Lua de Mel na Polônia

Lua de Mel na Polônia: o que há de mais bonito em Cracóvia e Varsóvia

 

Quem é que nunca pensou em uma viagem de lua de mel em meio aos cartões-postais do velho continente?

No Leste Europeu, às costas do Mar Báltico, a Polônia é um país que foge dos clichês românticos mais famosos, mas ainda assim inspira casais de todas as partes do mundo a desbravarem suas belezas que também são dignas de uma viagem a dois – principalmente aos apaixonados por cultura, arte e experiências gastronômicas (há restaurantes de todos os tipos, de estrelados pelo Guia Michelin a estilos mais casuais que não ficam para trás no quesito charme).

Em Cracóvia e Varsóvia, essa última capital do país, os encantos começam pela arquitetura, passando pelos ares históricos e chegando até a cena artsy que é um dos seus grandes atrativos. Nessas duas cidades tão cheias de autenticidade, uma viagem de honeymoon é pedida certa para garantir momentos especiais que serão lembrados a vida toda. 

 

Leia a matéria e descubra um destino que pode ser o ideal para vocês!

 

 

Cracóvia

 

Não há dúvidas: é encantador passear pelas ruas de Cracóvia. A cidade está às margens do Rio Vístula, o que por si só já garante um cenário bem bonito. 

 

Considerada uma das cidades mais inspiradoras da Polônia, a mais antiga e talvez também uma das mais belas, Cracóvia já foi lar de grandes artistas e personalidades icônicas, incluindo o poeta Czesław Miłosz, vencedor do Prêmio Nobel da Literatura em 1980.

Seu centro histórico, dono de grandes tesouros da cultura polonesa, foi declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, se destacando com a Praça Rynek Glowny, uma das maiores praças medievais de todo o continente.

Em uma visita à praça, vale aproveitar para encaixar no roteiro uma parada no Market Square, o mais famoso mercado da cidade, e ainda explorar diversos restaurantes, parques, lojas e bares que rodeiam a atração e garantem caminhadas românticas sob a charmosa atmosfera de Cracóvia.

O passeio ainda pode se estender até o complexo Wawel, um antigo quartel-general dos reis da Polônia que abriga diversas joias arquitetônicas, incluindo o Castelo Real, comparado por muitos ao Palácio de Buckingham da Inglaterra por conta da sua importância histórica aos poloneses, e a Real Catedral Basílica dos Santos Estanislau e Venceslau, responsável por armazenar restos mortais de antigos monarcas do país. 

 

A arquitetura da cidade mistura vários estilos e acaba também roubando a cena nas paisagens. Entre o barroco, o gótico, o renascimento e o art nouveau, as construções históricas estão por todo o canto: a começar pela imponente Basílica de Santa Maria, de arquitetura gótica do século 12, e a pequena Igreja de São Adalberto, erguida a quase mil anos – as duas também localizadas na cidade velha.

 

Os museus de Cracóvia também estão instalados em edifícios históricos, e há o que se apreciar tanto dentro quanto fora deles. O Museu Judaico Galícia, por exemplo, deve ser parada obrigatória aos casais que procuram mais conhecimento sobre a história do país. Localizado no bairro judeu de Kazimierz, o museu foi criado em memória das vítimas do Holocausto e documenta os remanescentes da cultura judaica através de uma extensa coleção de fotografias. Também são imperdíveis o National Museum in Krakow, o Museum of Contemporary Art – ocupando uma área de mais de quatro mil metros quadrados –, a National Gallery of 19th-Century Polish Art e a Bunkier Sztuki Contemporary Art Gallery.

Outra dica interessante para os recém-casados é aproveitar os jardins verdejantes do Botanic Garden, projetado nos campos da Jagiellonian University e fundado em 1783. Para fugir um pouco dos atrativos urbanos e respirar o ar puro das plantas, além de observar fontes e lagos, vale a pena incluir uma visita à atração, que ostenta diferentes tipos de flores – incluindo até espécies carnívoras – em uma área de quase 10 hectares. O jardim ainda costuma receber diversas performances musicais e programações culturais nos meses de verão, tornando o clima ainda mais propício para se aproveitar a dois momentos ao ar livre.

 

Varsóvia

 

A vibrante capital do país também tem muito a oferecer para os casais em lua de mel. Seu centro histórico, assim como Cracóvia, também foi reconhecido pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade, ostentando uma arquitetura do século 17 e também chamando atenção com uma praça de formato triangular cercada por monumentos históricos: a Plac Zamkowy.

 

Por lá, além das carruagens e dos artistas de rua que tornam o cenário ainda mais encantador, vários cafés compõem as paisagens do local e, nos dias mais quentes, suas mesinhas são postas nas calçadas deixando o clima ainda mais charmoso e animado.  

