Quem conhece casamento judaico não pode negar que é um dos mais animados, não é? A explosão de alegria faz parte das inúmeras tradições, que em conjunto tornam o casamento judaico um dos mais interessantes entre todas as culturas. É um casamento cheio de simbolismos, e claro, muita animação. O casamento da Paula e do Henrique foi exatamente assim, um clássico casamento judaico com muita tradição e alegria.

 

Noivos: Paula Blanco de Albuquerque e Henrique Cohen Feldman

Data: 10 de dezembro de 2016

 

◊ ANTES DO CASAMENTO

 

História do casal: Eu e Henrique nos conhecemos através de amigos em comum. Fomos apresentados e logo depois marcamos uma saída com esses amigos, até que o primeiro beijo aconteceu. Nesse dia o Henrique já falava que não iria mais me largar. Começamos a namorar depois de 1 mês juntos e nunca mais nos separamos. Nos damos muito bem, adoramos ficar juntos no tempo livre, seja planejando uma viagem ou fazendo “nada” como costumamos falar. Fizemos 5 anos de namoro no dia 05 de agosto de 2016.

 

O pedido de casamento: No dia 14 de março de 2015, nós seríamos padrinhos de um casal de amigos no Copacabana Palace. Eu nunca imaginei que seria pedida naquele dia já que tínhamos outras funções a cumprir, e foi por este motivo que o Henrique escolheu a data, eu nunca adivinharia. Cheguei ao hotel cedo para curtir a black pool com a noiva e outras madrinhas, brindamos e tiramos muitas fotos pela manhã. Logo após o almoço, o Henrique que estava com os amigos, me pediu para encontrá-lo em nosso quarto, já que quando fizemos check in o quarto não estava pronto (era o único! E eu não desconfiei de nada!). Quando fui levar a minha malinha para o quarto e entrei ouvi uma música ambiente, vi o quarto cheio de flores, meus personagens da Disney favoritos, fotos e um iPad no chão no quarto. No iPad estava a declaração de amor mais linda e um pedido para abrir a porta do quarto (era um quarto grande, com uma sala onde eu estava e uma porta para o quarto em si). Quando abri, o Henrique está lá de joelhos e em seguida fez o grande pedido. Claro que disse sim, e aí começou a choradeira de tanta emoção! E a surpresa não acabou por aí, no dia seguinte ao casamento o Henrique combinou com os meus pais, irmãos, os pais dele e seu irmão para tomarmos um café da manhã no Copacabana Palace para começarmos a comemorar o grande dia! Foi lindo!

 

◊ O CASAMENTO

 

Os preparativos: Só marquei a data em janeiro de 2016. Decidimos começar pelo apartamento, fizemos reforma e isso tudo levou muito tempo. Em janeiro com o apartamento quase pronto decidimos marcar a data e o primeiro passo foi procurar o cerimonialista, quem iria fazer toda a festa acontecer. A família do meu noivo é de origem judaica e já conhecia o trabalho do Roberto Cohen pelo bar mitzvah do Henrique (na verdade, o Roberto era dentista da avó do Henrique, eles já se conheciam há um tempo rs) e também escolhemos pelo seu trabalho impecável. O Roberto ajudou em tudo, desde a escolha do local até os doces. Ele tem uma visão que nós, as noivas, não chegamos nem perto de pensar. Toda a família participou das escolhas, mas ficou tudo concentrado em mim e no Henrique.

 

O vestido de noiva: Comecei a pesquisar referências de vestido de noiva pelo Instagram e a seguir vários igs de casamento. Isso me ajudou muito! Eu sabia o que eu não queria, mas o que eu queria era difícil ainda definir. Não queria renda, mas não queria fugir do clássico. A primeira ideia foi visitar lojas de aluguel para experimentar alguns modelos, porque uma coisa era o que eu tinha na cabeça e outra seria em como ficaria no meu corpo. Fui na Pronovias e na Internovias, gostei de alguns modelos mas sempre queria mexer em alguma parte, então foi quando decidi que mandar fazer um vestido era a melhor opção. Conhecia a Sol Azulay, por ser prima da minha amiga, e ela desenhou do jeito que eu queria. Um modelo sem renda, liso, mas ainda assim clássico. Ficou do jeito que eu imaginei! Lindo, lindo! Escutei muitas pessoas elogiando o meu modelo por fugir do óbvio e ousar na escolha.

