Quando o destino está traçado ele simplesmente está, o amor nos encontra, o amor une.

Ana estava na Bélgica fazendo intercâmbio, enquanto Leo havia acabado de retornar à Bélgica depois de passar 1 ano e meio no Brasil aprendendo português. Aonde eles se conheceram? Na rua, de forma casual e bem sem querer, o português da Ana chamou sua atenção. Legal né?

Quer saber mais sobre a sua história e como foi seu mini destination wedding na Praia dos Carneiros? Veja todos os detalhes aqui:

 

Noivos: Ana Góes e Leo Maet

Data: 12/08/2017

Local: Igreja de São Benedito e Sítio Boa Esperança – Praia dos Carneiros, Pernambuco.

 

◊ ANTES DO CASAMENTO

História do casal: Conheci o Leo em abril de 2010, na Bélgica. Eu estava no país por causa de um intercâmbio e normalmente ficaria somente um ano, já tinha passagem comprada para voltar para casa em setembro.

Ele tinha acabado de voltar à Bélgica, depois de 1 ano e meio morando no Brasil. Ele tinha ido estudar português. Sempre gostou muito do Brasil, porque é apaixonado por futebol.

No dia em que nos conhecemos eu tinha saído com umas amigas na cidade onde ele morava (e hoje moramos juntos). Ele me viu com minhas amigas andando e conversando pela rua, e o português que falávamos chamou a atenção dele.

Depois ele nos viu novamente, num bar/boate e veio falar conosco, perguntando se éramos brasileiras. Conversamos um pouco no dia e trocamos telefone, mas só na amizade mesmo. Pensei que ele queria praticar o português dele.

Naquele tempo não existia Whatsapp, nos comunicávamos por sms e às vezes por Msn. Chegamos a marcar umas 2x de nos encontrarmos, mas sempre na base da amizade. Tínhamos tanto em comum e nos sentíamos tão bem na companhia, ou simplesmente falando um com o outro, que a paixão foi surgindo de um jeito natural, mas quando veio, foi com tudo 🙂

O nosso primeiro beijo foi no dia 12 de junho de 2010, depois de um encontro para jantar. Naquele dia eu senti que eu tinha encontrado o homem com quem um dia eu me casaria. E eu sabia exatamente onde: Uma igrejinha à beira da praia, no litoral de Pernambuco.

Conheci essa igreja quando era adolescente e a achei tão linda… era um cenário e uma energia tão boa que falei pra mim mesma: se um dia eu me casar, vai ser aqui.

Fiquei muito feliz quando anos depois, levei o Leo pra conhecer essa igreja e ele a achou incrível. Ela é, na verdade, a nossa cara. Somos apaixonados por praia e por mar, passamos todas as nossas férias no litoral. Detestamos frio e neve.

Também não somos o tipo de casal que gostaria de se casar numa igreja grande, suntuosa, ou em um salão de festas. Gostamos do rústico, da luz do dia, do barulho do mar…e aquela igreja tinha tudo o que queríamos.

 

O pedido de casamento: O Leo me pediu em casamento no dia 12 de junho de 2015, durante as férias que passamos na Espanha, na ilha de Menorca.

Fomos assistir ao pôr do sol no farol, em um lugar bem distante na ilha. Levamos uma garrafa de espumante pra aproveitar o momento (porque também era o dia dos namorados e o dia em que estávamos completando 5 anos juntos). O Leo esperou até que não houvesse ninguém mais no local. Éramos só ele e eu, em um lugar que parecia o fim do mundo. Foi lindo! O anel eu uso até hoje, já que aqui na Europa, a tradição é usar o anel de casamento junto com o anel de noivado, na mão esquerda.

 

◊ O CASAMENTO

 

Os preparativos: O casamento foi todo organizado à distância. Por sorte tinha minha mãe, minha irmã e uma grande amiga, que me ajudaram com TUDO. Eu sempre fazia o primeiro contato com os fornecedores, mas haviam coisas não poderiam ser resolvidas à distância, como prova de buffet, doces, bolo e outros, então elas faziam pra mim.