 

De frente para a Plac Zamkowy, o antigo palácio Castelo Real também pode ser visto. Considerado um dos principais símbolos da história do país, o local foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial e reaberto em 1984 após a sua total reconstrução. O palácio já serviu de residência de antigos reis e também já foi sede do Parlamento polonês. Os aposentos do rei, as salas onde trabalhavam os senadores, o salão em que se realizavam os banquetes e até a sala do trono podem ser apreciados de pertinho. O castelo ainda ostenta em seu interior algumas pinturas monarcas, afrescos religiosos, tapeçarias históricas e obras de arte produzidas por consagrados artistas, como Rembrandt.

E não é só esse palácio que merece ser visitado na cidade: há também o Palácio Lazienski, um edifício de estilo neoclássico projetado sobre as águas e que servia como residência de verão do rei Estanislau, e o Palácio Krasinski, de estilo barroco erguido no século 17 . 

Já na praça Rynek Starego Miasta, localizada na parte central da cidade velha, estão os Museu de Varsóvia e o Museu de Literatura Adam Mickiewicz, atrações obrigatórias para quem deseja mergulhar no passado da capital. No Museu Adam Mickiewicz, criado em 1950, manuscritos e artigos históricos relacionados ao escritor polonês Adam Mickievickz ficam em exibição, além das exposições sobre outros grandes autores do país.

Enquanto o Museu de Varsóvia, fundado em 1936, é dedicado a fatos históricos da cidade, reunindo coleções de objetos antigos e os conectando a eventos de grande importância na história da capital. Outros museus que valem incluir na viagem é o Museu Chopin, sobre o famoso músico polonês, o Museu do Levante de Varsóvia, dedicado à revolta da cidade de 1944, o Polin Museu de História dos Judeus e o Museu Nacional de Varsóvia, um dos maiores da Polônia e o maior de toda a capital. 

Varsóvia também tem área verde: o Parque Lazienski é um deles, com quase 80 hectares – o maior da capital – e abrigando, além do Palácio Lazienski, o monumento mais famoso de Chopin, o Palácio Belvedere e o Templo de Diana, além de bosques, lagos, gramados, estátuas e estufas de flores. A lista ainda se complementa com o Saxon Garden, fundando no século 18, e o Krasiński Garden, onde estão instalados o Palácio Krasinski e o Monumento à Revolta de Varsóvia.

 

Onde ficar em Cracóvia

 

Hotel Corpenicus

 

Instalado na Kanonicza, rua mais antiga de Cracóvia e também uma das mais belas –, o Hotel Copernicus tem fachada de estilo gótico e é o primeiro Relais & Châteaux de toda a Polônia.

 

As elegantes suítes têm design que transita entre o clássico e o      contemporâneo, além de ostentarem vistas para o Castelo Real e permitirem um panorama da cidade através de suas amplas janelas – algumas delas ainda são decoradas com afrescos e pinturas do século 16.

Na gastronomia, destaque para as receitas tradicionais do Copernicus Restaurant, reinterpretadas pelo chef Marcin Filipkiewicz.

Para relaxar, os hóspedes ainda têm à disposição os tratamentos de bem-estar proporcionados pelo Copernicus Spa By L’occitane. 

 

Onde ficar em Varsóvia

 

Hotel Bristol, a Luxury Collection Hotel, Warsaw

 

Com localização privilegiada, próximo a pontos de interesse como a cidade velha, o Teatro Nacional e o Castelo Real, o hotel é um marco arquitetônico na cidade em estilo Art Nouveau.

 

As acomodações misturam o clássico e o moderno, privilegiando o conforto do hóspede, mas sem deixar de lado toda a atmosfera elegante que se vê na capital – há nuances de Art Deco no design, além de mobília exclusiva, detalhes clássicos e amplas janelas marcadas pelo panorama da cidade.

 

A gastronomia é destaque com o Marconi Restaurant, de culinária internacional, e o famoso Café Bristol, que funciona desde 1901 e ostenta um estilo vienense do lado de dentro.

A lista de atrativos ainda se complementa com centro fitness, piscina indoor aquecida e spa com hammam e tratamentos relaxantes dedicados ao bem-estar.

 

 

Gostaram das dicas? Vocês curtem arte e natureza?  

Deixe suas dúvidas nos comentários, estamos aqui para ajudar. 😉

 

teresa-perez-tours-e-caseme

 

 

Leia também:

 

Lua de mel na Áustria artística: Viena e Salzburgo

 

 

Dicas para Lua de Mel em Paris

 

 

Lua de Mel em Tóquio – os bairros mais encantadores da metrópole japonesa

 

 

 

Deixar um comentário