O casamento de Isadora e Américo foi uma celebração que envolveu, com muito amor, todos os familiares. Eles escolheram a Catedral de Belém para a cerimônia, a mesma igreja onde os avós de Isadora se casaram 61 anos antesOutro detalhe incrível e muito emocionante: a noiva se baseou no vestido de sua avó para criar o seu modelo. Ela ainda o guarda após todos os anos de casada e Isadora queria adaptá-lo para colocar mais brilhos, porém o modelo não coube. A solução foi designar à estilista Dani Messih a missão de criar o vestido de Isadora inspirado no da avó. Nós achamos linda essa ideia! 

Entre os familiares importantes, o cachorrinho do casal que tinha que participar desse momento! De smoking, ele posou para as fotos do casal após a cerimônia. Não é uma fofura?

Os noivos escolheram um casamento tradicional, com decoração clássica, mas com detalhes que fizeram toda a diferença. Os noivos optaram pelo mármore e papeis marmorizados para unificar a identidade visual do casamento. O aspecto elegante do mármore esteve presente no convite, no incrível bolo de casamento, no menu e na moldura das fotos de Polaroid que os noivos colocaram no mural da decoração. É muito interessante quando vários elementos do casamento estão interligados. Quem criou a identidade visual do casal foi a S-Cards

Quer saber o que mais de incrível teve no casamento de Isadora e Américo? Confira na matéria o relato da noiva. 

 

Os Casamentos Reais publicados no CaseMe são escritos diretamente pelos noivos, em 1ª pessoa. Nossa proposta é uma troca livre e real de experiências, sejam boas ou ruins, que ajudem outros casais que ainda estão no caminho!

 

Noivos: Isadora Kalif Ribeiro e Américo Ribeiro Filho

Local: Catedral Metropolitana de Belém; Grand Mercure Hotel; Belém/PA.

Data: 20/10/2018

 

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-1-750x50

 

 

História do casal:

 

No dia 09/04/2010 estávamos em alguma baladinha de pagode (não poderia ser outra hahaha), comemorando o aniversário de um amigo em comum. Nesse dia, um outro amigo em comum resolveu nos apresentar (depois descobri que o Américo já havia planejado esse encontro), e começamos a conversar na festa. Trocamos MSN e não paramos mais de nos falar.

Depois de alguns convites para sair, apareceu mais um aniversário de outro amigo em comum, e então, como eu já tinha combinado de ir com amigos, ficamos de nos encontrar lá, e, finalmente, sairíamos juntos, mesmo que não oficialmente. E foi aí que tudo começou, o nosso primeiro beijo aconteceu e, desde o dia 20/04/2010, não nos desgrudamos nunquinha mais! Ah, ainda descobrimos que “nossos destinos foram traçados na maternidade”, quando ficamos sabendo que nascemos no mesmo hospital com os mesmos médicos!

Dia 15/06/2010 ele preparou uma surpresa com direito a pétalas de rosa, fotos e vídeos para me pedir em namoro. E, com 6 meses de namoro, no Natal e meu aniversário do mesmo ano, ele assustou toda a minha família pedindo licença durante a ceia de Natal para falar (todo mundo pensou que era casamento, haha) e tirou uma caixinha com um solitário do bolso, mas ele queria, apenas, simbolizar o nosso compromisso.

Ele sempre foi cheio de surpresas e romances, e foi o que me encantou desde o início, ele era diferente! Mal sabíamos até onde iríamos chegar, mas graças a Deus sempre tivemos Ele conosco nos abençoando e protegendo, nos guiando e nos acolhendo, e trilhando o nosso caminho junto com a gente, para que hoje estivéssemos aqui, unidos como sempre fomos, parceiros, companheiros, cúmplices e aliados, meu melhor amigo. O “maktub” pra gente realmente se encaixa, “nós” sempre esteve escrito.

