mais arrumada”, já que foi um casamento de dia na serra. 

 

O buquê também foi fácil de escolher. Fiz com a Rose, que é da equipe do Vinícius, florista. Ele e a Renata (decor e cerimonial) me indicaram ela e fui de olhos fechados. Mandei as referências por foto, tipos de flores que gosto e ela fez. Eu adorei! E foi assim também para as damas e lapelas.

 

 

Roupa do noivo:

 

Optamos pelo noivo e pais dos noivos estarem de terno marinho. Fui com ele na Ricardo Almeida e ele acabou fazendo sob medida. Fez umas duas provas e ficou perfeito.

 

 

Cerimônia:

 

Como a capela era em casa, não tive problema na escolha. Chamamos o padre Carlos de Pedro do Rio que já conhece nossa família

Queríamos uma cerimônia religiosa simples, mas que marcasse as pessoas. No final cada um falou um pouco e eu fiz uma surpresa pro Léo. Como ele é viciado em música e muito fã da Lady Gaga, havíamos assistido o filme dela um mês antes do casamento e ficamos viciados em uma música. 

 

Ele falava que era a música do ano e eu não poderia ter deixado de fora do casamento. O nome é I’ll never love again, e no final dos meus votos, a orquestra entrou tocando. Quando acabei, uma madrinha cantou um trecho da música. Ele quase teve um treco kkk Muita gente veio falar comigo depois, que mesmo não sendo muito próximo da gente, chorou horrores na cerimônia.

 

 

 

Música da cerimônia:

 

Contratamos a Versus 4 que é uma orquestra maravilhosa de Petrópolis. Foram indicação da Renata também. Fizemos uma audição com eles que foi muito importanteemocionante! Já tínhamos algumas músicas na cabeça, mas muita coisa foi decidida com eles na hora, ouvindo tocar

Misturamos música clássica com moderna, pois como era orquestra, todas ficaram só no instrumental.

 

Padrinhos e madrinhas:

 

Foram 16 casais ao todo. Acabou sendo mais do que planejávamos, mas chamamos todo mundo que tivemos vontade

 

Os homens usaram camisa branca, calça cáqui social, blazer marinho (sem gravata) e sapato marrom. As mulheres não tiveram dress code. Acho que como elas já acabam tendo várias obrigações que envolvem o casamento e custos a mais, quis que todas ficassem a vontade para irem da maneira que se sentissem melhor.

 

Damas e pajens:

 

Foram 7 no total, sendo que 2 eram bebês. Minha sobrinha e o filho da minha prima, ambos com 5 meses. As crianças maiores eram filhos de amigos e primos. Para os bebês entrarem, coloquei minha irmã e minha prima com eles no colo atrás do cortejo que acabou sendo uma bagunça fofa, já que as outras crianças tinham entre 2 e 8 anos. Isso facilitou a entrada deles, mas teve uma que acabou voltando do meio do caminho. 

 

As roupinhas fiz na loja Bonita que fica em Ipanema. Peguei um modelo que eles tinham e comprei os tecidos pra fazer igual. Foi ótimo! Deu super certo!

 

Local da festa:

 

Sempre tive vontade de casar na minha casa da serra com uma celebração simples. Acabou sendo muito maior do que imaginava e o cenário ajudou muito! Não poderia ter sido melhor!

 

Decoração:

 

Foi a parte que mais me envolvi. As reuniões foram bem longas, pois sabia exatamente o que queria. Tentei passar tudo nos mínimos detalhes com referências e o clima que eu queria pra festa. Uma coisa que sempre pensei sobre o dia do casamento, é tentar passar pros convidados um pouco do que eu sentiria no dia. E acho que é possível fazer isso com pequenos detalhes na decoração. O astral do lugar conta mais do que a decoração em si. Não adianta ter mil arranjos enormes se o resto não for pensado por igual. Sendo assim, pedi muita luzinha, e cantinhos “especiais”. Não quis nenhuma orquídea e nenhum arranjo grande. No final o resultado ficou incrível! A base era azul marinho e pink com árvores de bouganville. Na entrada tinha um túnel que já fazia com que as pessoas entrassem na festa sentindo o que eu queria. Fiz com a Renata Garbone e faria tudo de novo exatamente igual. Superou minhas expectativas (que eram altas). Meu pai também ajudou muito, principalmente na montagem!

 

 

Bolos e doces:

 

Foi super fácil de escolher. Peguei a indicação da Renata com uma pessoa de Petrópolis também que era uma delícia. Fiz ele espatulado básico e pedi para o Vinícius enfeitar com flores naturais na hora. Os doces levei do Rio e fiz com pessoas que já conhecia. De chocolate coloquei pouca coisa, apenas na mesa do café. Levei da Bel Trufas e o buffet incrementou. 

 

Como no casamento da minha irma a conta foi justa (muita gente levou muito doce pra casa), exageramos no meu kkk então sobrou bastante, mas nada que no dia seguinte a gente não resolvesse.

Como complemento do presente dos padrinhos fiz um coração de chocolate com ovomaltine da Bel Trufas que ficou delicioso.

 

Buffet:

 

O buffet foi o Alecrim que também já conhecíamos da serra. Serviço maravilhoso e comida mais ainda. Teve comida volante e jantar servido em duas estações. Além disso deixamos uma mesa durante a festa toda com coisas fáceis de beliscar e frescas já que era dezembro e fazia calor. Uma coisa que pedi é que logo depois da cerimônia, já servissem refeições volantes como picadinho, além do resto que já passaria. Assim, quem quisesse comer antes, não precisava sair da pista pra jantar mais tarde. Isso foi ótimo, pois a pista ficou cheia a noite toda!