 

Acessórios: Sempre quis usar uma flor na cabeça, mas queria combinar com o estilo do vestido, mas já que ele era liso eu podia ousar no acessório. Quando o meu vestido estava quase pronto a Sol, que tem especialidade em grinaldas, teve uma ideia de fazer uma orquídea com o tecido do meu vestido, e aí combinamos que uma tiara dupla na frente daria um toque a mais. O véu tinha 3 metros e eu pedi para ter detalhe na ponta, para dar um acabamento. Bingo! Ficou tudo mais lindo do eu tinha imaginado! Tanto a grinalda e o véu, quanto o vestido!

 

* Seguindo a tradição judaica, o véu tem uma parte menor para o noivo cobrir o rosto da noiva, simbolizando que ele não está interessado somente na beleza física, mas como na alma da sua amada.

 

Making of: De acordo com a tradição judaica, o casal deve ficar sem se ver 7 dias antes do grande dia e assim fizemos! O Henrique ficou na casa dos pais e eu na nossa casa, já que já estávamos morando juntos há 6 meses. Foi ótimo, a vontade de se ver e falar é tão grande que no dia do casamento a emoção fica ainda maior!

Não tínhamos mais nada para resolver da festa, então era só curtir as emoções da semana. No dia fomos para o hotel, onde seria a festa, e enquanto eu me arrumava ele estava na piscina com os padrinhos. Foi ótimo! Eu fui uma noiva muito tranquila durante todo os preparativos, foram poucos os momentos de estresse, então no dia eu estava calma. Algumas madrinhas foram se arrumar comigo, brindamos, bebemos… foi uma tarde deliciosa.

 

Cerimônia: Nós queríamos um lugar confortável para os nossos convidados e pelo número da nossa lista de convidados, não tínhamos muitas opções sem ser um hotel no Rio de Janeiro. Escolhemos o Windsor Marapendi, por ser um hotel super novo (abriu para as Olimpíadas) e também por ser no bairro que moramos. A data foi a que eu consegui conciliar com a disponibilidade do Roberto, do celebrante e do local. Mas nunca achei que fosse casar em dezembro.

O nosso celebrante foi um chazan (leia-se RAZAN) da religião judaica. O Henrique é judeu e segue a tradição, portanto acabamos decidindo seguir os ensinamentos judaicos. Por este motivo só tínhamos a opção de um celebrante, já que não poderia ser na sinagoga ou na igreja. Como eu queria que fosse o mais judaico possível, a melhor opção foi o David. Ele é incrível, possui uma voz linda, entendeu o que eu queria e conseguiu emocionar a todos na nossa cerimônia.

 

Dica: É importantíssimo confiar em todos os seus fornecedores… você fica muito tranquila quando acredita no seu profissionalismo. Para mim, os meus superaram as minhas expectativas.

 

Padrinhos e madrinhas: Tivemos 18 casais de padrinhos. 18 é um número importante que equivale ao valor numérico da palavra “Chai” (em hebraico), que entre outras coisas significa Vida. Escolhemos amigos que próximos e que acompanharam a nossa história de perto.

Para os padrinhos escolhemos terno escuro e demos gravata borboleta preta e branca com suspensório. E as mulheres não tiveram uma cor específica, deixei livre.

 

Um detalhe muito emocionante: Minha cunhada estava grávida, ela é casada com o meu irmão mais velho e eles foram os primeiros padrinhos a entrarem (Foto:0755). Ela ficou super preocupada de inicio, já que faria 40 semanas de gestação pertinho do meu casamento e queria parto normal. Foram muitas emoções na semana do meu casamento, a médica da minha cunhada sugeriu que fizessem a cesárea no dia 08/12 já que a Manuela não ganhava mais peso na barriga dela. No dia 08/12, a minha primeira sobrinha nasceu, eu me tornei titia e depois de dias uma mulher casada. Foi demais! Muita emoção e felicidade! A Manu é a coisa mais linda que eu tenho hoje! A minha cunhada foi na minha cerimônia, entrou com o meu irmão depois de 2 dias da sua cesárea. Foi uma choradeira só para quem sabia, vê-la entrar! É muito amor, certo?