O meu primeiro contrato fechado foi o cerimonial. Fechei com assessoria parcial e foi muito importante, me ajudaram muito indicações e referências de fornecedores, e também em outras funções. Noiva de primeira viagem fica meio perdida, às vezes…

 

O vestido de noiva: Foi muito difícil escolher meu vestido de noiva. Tudo o que eu via na linha “praia” era MUITO simples e às vezes menos “noiva”. Eu queria algo entre o tradicional, mas que fosse sequinho e leve, que desse para mexer bastante, porque eu AMO dançar.

Às vezes eu encontrava um vestido LINDO, perfeito pra praia, todo em renda, mas não me sentia “noiva” com ele. Às vezes eu encontrava um vestido “noiva”, mas que faltava a pegada “praia”.

Depois de provar MUITOS e de saber exatamente o modelo que ficava bem no meu corpo, escolhi um que me agradava na Le Chapeau, mas ele era tomara que caia… Levei a uma estilista, Proud Marie, e juntas pensamos em uma alcinha de renda, com pérolas bem pequenas. Isso dava exatamente o toque diferente e leve que eu procurava no vestido.

O vestido tinha uma cauda, mas não muito longa. Prendi logo que a festa começou, pois ela me incomodava pra dançar, e eu não queria que os convidados pisassem nele.

Usei uma grinalda de orquídeas amarelas. Orquídeas são as minhas flores favoritas e elas também estavam presentes no buquê. E usei um véu, não muito longo (3m), mas só durante a igreja.

Dica: A dica que eu dou pra quem está começando a procurar é: pense em tudo quando estiver escolhendo o vestido, na decoração, no buquê, casamento de dia, de noite… Na minha opinião, tudo junto deve contar uma história e refletir quem você é. Existem vestidos lindos por aí, mas que não necessariamente combinam com o local, o horário e a vibe do seu casamento. Se eu tivesse escolhido um vestido princesa, bem armado, não teria nada a ver comigo e nem com o meu casamento.

Acessórios: Sempre quis casar com flores naturais no cabelo, acho lindo, delicado e tudo a ver com a praia.

Os brincos foram meu “something borrowed”, de uma grande amiga minha. A sandália optei por um modelo anabela. Meu casamento foi na praia e a recepção em um jardim, eu não queria ficar afundando na grama.

 

Making ofEstávamos todos hospedados na mesma casa, minha família, a dele e de uma grande amiga também. A nossa festa foi no jardim dessa casa, que era enorme. Mas dormimos em quartos separados no fim de semana do casamento, hahaha. Foi bom… usamos esse tempo “separados” para escrever os nossos votos.

Eu estava MUITO nervosa. Essa praia fica a 2h30 de Recife, não tem muita infra-estrutura, então se faltasse qualquer coisinha, não seria fácil de resolver. Tínhamos convidados chegando da Bélgica nesse fim de semana, eu tinha que traduzir e resolver tudo, porque eles não falavam português… foi estressante.

Na sexta à noite, antes do casamento, eu resolvi relaxar. Não tinha mais muito o que fazer… Fizemos um churrasco com as famílias e os amigos mais próximos, e resolvemos os últimos preparativos juntos: cortamos os papeizinhos para as mesas e os menus, enchemos os frasquinhos de bolinhas de sabão e fazendo lacinhos de fita nas rasteirinhas. Foi uma farra e uma noite muito especial.

Cerimônia: Eu estava muito emocionada, foi um momento pelo qual eu esperei muito. Tudo foi planejado com muito carinho, para poucos e bons amigos, um clima bem intimista.

Eu entrei na igreja chorando e sorrindo ao mesmo tempo.

Mas o que mais emocionou na cerimônia foi, sem dúvida, os votos que o Leo fez pra mim. Ele falou de como foi difícil o começo da minha vida na Bélgica, do quanto ele reconhece o meu esforço em, até hoje, ficar longe do meu país, da minha família e dos meus amigos. Todo mundo chorou. Até os fotógrafos 🙂

Padrinhos e madrinhas: Não queríamos os tradicionais casais de padrinhos, mas somente os nossos melhores amigos e mais próximos, como padrinhos. Escolhemos pessoas que foram importantes para nós, durante os anos de relacionamento. O Leo teve 3 padrinhos, eu 2 madrinhas e um padrinho.