 

O pedido de casamento:

 

Amamos viajar! Desde que nos conhecemos descobrimos essa paixão em comum e fazemos ao menos duas viagens por ano, então decidimos que uma delas seria sempre no meio do ano, para celebrarmos nosso aniversário de namoro. Por isso, programamos uma viagem para os Emirados Árabes em Junho de 2016, para comemorar o nosso aniversário de namoro. Chegando em Dubai, eu achava que nós iríamos para o hotel, quando ele falou para o motorista nos levar para o outro aeroporto da cidade. Eu, sem entender, tive que esperar chegarmos lá para, então, ele me mostrar as passagens de um voo para as Ilhas Maldivas! Ele sabia que eu tinha um sonho de conhecer e, até então, para mim, era uma surpresa pelos nossos 6 anos de namoro.

Para o nosso segundo dia (28/06/2016), ele já havia programado um passeio de barco ao por do sol, só me disse para ir bem arrumada porque depois teríamos um jantar chique . Esse passeio normalmente é feito pelo hotel para vários hóspedes, porém quando chegamos lá reparei que só estávamos nós dois, e ele me dizendo que tinha sido sorte nossa. Chegaram dois fotógrafos (apenas para registrar o passeio, segundo o Américo), músicas que nos marcaram começaram a tocar, e ele dizia que a seleção era do hotel… até que tocou uma música que não deu mais para ele esconder, finalmente percebi que ele havia planejado tudo! Mas ainda assim, achava que era pelo aniversário de namoro, então fomos curtindo o passeio.

De repente, começa uma gravação em inglês, ele pedindo desculpa pra tripulação porque agora precisaria falar em português comigo (hahaha), e começou uma declaração.

Enquanto isso, um dos rapazes da tripulação trazia um buquê lindo encomendado pelo Américo, então ele se levantou, me entregou o buquê e fez outra declaração pessoalmente, até se ajoelhar e abrir a “blue box” para me pedir em casamento… no meio do oceano índico, em uma ilha paradisíaca nas Maldivas, com um por do sol maravilhoso – quando estava com previsão de chuva. Deus realmente estava presente. Foi abençoado!

Não satisfeito, depois de muito choro e risos incontroláveis ao mesmo tempo, após o passeio ainda me aguardava um jantar na beira do mar, com a mesa rodeada de velas que formavam um coração. E assim foi o nosso ‘primeiro encontro’ como noivos. Inesquecível!

 

Créditos: todas as fotos desta matéria são da Clarté, por Bruno Miranda

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-2-750x50

 

 

Os preparativos:

 

Marcamos a data em dezembro de 2016, com 1 ano e 10 meses de antecedência. Queríamos um casamento tradicional, mas que saísse da mesmice, por isso procuramos vários atrativos diferentes. Os preparativos foram bem estressantes, várias vezes pensamos em desistir por tanto trabalho e tanto fornecedor que tínhamos que fechar. Quando pensávamos que já ia acabar, ainda tinha que resolver detalhes mínimos, rs. Fomos muitas vezes à São Paulo, também, já que muitos fornecedores fechamos por lá, e participamos de vários eventos de casamento, em São Paulo e em Belém. Apenas os noivos participaram dos preparativos, o cerimonial fechamos apenas para o dia, pois não havia disponibilidade para a assessoria completa, porém sempre que tínhamos alguma dúvida durante a organização, nossas cerimonialistas estavam a postos para orientar e participar de algumas reuniões. Acredito que para uma noiva ansiosa e detalhista como eu, a assessoria completa é essencial, mas para uma noiva mais tranquila, basta a assessoria para o dia. A escolha dos profissionais se deu muito pela experiência que eu, Isadora, tive na minha festa de 15 anos e festas da minha família. Em Belém temos muitos fornecedores bons para festas grandes e, grande parte, escolhi os mesmos que já conhecia o trabalho, como cerimonial, bolo, doces, open bar, filmagem, assessora pessoal, orquestra da igreja, o espaço, dentre outros. Outros, quisemos inovar e escolhemos os mais conceituados que conhecemos por redes sociais, como convites, traje dos noivos, bem casados, massagem para os pés, sapatilhas, etc. A maior surpresa da festa foi o espaço para massagem nos pés, pois foi algo inédito aqui e que nem nós tínhamos visto, descobrimos pelo instagram durante os preparativos, tanto que não existia na nossa cidade e tivemos que trazê-las de São Paulo. Eu sou louca por massagem e foi providencial, foi parada obrigatória e as meninas da equipe foram maravilhosas, foram super profissionais e atenciosas! Além disso, para inovar, foram distribuídas sapatilhas para as mulheres, ao invés de sandália.