 

O bar foi do buffet também e funcionou muito bem!

Nós comemos depois da cerimônia e durante a festa algumas pessoas traziam pra gente na pista coisas fáceis, como croquete, etc.

No final da noite serviram na pista mini hamburguer e pastel. Além disso coloquei um pipoqueiro que ficou em um canto da festa e um baleiro que ficou circulando. Fizeram o maior sucesso!

 

Música da festa:

 

Escolhemos o André Paulo que já conhecíamos. Ele foi a atração principal e não podia ter sido melhor! Tivemos uma reunião antes falando como gostaríamos que fossem as músicas e ele foi perfeito! Difícil falar de uma música que marcou, já que pedimos pra tocar várias específicas. Mas a da entrada foi uma delas. Chama Hold my hand.

 

 

Registros:

 

Vídeo – AG2 Digitalmelhor escolha! Foram um dia antes para fazer umas filmagens também e complementar a edição do filme que ficou maravilhosa. Passaram a noite inteira com a gente e o resultado não podia ter sido melhor!

Na festa colocamos uma pessoa do cerimonial para tirar fotos com polaroid e colar em um album onde os convidados podiam escrever um recado pra gente. Ficou bem legal! Ela tirava uma para o nosso álbum e outra para o convidado levar.

Nossa # foi CICAELEONASERRA

 

Convidados:

 

Até que não tivemos problema com a lista. Inicialmente queria uma coisa menor para 200 convidados, mas quando juntamos a lista do noivo, noiva e pais dos dois lados, vimos que seria difícil. A lista acabou tendo 500 convidados e foram 330. Foi um número ótimo

 

Fizemos RSVP ativo sim e realmente é fundamental.

Muita gente veio de fora, o que foi muito legal pra gente!

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-3-750x50

 

 

Lua-de-mel:

 

St Barths. Foi maravilhoso e super recomendo. Como só tivemos uma semana, foi perfeito pela distância e lugares para visitar na ilha.

 

 

Dicas importantes sobre a lua-de mel + novo apartamento:

 

Não tenho uma dica especial. Única coisa é para a noiva tentar não panicar kkk no final tudo dá certo! E escolher muito bem as pessoas que estarão envolvidas, pois você vai passar muito tempo se relacionando com elas. Tendo os profissionais que você confia, delegue as tarefas e não tente resolver tudo. Afinal, eles foram contratados para isso. Relaxe e curta o momento porque todas as etapas são boas e passam! Quando você olha pra trás passa muito rápido!

 

Presentes:

 

Agradeci todos que recebi pelos sites direto por e-mail. Os que chegaram na minha casa ainda não consegui agradecer todos. Para alguns, estou preparando cartões, e outros, agradeço por mensagem ou telefone.

 

Ficha técnica:

 

♦ Cerimonial e Assessoria: ie! Eventos

♦ Local da Cerimônia: Capela Casa da família em Secretário

♦ Celebrante: Padre Carlos

♦ Música de Cerimônia: Versus Quatro

♦ Decoração da cerimônia: Renata Garboni e Vinícius Santo

♦ Local da Festa: casa da família

♦ Buffet: Alecrim

♦ Decoração: Renata Garboni

♦ Florista: Vinícius Santo

♦ Iluminação: The Fix

♦ Mobiliário: Chiavari e Ambiente Eventos

♦︎ Objetos decorativos: Essencial, Luiz Salvador, Marly Simonsen, Santeh mesa
posta;

♦︎ Tapetes: By Kamy e Empório Spiro

♦ Plantas: Imper Folhas

♦ Toldo e piso: Seriflex

♦ Bar: Alecrim

♦ Música da Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria): DJ André Paulo

♦ Fotografia: Laura Campanella

♦ Filme: AG2 Digital

♦ Bolo: Cristina Poncinelli

♦ Doces: Sucrolat, Julietas, Barriga de Freira e Regina Rodrigues

♦ Bem-casados: Elvira Bona e Olenka Brownies

♦ Chocolate: Bel Trufas

♦ Lembrancinhas (apenas para os padrinhos): Bel Trufas e uma cerâmica da Luiz Salvador com o desenho da capela. Formato de porta-jóia/cinzeiro

♦ Convite: Atelier Allure

♦ Identidade visual: Atelier Allure

♦ Banheiro: Banheiro Vip

♦ Manobra e Segurança: Itatrade

♦ Vestido de Noiva: Martu

♦ Véu: Martu

♦ Grinalda: Hera

♦ Cabelo e Maquiagem: G Júnior

♦ Acessórios: emprestado

♦ Sapatos: Anas

♦ Buquê: Rose (da equipe do Vinícius)

♦ Roupa do noivo: Ricardo Almeida

♦ Lapelas dos padrinhos: Rose

♦ Roupa das Damas e Pajens: Bonita

♦ Alianças: Monica Pereira

♦ Lua de mel: St Barths

♦ Lista de presentes: Tutto per la casa, Tânia Bulhões, Uni Home, Fast Shop, Site Icasei

 

Caseme_banner_728x100px

NEWSLETTER-POST-3-3-750x125

Leia mais:

A roupa do noivo: tudo o que você precisa saber

Vestido de noiva – tudo o que você precisa saber

Noivas Alérgicas – como evitar a alergia no casamento

 

Deixar um comentário