Lua de mel no Quênia

 Reserva Nacional Masai Mara e Parque Nacional de Amboseli

 

Pensar em lua de mel é pensar em experiências inesquecíveis – e isso a África tem de sobra. A começar pela África do Sul: das cosmopolitas Joanesburgo e Cidade do Cabo à região vinícola que é destaque com Stellenbosch e Franschhoek – suas belezas são inúmeras.

 

E por que não escolher um destino de safári que combina vida selvagem com excelência nos serviços e exclusividade?

 

No Quênia, reservas naturais guardam atrativos emocionantes e ainda é bacana aproveitar o charme dos lodges, que têm a natureza como pano de fundo. Parecem cenas de filme, que nos fascinam desde criança com o protagonismo dos pequenos e grandes animais, observando-os de um jipe à distância ao longo das surpreendentes savanas que se estendem em um cenário árido a perder-se de vista. Para explorar o que o continente tem de melhor – e de mais bonito também!

 

 

Para quem sempre sonhou em fazer uma viagem de safári, o Quênia é um dos destinos mais tradicionais. Ideal para conhecer de junho a outubro, a Reserva Nacional Masai Mara e o Parque Nacional de Amboseli – o primeiro o mais visitado do país e o segundo declarado Reserva da Biosfera pela Unesco – garantem experiências pra lá de inspiradoras com a vida selvagem local: durante essa época, o Masai Mara é palco da Grande Migração, fenômeno em que diversas espécies percorrem milhares de quilômetrospor conta das mudanças de estação em busca de água e alimento.

 

 

Enquanto isso, no Amboseli, o segundo mais famoso parque do Quênia, as manadas de elefantes que estão entre as maiores do continente dividem a atenção com as vistas belíssimas do Monte Kilimanjaro, o ponto mais alto de toda a África. Para essas jornadas de aventura, a capital Nairóbi – também centro econômico do país – é ponto de partida.

   

Búfalos, leões, elefantes, gnus, zebras, leopardos e girafas em grande concentração. Esse é um dos espetáculos da vida selvagem mais incríveis de se apreciar no Masai Mara, situado na região sudoeste do Quênia.

 

Imagina ter uma perspectiva de tudo isso lá do alto? Um safári de balão, realizado pela manhã, permite que os casais apreciem em um romântico passeio os ângulos mais interessantes da reserva, coberta por pastagens e bosques de acácia que formam para esses grandes mamíferos o habitat perfeito. 

 

Por essas extensas savanas, há muito para ser fotografado: a área cobre uma dimensão de mais de 1.500 quilômetros quadrados, guardando surpresas impressionantes que vão além da natureza legítima. Lar também da tribo dos Masai, povo conhecido por suas vestes vermelhas e lanças pontiagudas, a reserva também abriga fazendas coletivas e centros comunitários, o que garante muita aventura aos visitantes e permite sua maior proximidade à autêntica cultura queniana. 

 

O ideal é explorar as savanas logo nas primeiras horas da manhã – esse é considerado um dos melhores momentos para a observação de grandes felinos. Os safáris normalmente acontecem a bordo de jipes bem equipados – embora também haja a opção de realizá-los a pé –, acompanhados de guias especializados que narram detalhadamente a rotina dos bichos. Mas essa não é a única hora do dia para estreitar o vínculo com os animais selvagens: os safáris noturnos também são opções interessantíssimas para acompanhar os hábitos de algumas espécies que são mais ativas durante a noite. 

 

No Quênia, o Parque Nacional de Amboseli também não pode ficar de fora do roteiro. A quatro horas da capital Nairóbi, na divisa do Quênia com a Tanzânia, o parque ocupa uma área de quase 40 mil hectares e é conhecido como uma das regiões da África com a maior concentração de elefantes que circula livremente pelos seus arredores. O local ainda foi declarado Reserva da Biosfera pela Unesco em 1991, se tornando o segundo parque nacional mais visitado do Quênia. 

 

Tanto quanto no Masai Mara, seu cenário impressiona: há um contraste entre as zonas áridas e os pântanos, abastecidos por água subterrânea vinda do derretimento da calota de gelo do Monte Kilimanjaro, o pico mais alto de todo o continente com os seus quase seis mil metros de altura – que, ao fundo, ainda complementa o visual das paisagens do parque. Além dos elefantes, o Amboseli é lar de mais de 50 espécies de mamíferos, incluindo rinocerontes, leões, gazelas e hienas – o solo úmido dos pântanos é propício para essas espécies.

 

Depois de tanta aventura – de dia ou à noite –, os lodges inseridos à natureza garantem o conforto e bem-estar dos casais com acomodações espaçosas, serviços personalizados e uma gastronomia que costuma se inspirar na natureza local. Isso tudo sem deixar de lado a preocupação com a conservação ambiental: eles são sempre muito ecológicos e privilegiam recursos sustentáveis para evitar qualquer tipo de agressão ao meio ambiente. 

 

Onde ficar

 

Reserva Nacional Masai Mara

 

Angama Mara

 

Localizado logo acima do Grande Vale do Rift, no exato cenário do filme Entre Dois Amores (1985), o lodge é composto de dois pequenos camps de 15 tendas cada, com livre acesso à Reserva Nacional Masai Mara. Ali cada dia é literalmente personalizado para cada hóspede, que pode escolher entre game drives em 4×4, passeio em balão, safáris a pé, piqueniques nas montanhas, visitas culturais às vilas masais vizinhas ou simplesmente apenas curtir a hospitalidade queniana com vista para o Vale do Rift e arredores.

 

 

 

and Beyond Bateleur Camp

 

Localizado aos pés das escarpas Oloololo, na Reserva Nacional Masai Mara, este clássico e elegante camp tem extensa concentração de vida selvagem em seus arredores, inclusive durante a Grande Migração. Romântico, sua decoração reflete o charme dos anos 1920 e 1930, fazendo jus ao fato de dividir espaço com a locação das cenas finais do filme Entre Dois Amores (1985). Ali ganham destaque também os safáris noturnos, as visitas a comunidades masais, os cafés da manhã em plena savana e os inesquecíveis sundowners à beira do Vale do Rift.

 

 

Parque Nacional de Amboseli

 

Tawi Lodge

 

São apenas 13 luxury cottages cheios de privacidade e conforto (incluindo charmosas banheiras vitorianas), protegidos por imensas acácias e outras árvores nativas. Com direito a alta gastronomia (com produtos vindos dos próprios jardins orgânicos cuidadosamente cultivados), diferentes lounges e dois incríveis bares para observar os elefantes aos pés do Kilimanjaro a poucos metros de distância.

 

 

 

Elewana Tortilis Camp

 

Batizado em homenagem a uma das espécies de acácia que povoam o Parque Nacional de Amboseli (acácia tortilis), trata-se de um camp composto de espaçosas tendas com vistas exuberantes para o Monte Kilimanjaro. Um dos primeiros ecolodges de luxo do país, é 100% abastecido por energia solar. O grupo Elewana promove também o SkySafari, mesclando Amboseli, Masai Mara e outros destinos do Quênia (além de Tanzânia) em uma mesma jornada, em que o deslocamento pelos lodges é feito a bordo de pequenos aviões com configuração de classe executiva.

 

 

 

Vocês se imaginam passando a lua de mel no Quênia?

Nós adoramos a matéria que a Teresa Perez Tours preparou para nós, e vocês?

 

teresa-perez-tours-e-caseme

 

Leia mais:

Lua de Mel no Egito

Lua de mel em cenários naturais na Zâmbia e Zimbábue

3 paraísos brasileiros perfeitos para uma breve lua de mel

Deixar um comentário