 

Uma dica que dou, que acho importante: decidimos que no dia do casamento faríamos uma postagem com algumas dicas e recomendações aos convidados, orientando-os sobre como aproveitar tudo o que preparamos ao máximo. Muita gente vai embora da festa sem saber que ainda vai ter alguma surpresa e acabam não aproveitando. Várias pessoas elogiaram e nos agradeceram, pois assim puderam ficar até o final.

Nos detalhes, fizemos nossos cardápios redondos em papel vegetal marmorizado e foram distribuídas bolhinhas de sabão para soprarem durante a nossa dança. O efeito foi lindo e super diferente! Fizemos um mural para fotos super diferentes, quisemos sair do óbvio da parede de flores e nossa decoradora sugeriu molduras marmorizadas com cascata de flores no meio, e um efeito de luzes. Ficou maravilhoso e super diferente!

 

 

No dia do casamento, antes da cerimônia: 

 

Ele passou o dia no quarto do hotel relaxando e depois recebeu alguns amigos, padrinhos e o pai. Se arrumou lá mesmo. Nós tínhamos combinado que não iríamos nos ver no dia, mas de manhã fomos nos confessar e acabamos nos esbarrando na igreja. Fora isso, só por telefone. Eu estava bastante nervosa e ansiosa, me arrumei no salão e reservei uma sala reservada, com comidinhas e espumante para minha avó (mãe), sogra e madrinhas.

 

 

O vestido de noiva:

 

A minha inspiração foi o vestido da minha avó, que tem 61 anos de casada e até hoje guarda o vestido (pena que não deu em mim, rs). Eu queria ter feito apenas adaptações para colocar bastante brilho, pois o vestido dela era somente renda, e eu amo brilho. Então peguei o modelo como inspiração e fui fazendo de acordo com o meu gosto, queria muuuito princesa, bem rodado, não queria renda, apenas bordado, gola alta e manga flare, e também queria algo para sair da mesmice, então a Dani sugeriu a saia peplum. Fiz sob medida ao longo de 1 ano, em São Paulo, com a estilista Dani Messih. O véu eu deixei nas mãos dela, disse apenas que queria entrar com ele caído no rosto, e a grinalda escolhi junto com a Dani, ela sugeriu algo bem delicado já que o meu vestido seria todo bordado. A cauda, a Dani desistiu de fazer removível e fez apenas uma amarração, melhorou, mas no fim não amarrou completamente. Minha dica é, sem dúvida: NÃO FAÇA COM 1 ANO DE ANTECEDÊNCIA, principalmente se você estiver em processo de emagrecimento, rs. Deixe para fazer, no máximo, 6 meses antes. Eu tinha problema no início das provas porque no ano que comecei a ver havia engordado 20kg e quando fui fazer minha segunda prova, 6 meses antes do casamento, ela teve que refazer todo o molde. Ainda assim, continuei emagrecendo e, no fim, meu vestido ficou folgado (pelo menos não apertado, rs). Também recomendo falar exatamente o que você quer, para não se arrepender depois e, se for indecisa, não leve ninguém. Eu era muito indecisa às vezes e no fim quis mudar algumas coisas, mas não deu mais tempo, pois fui buscar 3 dias antes do casamento. Eu só levei minha avó e minha sogra nas primeiras provas, depois não quis mais levar ninguém, senão minha indecisão iria piorar. Na última prova levei uma amiga que mora em São Paulo só porque não tinha certeza se estava gostando do resultado, mas ela me ajudou bastante e conseguimos definir juntas o que ainda daria para mudar.

