Sabia que cada pedra preciosa possui um significado e que, de acordo com a lenda, elas conferem um poder a quem as usa?

A Granada é a pedra do mês de Janeiro e também representa dois anos de casamento. Descubra tudo o que você precisa saber aqui:

 

Muito se especula sobre as origens dos simbolismos que as pedras preciosas têm carregado ao longo dos anos. Há quem aposte em escritos dos séculos I e IV – que relacionam cada mês do ano à gemas específicas, há quem diga que as pedras só foram associadas ao mês do nascimento na primeira metade do século XVIII e há quem acredite que tudo começou com Moisés – ele, guiado por instruções divinas, ordenou que seu irmão Aaron usasse uma vestimenta adornada por 12 pedras preciosas, representando as 12 tribos de Israel e, depois os signos do zodíaco e os meses do ano.

 

O mês de janeiro é regido por uma pedra de fogo, guardiã do amor e da paixão. Granada é o nome geral dos membros de um grupo de minerais silicatos, de propriedades semelhantes, mas de composição química diferentes, ou seja, o nome Granada não designa uma, mas sim um grupo de gemas que compreende várias espécies.

 

Quando se fala de granada, em Gemologia, não se está designando uma espécie mineral, mas sim um grupo de minerais que possuem várias características semelhantes.

 

Derivado do latim, de “Granatus”, o nome significa “grão” em português; uma referência pela similaridade da cor da pedra com a cor da semente de uma punica granatum, mais conhecida no Brasil como romã. Há ainda a correlação com “carfunculus”, que em tradução para o português fica “pedra de luz“. Isso porque algumas lendas antigas afirmam que uma grande granada iluminou a Arca de Noé.

 

Essa gema tem como coloração predominante o vermelho-escuro, porém, podem apresentar outras colorações como o amarelo, laranja, marrom, preto, verde ou incolor. Existem vários tipos de granada e as mais conhecidas são Almandina, Grossularia, Espessartita, Andradita, Piropo, Rodolita, Hessonita e Tsavorita.

 

 

As granadas podem ser encontradas em todos os continentes do mundo, mas os seus principais centros de extração estão localizados na África do Sul, Sri Lanka, Madagascar, Brasil, Índia e Austrália.

 

⇒ Conheça seus efeitos terapêuticos

 

Como são predominantemente rubras, as granadas foram automaticamente associadas ao sangue e ao coração pelos povos antigos. Por isso, ainda hoje há quem as utilize na tentativa de interromper sangramentos ou ainda para a proteção contra feridas, depressão, pesadelos e venenos. Acredita-se ainda que a pedra preciosa fortaleça o coração, direcionando o ritmo e os batimentos cardíacos, além de prezar pela pressão e pela circulação sanguínea.

A Granada regenera o corpo e estimula o metabolismo. Trata problemas de coluna e os distúrbios celulares; purifica o sangue, o coração e pulmões. Regenera o DNA e ajuda na assimilação de minerais e vitaminas.

A granada é, também, muito benéfica para a parte psíquica: é guardiã das amizades verdadeiras, auxilia nos problemas do casamento. Observou-se, inclusive, que a granada muda de cor quando em ambiente hostil, isto é, escurece diante de fases difíceis. Quando reconhece os problemas, a granada os ameniza e depois volta a brilhar com o vermelho da paixão.

Precisa de mais algum motivo para usar uma joia com Granada? Acho que não né.

 

⇒ Signos associados à Granada

 

Beneficia principalmente os signos de Aquário, Leão, Áries, Escorpião e Capricórnio.

 

 

Veja algumas joias:

 

 

 

Muito legal conhecer um pouco mais sobre as pedras preciosas e seus significados né? Em breve falaremos mais sobre este assunto 🙂

 

 

Leia mais:

Top 5 tendências para os casamentos de 2018

Buquês em diferentes formatos, cores e texturas

Casamento na praia, e se chover?

3 comentários “Granada, a pedra do mês de janeiro

Deixar um comentário