 

Damas e pajens: Escolhi os filhos do meu primo mais velho, são 3 (Gabriel, Beatriz e Matheus), fofurices que eu sou apaixonada. Dois filhos de amigas (Nicolas e Davi) e dois priminhos mais velhos (Maria Clara e Caio, com 10 anos), uma para entrar com as alianças e o outro para ajudar com os menores. Foram lindos!!

Preferi que eles usassem camisa social, suspensório e gravata borboleta que eu dei. As meninas não usaram vestido de dama, mas arrasaram na escolha. Ficaram todos modernos e frescos.

 

Local da festa: Eu sabia que não queria casar na praia ou na fazenda, com muito verde. Sou super alérgica a mosquitos e gosto de uma decoração mais moderna. Pelo número de convidados, só me restou um hotel. Ficou do jeito que eu imaginei. A decoração teve tudo a ver com o local. Ah, eu também queria um pé direito alto.

 

Decoração: O Roberto me indicou a Carla Vidal Decoração e eu amei! Ela fez exatamente o que eu imaginei. Eu queria galhos secos com flores brancas e o verde somente dos caules ou de algumas folhas. Queria também toalhas e forros nas cores marrom e nude. Eu não podia querer nada diferente, nem agora que já passou! Escolheria tudo de novo.

 

Música da festa: Meu marido trabalha com eventos, então decidiu que seriam djs de festa e não de casamento. Confesso que fiquei preocupada de algo dar errado, mas nem um ruído eu escutei de microfonia. Foi ótimo, eles estão acostumados a fazer festa para muitas pessoas, então foi muito animado. Escolhemos 2 djs, um residente e outro para tocar umas músicas mais diferentes. Contratamos também o Mc Créu para animar a pista e foi engraçado! Nossos amigos são muito animados, fomos muito elogiados pela animação do casamento! Energia incrível!

 

Buffet: O buffet foi do próprio Windsor, fizemos uma degustação antes que é o único momento que os noivos comem direito, o jantar antes de começar a festa não conta, você não consegue comer direito porque são muitas informações.

Optamos por jantar, no menu principal tinha medalhão de filé mignon, paleta de cordeiro, parrilhada de frutos do mar e camarão à baiana. Eu e Henrique amamos frutos do mar, queríamos que tivesse algo e estava tudo delicioso! Para bebidas alcóolicas servimos espumante Chandon, whisky Double Black e cerveja Stella Artois, ah, e Red Bull também! Fizemos shot de Santa Dose no meio da pista em tubos de ensaios… foi muito divertido!

 

Registros: Contratamos o fotógrafo Guilherme Rocha, que tem uma sensibilidade incrível e para o filme o Elton Sabatino, ele é do interior de SP, mas quando assisti os filmes dele me apaixonei! Já recebi algumas fotos do Guilherme e já estou amando todas. Pedi 4 fotógrafos, um para mim, outro para o Henrique, outro para os meus pais e outro para meus sogros. Como a festa também tinham muitos convidados dos nossos pais, pensamos nessa opção para eles curtirem a festa com os seus amigos.

 

Convidados: Nossa festa foi para 500 pessoas. Fizemos um RSVP ativo com a equipe do Roberto Cohen, nosso cerimonialista. Nossa lista foi um probleminha, rs. Uma boa dica é vc fazer uma lista de pessoas e segui-la para no final não ter surpresas. A gente sempre pensa em alguém que deveria convidar ou outros que não precisaria, mas a minha sensação é que vi meu casamento passar por um vídeo, como se eu estivesse assistindo um filme… é engraçado.. são muitas informações, tudo é você na festa!

Nossa festa foi muito animada e todos os convidados elogiaram muito… mas o fato de ser judaico já ajuda muito! É pura animação!