 

 

Acessórios:

 

O sapato foi o primeiro item comprado! Fique noiva e comprei um Ralph & Russo que eu era apaixonada! Na época nem tinha do meu tamanho, comprei um pouco maior para garantir, e no fim usei com uma palmilha (já perceberam o quanto sou ansiosa, haha). A minha estilista até me indicou um lugar para eu fazer um sapato sob medida, mas não trocava o meu por nada! Os acessórios foram da minha avó, brinco e terço, que também ficaram reservados por toda a organização para o meu grande dia. Também usei a aliança de noivado e um aparador que ganhei do meu noivo no dia. O buquê foi feito pela decoradora, eu disse que gostava do modelo cascata e confiei à ela a missão de arrasar, e eu amei!

 

 

Roupa do noivo:

 

Nós escolhemos juntos a Camargo Alfaiataria e sempre dizemos que foi a nossa melhor escolha! O fornecedor mais comprometido! Ele também fechou 1 ano antes, fez sob medida, e também emagreceu, mas no caso dele não foi um problema e o traje ficou perfeito! Acompanhei ele em todas as provas e opinei, apenas na última prova que eu não quis ver. Incluímos o traje completo (cinto, sapato, gravata borboleta, colete, terno e abotoadura) e, ainda, as gravatas personalizadas dos padrinhos. A abotoadura ele acabou não usando, porque no dia do casamento meu presente para ele foi outra abotoadura, que ele amava.

 

 

Cerimônia:

 

Eu sempre quis casar na Catedral de Belém, acho uma igreja imponente e meus avós casaram lá. O Américo concordou, porque acha a igreja mais linda da cidade. A data já sabíamos desde que ficamos noivos, porque queríamos no mês de outubro, quando é celebrado o Círio de Nazaré, maior procissão católica do Brasil, o “Natal dos paraenses”, e dia 20 achamos uma data bonita, que combinaria 20/10 e que, num mês de tantos acontecimentos, cairia certinho num sábado onde não seria véspera do Círio nem de eleições. O celebrante, escolhemos o da nossa paróquia, que já nos acompanhava desde o início do namoro, participou de várias etapas e deu as bênçãos no nosso jantar de noivado. Queríamos muito que nosso filho (dog) entrasse junto com os pajens e daminhas, porém a igreja não permitiu e seria complicado levá-lo para a festa, mas ele tinha que participar, então de manhã ele teve um “dia de príncipe” e se arrumou todo para chegar no final da cerimônia, trajando seu elegante smoking canino, e fazer as fotos externas com a gente. Foi fundamental!

 

O que mais me emocionou foi poder ser conduzida pelo meu pai e entregue ao meu noivo pelo meu avô paterno (fui criada pelos meus avós paternos), e isso significou muito para mim, pois me sinto abençoada por ter dois pais! Outro momento marcante foi a entrada da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Santa Peregrina da guarda do Círio de Nazaré, conduzida pela avó paterna do meu noivo e pelos guardas. Por fim, a entrada das alianças, ao som de uma música tão linda que nos marcou: “Ainda bem”, do Thiaguinho.

 

 

Música da cerimônia:

 

Contratamos orquestra com cortejo clássico, definido por nós e pelo cantor.

 

Padrinhos e madrinhas:

 

Chamamos 10 casais e 2 demoiselles. Foi difícil, porque eu queria poucos padrinhos, mas não conseguimos. Então chamamos mesmo só quem participou da nossa vida como um casal. Os padrinhos usaram gravata personalizada lilás e as madrinhas vestido lilás.

 

 

Damas e pajens:

 

A princípio foram 3 daminhas com vestido princesa cor de rosa e 4 pajens com terno e gravata pretos, porém 1 daminha e 1 pajem não entraram. Eram todos filhos de familiares.