Damas e pajens: A daminha e o pajem foram respectivamente minha sobrinha, que tem 2 anos e meio, e o filho da minha amiga, de 1 ano e 8 meses. As mães estavam apreensivas se eles entrariam ou não, mas eu, no fundo, sabia que daria certo.

Um pouco antes da cerimônia, no entanto, minha sobrinha deu um escândalo, rs. Não queria calçar o sapato, não queria usar a coroa de flores… Bom, entrou sem os dois, mas entrou. Achei até bonitinha ela descalça.

Local da festa: A igrejinha fica em um território privado, então tive que resolver tudo com os donos do local. Reservei a igreja e a casa grande, uma casa enorme com jardim, que foi o local da recepção. O dono do local foi super prestativo e deu tudo certo.

 

Decoração: Eu sempre tive muito claro na minha cabeça o que queria: uma decoração bem tropical em tons quentes, sem aqueles arranjos ajeitadinhos, cheios de rosas. Gosto muito de rosas, mas acho que uma decoração assim não tinha nada a ver com praia.

Eu procurei muito, mas os decoradores em Recife pareciam adorar o estilo que eu detestava.

Fiquei muito feliz quando conheci, pela internet, o trabalho da minha decoradora, France Medeiros. As decorações dela levavam orquídeas, bromélias, tulipas, suculentas e folhagens… totalmente diferente do que eu via em Recife.

Entrei em contato por email, enviei umas fotos do que tinha em mente e fomos conversando por mais de um ano. A princípio eu pensava em uma decoração em tons de amarelo, mas ao acompanhar melhor o trabalho dela e ver como ela harmonizava bem as cores e flores pedi para ser colorida.

Tivemos uma conversa por Skype um mês antes do casamento para alinhar alguns pontos. Ela foi, sem dúvida alguma, o meu melhor contrato.

No dia do casamento, quando vi as mesas prontas, o meu buquê, enfim tudo do jeito que eu sempre havia sonhado, vieram lágrimas nos olhos de alegria. Eu não posso dizer o quão grata eu fiquei pela sensibilidade que France teve, mesmo de tão longe, em captar tudo o que eu queria… Eu sonhei tanto e ela conseguiu tornar meu sonho em realidade. Costumo dizer que ela transformou o meu sonho em flor.

Música da festa: Tivemos música ao vivo durante cerimônia (voz e violão) e uma orquestra durante a recepção. Após a orquestra tocou um Dj. Foi SUPER animado, a começar por nós, noivos, dançamos muito.

Buffet: Como não casamos em uma casa de recepção, trouxemos o buffet de Recife. Montamos o menu junto com o pessoal do Villa Sandino: um menu com bastante frutos do mar e elementos regionais.

O nosso serviço de jantar foi à francesa, existiam 3 opções de prato principal para os convidados escolherem, entre peixe, carne e camarão. As opções de entrada, entre frias e quentes, eram 6.

Depois, durante toda a festa, tivemos o serviço de coquetel volante e a mesa americana.

Tivemos serviço de caipifrutas do próprio buffet, espumante, cervejas, vinho tinto e vinho verde, além das bebidas não alcoólicas.

Ficamos super felizes com o serviço do buffet e recomendo demais. Talvez pelo serviço ter sido à francesa, tivemos tempo de comer e beber tranquilos.

 

Registros: Contratamos foto e filmagem. A fotógrafa nós já conhecíamos desde o casamento da minha irmã e gostamos muito do trabalho dela. Ela fez mais dois ensaios nossos, durante temporadas que passou aqui na Europa. Isso foi ótimo, pois como meu marido é meio tímido, já a conhecia e ficou super relaxado durante o casamento. Hoje a nossa relação com a Luka Santos é mais de amigos do que de contratado/contratante.