 

◊ APÓS O CASAMENTO

 

Lua-de-mel: A nossa opção era um destino perto e de praia, para que a nossa maior preocupação do dia fosse ver a cor da água rs, por isso escolhemos Turks and Caicos, um Caribe mais reservado para casais em lua de mel. Eu super recomendo! Faça as escolhas dos melhores hotéis, mais exclusivos e com mais privacidade. Ficamos no The Palms em Providenciales e no COMO hotéis em Parrot Cay. Foi uma delícia, dividimos nossa viagem em duas ilhas para aproveitarmos mais e não cair na rotina.

 

Dicas importantes sobre a organização pós casamento + lua-de mel + novo apartamento: Viajamos na segunda após o casamento, mas acho que talvez fosse melhor à partir de terça, pois eu estava morta na segunda, cheia de dor no corpo e cheia de hematoma das danças judaicas. Por isso acho que a melhor escolha para a lua de mel é uma viagem para relaxar, sem ter horário para acordar e sem a função de passeios. Precisávamos descansar muito… a festa suga todas as suas energias.

Nosso apartamento já estava pronto antes da festa, então agora vamos começar a parte boa, o enfim casados! Só curtir a vida de casado no nosso novo apartamento que está a nossa cara.

 

Presentes: Nós já tínhamos ganhado presentes para nossa casa quando começamos a montar o apartamento, então grande parte dos nossos presentes de casamento foram dinheiro. Coloquei lista na Tutto per la Casa para comprar uns extras.

Minha sogra ficou encarregada de agradecer aos presentes. Rs. Mandamos por email um agradecimento, uma arte do Rafel Chut, que fez nosso convite e a identidade visual do nosso casamento.

 

 

Ficha técnica:

✓ Cerimonial e Assessoria – Roberto Cohen

✓ Celebrante – David Alhadeff

✓ Local da Cerimônia e Festa – Windsor Marapendi

✓ Vestido de Noiva, Véu e Grinalda – Sol Azulay

✓ Cabelo e Maquiagem – Marcelo Hicho

✓ Acessórios – Sol Azulay

✓ Sapatos – Manufact

✓ Buquê e Lapelas dos padrinhos – Chácara Tropical

✓ Alianças – Noivado: Casa Alberto Jóias / Casamento: Bruner

✓ Música Cerimônia (Coral, Orquestra) – Dj Rapha Fernandes / David Alhadeff Chazan

✓ Música Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria) – Dj Rapha Fernandes / Dj Tucho / MC Créu

✓ Foto – Guilherme Rocha

✓ Filme – Elton Sabatino

✓ Buffet – Windsor Marapendi

✓ Decorador – Carla Vidal Decoração

✓ Iluminação – Two Lights

✓ Mobiliário – Lona Cristal

✓ Flor – Empório Santa Rosa

✓ Plantas – Silvia Coimbra

✓ Cenografia – Antonio Kemper Cenografia

✓ Lustres – Eliana Lipiani

✓ Bolo – Delicciare Buffet

✓ Doces – Brigadeiros e doces finos: Ana Bahri / Ovos: Dona Emília / Macaron: Carla Daudt / Bala de coco: MH Balas / Brownie: Olenka

✓ Bem-casados – Márcia Fontaine

✓ Chocolate – Ana Bahri

✓ Lembrancinhas – Oba! Chocolates

✓ Convite e identidade visual – Rafael Chut Design

✓ Roupa do noivo – Hugo Boss

✓ Gerador – Prime Geradores

✓ Lua de mel – Turks and Caicos

✓ Lista de presentes – Site e Tutto per la Casa

 

Leia mais:

Filmes de casamento: AG2 Digital na Casa das Canoas

Casamento Karina e Marcos

Bilionário russo gastou mais de R$ 13,5 milhões em festa de casamento

2 comentários “Casamento Paula e Henrique

  1. Olá, Meu nome é Guilherme Rocha, tive o prazer de ser o fotógrafo deste casamento fantástico!
    Gostaria de dar meus parabéns a revista CASE ME pela matéria. E aos noivos um agradecimento muito especial pela confiança, simpatia e tranquilidade. Concordo plenamente com o que a Paula falou; dedique seu tempo ANTES do casamento em achar o fornecedor ideal. No grande dia confie e aproveite! Beijos e obrigado a todos envolvidos.
    Paula e Henrique, felicidades para vocês!

    Resposta

Deixar um comentário