 

 

Local da festa:

 

conhecíamos e escolhemos de acordo com a comodidade e referências que já tínhamos. Sim, foi como imaginamos. Atendeu, pois como era num hotel, ganhamos a suíte presidencial para a noite de núpcias, então depois da festa só tínhamos que subir para o quarto, e foi um dos principais motivos para fecharmos lá. O buffet que oferecem é maravilhoso, apesar de ter um ponto negativo que, mesmo pagando e assinando termo de responsabilidade, eles não permitem levar a comida que sobrou.  

 

Decoração:

 

Escolhemos casamento clássico com tons românticos. Nós dissemos como queríamos e a decoradora deu suas sugestões também. A decoração foi muito elogiada e ficou super elegante e delicada, porém eu inseriria outros elementos que a tornassem mais preenchida, em especial decoração aérea e na mesa de doces.

 

 

Bolos e doces:

 

A escolha do bolo foi fácil, sabíamos que queríamos ele suspenso e combinando com o “tema” da festa, que era o marmorizado. Então pedimos um bolo marmorizado com flores nos tons da decoração e o nosso monograma. Os doces foram escolhidos na degustação e foi bem equilibrado. Apesar de eu querer tudo de chocolate, entendia que tinha que ter para todos os gostos, então tinham muitos sabores regionais do Pará. Sobrou bastante doces. Gostamos da mesa, mas talvez escolheríamos menos tipos de sabores. Calculamos entre 6 e 7 doces por convidado, mesmo com opções de sobremesa.

 

 

Buffet:

 

Amamos o buffet. Por sorte conseguimos provar tudo na degustação, porque sabíamos que não iríamos comer no casamento, apesar do cerimonial tentar nos servir o tempo todo. O menu foi bem variado, com opções para todos os gostos e foi muito elogiado. Foram servidas mini porções e canapés durante a recepção, e jantar sentado após a entrada dos noivos. Contratamos o serviço de bar para os drinks, barril de chopp e destilados. Fora isso, servimos espumante e whisky. Além disso, contratamos o serviço de cafeteria desde o início, com cafés variados, petit four e pasteis Santa Clara, e o lanche da madrugada serviram tapiocas feitas na hora e tacacá, além de McDonald’s e “benca shots” para a madrugada também.

 

Música da festa:

 

Tivemos 3 bandas e DJ entre elas. A música que mais marcou, que todo mundo que ouve sempre diz que lembra da gente, é Favela – ALOK. A primeira banda era receptiva, tocando clássicos do pop-rock, a segunda era a banda baile, tocando músicas variadas e atuais e a última, que não poderia faltar, era uma banda de pagode, que tocou nossas músicas preferidas.

 

 

Registros:

 

Contratamos a Clarté para fotos e Sidney Produções para filmagem. Ambos nos acompanharam no ensaio pré-wedding, chá de panela, making off, imagens pós cerimônia e festa. No decorrer da festa, a Photograf exibiu no telão fotos postadas com a nossa #, que também eram impressas para levar como lembrança. Gostamos de registrar os momentos espontâneos do nosso dia, onde mostram nossa felicidade e realização. Foi fácil, pois adoramos registrar todos os detalhes para recordação, e ainda fizemos questão de contratar muitas horas extras porque queríamos uma sessão de fotos com o nascer do sol, na área externa da nossa suíte. A ideia era pular na piscina com os nossos trajes, mas desistimos, rs.

 

 

Convidados:

 

300 convidados. Essa é sempre a parte mais difícil. Queríamos fazer uma festa pequena, mas nossa lista chegou a 460, e no final conseguimos reduzir para 390. Fizemos RSVP, mas não adiantou muito, pois a maioria não responde e MUITA gente que confirma não vai, o que foi a coisa mais chata do casamento, a falta de consideração. Nas duas últimas semanas aumentamos tudo porque mais gente do que esperávamos estava confirmando, e no fim foi exatamente o número de convidados que fechamos desde o início. A dica que dou é não confiar muito no RSVP e ir de acordo com o que vocês já estão planejando, não mudar de última hora. O percentual de falta é em média 25%.

