Como acertar a quantidade de bebida alcoólica em seu casamento? Confira as dicas da cerimonialista Thaïs de Carvalho Dias, e não erre!

 

As bebidas alcóolicas são, em grande parte, as responsáveis pelo sucesso e a animação da sua festa de casamento. Existem diversos fatores que podem influenciar na quantidade, como por exemplo o horário da recepção, o tempo de duração, a faixa etária dos convidados e outros, mas nada como contar com a experiência de alguém do ramo para nos auxiliar. Confira as dicas da cerimonialista Thaïs de Carvalho Dias.

 

Bebidas

 

◊ Vinho tinto: 1 caixa com 12 garrafas para cada 100 pessoas. Tem feito sucesso e marcado presença nos casamentos, no verão é possível diminuir a quantidade ou até substituir por mais espumante.

 

◊ Whisky: 1 caixa com 12 garrafas para cada cem pessoas.

 

◊ Vodka: 1 caixa com 12 garrafas para cada cem pessoas.

 

◊ Sakê: 1 caixa somente quando tiver o bar de caipirinha. É legal dar opção de “caipirinhas” de vodka, saquê e cachaça, e não há a necessidade de diminuir a quantidade de vodka, ela ainda é a preferida dos convidados.

 

◊ Espumante: 4 caixas com 12 garrafas para cada cem pessoas. Ou seja, mais ou menos 1 garrafa para cada 2 pessoas. Se o espumante for servido o tempo todo, como geralmente é, não há a necessidade de ter vinho branco.

 

◊ Cerveja: 1 garrafa para cada convidado. Não é aconselhável servir a cerveja volante pelos garçons, o ideal é servir apenas no bar, fica mais elegante e evita que a bebida esquente. Muitos buffets tem cerveja, o serviço é pago à parte. Verifique o custo/benefício de levar as bebidas de fora ou usar as do buffet.

 

Não pode faltar:

Não pode deixar de ter: whisky e espumante.

 

Consignação:

 

A consignação é a forma ideal de contrato para as bebidas alcoólicas do seu casamento. Geralmente funciona da seguinte forma: você contrata um fornecedor de bebidas, acerta o preço por garrafa e paga de 50% a 70% do valor das bebidas e depois do casamento paga o excedente que tiver consumido. Este esquema é perfeito porque você não precisa pagar pelas garrafas não utilizadas. Mas fique atento a algumas exigências comuns destes fornecedores: As caixas devem estar secas para devolução, por isso é importante que o buffet tenha o cuidado de deixar as caixas em local seco. As garrafas geladas não são aceitas como devolução, por isso também vale um cuidado do buffet em não gelar todo o estoque, a consignação perderia sua função. Busque orientação com o seu cerimonial e dê preferência para os fornecedores que fazem consignação.

 

Costuma valer mais a pena trazer o whisky e a vodka do freeshop, do que comprar em consignação. Como o casamento é marcado com muita antecedência, vale ficar atento aos familiares e amigos que irão viajar.

 

10620753_677557218979049_7379154379502945457_n-475x475

Taxa de rolha:

 

Os buffets não costumam cobrar taxa de rolha, mas muitos clubes, hotéis e casas de festas, sim. A taxa de rolha é uma taxa justa, afinal eles terão os custos com os copos, garçons, gelo e toda a estrutura para servir as bebidas. A dica é negociá-las pelo serviço e não por garrafa. Lembre de conversar com seu cerimonial sobre esta taxa com antecedência para vocês avaliarem os custos e benefícios de comprar bebidas por fora ou fechar o serviço completo com o buffet.

 

10703946_691306114270826_5494107061035515473_n-475x475

 

Leia também:

Bar de Caipirinhas

Help Bar: como contratar um Open Bar

Organização pós casamento

 

Deixar um comentário