A filmagem foi uma indicação dela e confiamos totalmente. Sem arrependimentos, é um pessoal bem com a nossa vibe. Isso eu acho super importante, contratar gente que tenha a ver com o casal, assim fica todo mundo mais à vontade a as fotos saem naturais e lindas.

Convidados: Nosso casamento foi um mini-wedding. Éramos 80 pessoas, no total, contando com nós dois e a nossa família. Fizemos questão de só chamar amigos e familiares mais próximos. Fico feliz em não ter tido nenhum convidado “por conveniência”. No final apenas 3 convidados faltaram.

Como todos os convidados eram pessoas muito próximas, procurei confirmar todas as presenças via telefone e Whatsapp. Isso era muito importante, pois fizemos questão de ter mesas com os lugares marcados e de separar os diferentes grupos e/ou pessoas que não se conheciam, mas que achamos que se dariam bem, por mesas.

Como o nosso serviço de jantar foi à francesa, também precisávamos da quantidade mais exata possível para repassar ao buffet.

Boa parte dos meus amigos já se conheciam de outros carnavais e os que não se conheciam acabaram tendo contato antes do casamento, por exemplo, durante a organização da minha despedida de solteira. Reuni todas as amigas (e os amigos gays) em um grupo de Whatsapp e eles organizaram tudo, uma surpresa maravilhosa pra mim. Foi uma farra muito boa, todos dançaram e rimos muito juntos.

No casamento estavam sentados com quem tinham mais afinidades durante o jantar. A pista de dança ferveu durante a festa.

 

◊ APÓS O CASAMENTO

Lua-de-mel: Fomos pra Arraial D’Ajuda e Trancoso, na Bahia. Amamos!

 

Presentes: Nós fizemos um site de casamento, pelo wordpress. Nele colocamos o número da conta, para quem quisesse nos dar um presente. Como já moramos juntos há 7 anos nossa casa já está montada, então não fazia muito sentido receber itens para casa, muito menos levar tudo no avião. Escrevemos no site que quem pudesse e quisesse, poderia sempre pagar uma caipirinha, um acarajé ou uma moqueca durante a nossa lua de mel. Agradecemos cada presente, pessoalmente.

Ficha técnica:

✓ Cerimonial e Assessoria – Da Fonte e Nadal

✓ Celebrante – Diácono Maurício

✓ Local da Cerimônia –  Igreja de São Benedito na Praia dos Carneiros – Pernambuco

✓ Local da Festa – Sítio Boa Esperança na Praia dos Carneiros – Pernambuco

✓ Vestido de Noiva – Le Chapeau + Proud Marie

✓ Grinalda – Atelier Guarda

✓ Cabelo e Maquiagem –  Edson Câmara

✓ Sapatos – Dona Rosa

✓ Buquê e Lapelas dos padrinhos – Delicata Decor

✓ Roupa das Damas e Pajens – Da daminha foi feita pela costureira, o pajem tinha camisa Thommy Hilfigher, calça, suspensório e sapatos Zara.

✓ Alianças – Vivara

✓ Música Cerimônia (Coral, Orquestra) – Larissa Lisboa

✓ Música Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria) – Orquestra Novo Tempo

✓ Foto – Luka Santos

✓ Buffet e Bar – Villa Sandino

✓ Decorador – Delicata Decor por France Medeiros

✓ Iluminação – Facury Luz Cênica

✓ Bolo – Benta Brigaderia

✓ Doces – Benta Brigaderia, Jurupá Doces e  Flor de Açúcar Patisserie

✓ Bem-casados – Wilde Bem-casados

✓ Convite e identidade visual – os noivos

✓ Roupa do noivo – Belise (sob medida, na Bélgica)

✓ Gerador – Smais estruturas

✓ Lua de mel – Arraial d’Ajuda, Bahia

✓ Lista de presentes – Site




Leia mais:

Nova coleção de vestidos de noivas prêt a porter Julia Golldenzon

Horário ideal para servir o buffet em um casamento na praia

Decoração para cerimônia ao ar livre

 

Deixar um comentário