Infelizmente, no decorrer dos preparativos, minha avó materna faleceu e a avó materna do meu noivo ficou impossibilitada de sair. Além disso, a minha estilista teve que cancelar de última hora e não pode vir me vestir por motivos pessoais inesperados. Fizeram muita falta.

 

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-3-750x50

 

 

 

Lua-de-mel:

 

Fomos para a África do Sul e Seychelles. Foi maravilhoso, a melhor viagem da nossa vida! Unimos aventura, cultura e praia. Recomendamos muito!

 

Dicas importantes sobre a lua-de mel + novo apartamento:

 

A dica, sem dúvida, é esperar pelo menos 5 dias para viajar. Viajamos 3 dias depois e foi bem corrido, porque o dia seguinte é “inválido” e só tivemos uma segunda-feira para resolver tudo o que precisávamos, pois viajamos na terça de madrugada. O ideal é arrumar a mala 1 semana antes, mas no nosso caso era a semana do casamento e ficou impossível. Fomos arrumando o apartamento aos poucos antes do casamento e, quando voltamos de lua de mel, já fomos para nossa casinha.

 

Presentes:

 

Fizemos lista no site e em 1 loja física, pensando nos mais velhos que preferem dar presentes em mãos. Agradecemos um por um assim que voltamos de lua-de-mel, por e-mail ou whatsapp.

 

Ficha técnica:

 

Cerimonial e Assessoria: Edila e Manu Porto

♦ Assessora pessoal: Jeane Moraes

Local da Cerimônia: Catedral de Belém

Celebrante: Frei Edilson

Música de Cerimônia: Orquestra Quorum

Decoração da cerimônia: Lucia Carvalho

Local da Festa: Grand Mercure Belém

Buffet: Grand Mercure Belém

♦ Cafeteria: Cafeteria Belém

♦ Lanche da madrugada: McDonald’s, Conceição Bem Casados e Cafeteria Belém

Decoração: Lucia Carvalho

Florista: Lucia Carvalho

Iluminação: Balada.com

Mobiliário:  Lucia Carvalho

Plantas: Lucia Carvalho

Bar: Armando Costa Open Bar

Música da Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria): Royal Band, Balada.com (banda e DJ), Virtudão

Fotografia: Clarté/Bruno Miranda

Filme: Sidney Produções

Bolo: Claudia Moraes

Doces: Claudia Moraes e Brigs Belém

♦ Forminhas: Forminhas Decoração

Bem-casados: Conceição Bem Casados

Massagem para os pés: Xainã Massoterapia

Lembrancinhas: Sapatilhas (Mimo da Festa); leques personalizados (S-cards); fotos instantâneas personalizadas (Photograf)

Convite: S-Cards

♦ Caligrafia convites: Leila Lessa

Identidade visual: S-Cards

♦ Papelaria e robe noiva e madrinhas: Thais Ferreira Ateliê

♦ Dança dos noivos: Paula Kalif

Gerador: Grand Mercure

Ar Condicionado: Grand Mercure

Manobra e Segurança: Grand Mercure

 Vestido de Noiva: Dani Messih

 Véu: Dani Messih

Grinalda: Miguel Alcade para Boutique Noiva dos Sonhos

 Cabelo e Maquiagem: Junior Fiel

 Acessórios: Acervo familiar e pessoal

Sapatos: Ralph & Russo

Buquê: Lucia Carvalho

Roupa do noivo: Camargo Alfaiataria

Lapelas dos padrinhos: Lucia Carvalho

Roupa das Damas e Pajens: Individual

Carro da noiva: Pontual Vip Service

Alianças: Tiffany, Cartier e Vivara

♦ Porta-alianças personalizado: Blunie Brasil

Hotel da noite de núpcias: Grand Mercure

Lua de mel: Teresa Perez

Lista de presentes: Casar.com e Camicado

 

Caseme_banner_728x100px

NEWSLETTER-POST-3-3-750x125

Leia mais:

Comentários “Casamento Tradicional em Belém – Isadora e Américo

Deixar um comentário