Inspire-se com este casamento romântico em tons de rosa claro.

Noivos : Ana Paula Ozenda Fontes e João Victor Villaça Rodrigues Ferreira

Data: 16/07/2016

◊ ANTES DO CASAMENTO

História do casal: Nos conhecemos em uma festa! Acho que era para acontecer mesmo, porque nem eu e nem ele somos muito de night! Eu estava em um aniversário e ele aproveitando a vida de solteiro.

Logo depois que nos conhecemos começamos a trocar mensagens direto até finalmente marcarmos nosso primeiro encontro. Ele me ligou em um sábado, logo pela manhã, e perguntou se queria pegar uma praia, no começo fiquei meio envergonhada de ir à praia logo no primeiro encontro, mas minhas amigas me encorajaram e lá fui eu. Depois desse dia não nos desgrudamos mais.

Não tínhamos nenhum amigo em comum!!! Depois de mais ou menos um mês descobrimos que a minha sogrinha fazia teatro com minha prima, madrinha, e costumava dar carona para ela depois do curso…. E com o tempo fomos descobrindo mais algumas coincidências.

O pedido de casamento: Bom, assim como nosso primeiro encontro, a primeira vez que trocamos um “eu te amo” foi na praia e ele escolheu o mesmo cenário para este pedido tão especial!!! Para mim foi PERFEITO!!!! Eu passei uma semana inteira trabalhando em São Paulo e quando voltei para o Rio no sábado de manhã ele me buscou no Santos Dumont e quando estávamos a caminho da minha casa ele comentou que queria tomar uma água de coco na praia, confesso que fui mega chatinha, falei que queria ir direto pra casa descansar, mas ele me convenceu…. deixamos as malas e o carro em casa e descemos para a praia, nós sempre tomamos coco no quiosque perto do posto 12, no Leblon perto de casa, lá fomos nós. Depois ele comentou que queria sentar um pouco na areia, para curtir a brisa do mar (bem coisa do João ahahah), fomos, sentamos e ele tirou o anel !!!! Foi demais!!!!! Do jeitinho que sempre sonhei, só nos dois!

◊ O CASAMENTO

Os preparativos: Marcamos com bastante antecedência porque eu sonhava em casar no mesmo local que meus pais se casaram. O João me pediu em casamento em março, então logo em seguida sentamos para começar a pensar no que faríamos, a principio queríamos algo bem pequeno e algo bem intimo, no próprio salão da Capela, assim como meus pais fizeram. Mais ou menos no final de março fomos à Capela Santa Ignez para marcar a data, eu queria casar no inverno, porque casar no Rio durante o verão é muito quente, então pensamos em uma data entre junho/julho do ano seguinte (2016), já que em agosto a cidade estaria lotada com as Olimpíadas (vivi muitos anos em SP, a maioria dos meus amigos são de lá, meus pais e a família do meu irmão também moram lá, além da família do meu pai que é toda de MG, ou seja, eram muitos convidados de fora, e nas olimpíadas ia ficar um caos, fiquei com medo que alguém deixasse de vir.

Quando vimos as datas, não sei explicar o porquê gostamos do dia 16, e assim foi. Fechamos a capela e assim demos o ponta pé inicial para começar os preparativos.

Depois confesso que não sabíamos por onde começar!!! Nossa sorte foi que a própria capela nos entregou uma lista de fornecedores, ligamos para alguns grupos de músicos da lista e de cara adoramos Os Violinos Mágicos de Murillo Loures. Em nossa reunião com o Flavio, da orquestra, perguntamos se eles indicavam alguém para cerimonial, porque estávamos perdidos e ele nos passou uma série de nomes de profissionais de confiança.

Em seguida começamos nossas reuniões com os cerimoniais e foi instantâneo, quando encontramos a Paulinha Rocha sabíamos que seria ela! Nos encontramos no Rio Design e quando já estávamos indo embora, eu e o João, nos olhamos e ele disse: é ela né? ahahahhah digo a todos que o noivo escolheu o cerimonial!

Depois da escolha da Paulinha, tudo foi mais fácil, ela sempre esteve por perto nos orientando e indicando fornecedores de confiança! Que por sinal, todos ÓTIMOS, super atenciosos e profissionais.

O vestido de noiva: Este foi o único assunto dramático do nosso casamento.

Sempre gostei de vestidos sem muito volume, nunca fui fã de vestidos com muitos detalhes e eu já tinha uma ideia em mente, queria um vestido de renda! Sou apaixonada por renda, ainda mais em noivas! Confesso que me inspirei muito no modelo do vestido da minha mãe….

Como meus pais moram em SP, minha mãe me pediu para fazer o vestido lá, assim ela conseguiria acompanhar as provas e o processo de perto.

Como sou medrosa, queria comprar algo pronto, ou ao menos um modelo para que eu pudesse vestir antes para depois alterar… eu precisava ver antes como iria ficar no meu corpo, tinha medo de encomendar algo e não sair como eu queria e imaginava!

Faltando uns oito meses começamos as buscas! Ia para SP passar o fim de semana com meus pais e aproveitava ir em busca do VESTIDO! Marquei reunião em três lojas que eu conhecia, a Emannuelle Junqueira (sempre amei os modelos dela), a Pronovias, e a Rosa Clará (fui em um casamento que amei o vestido da noiva e era de lá).

Juro, provei cada vestido mais lindo que o outro, estava cheia de dúvidas até que um dia decidi voltar na Rosa Clará para provar um modelo que eu estava apaixonada, mas como ainda não estava 100% decidida resolvi dar mais uma olhada em mais vestidos deles no site. Voltei na loja com três novos modelos e um deles era o meu, foi inédito, provei o primeiro e não tive duvida, nem sequer quis experimentar os outros. Não sei explicar mas quando experimentei sabia que era ele e que não precisava provar mais nenhum, nem mesmo aquele que eu estava na dúvida. Eu Realmente me senti super bem nele, sabia que ele tinha o fundamental para me confortável a noite toda!!!!

Como a produção da Rosa Clará é na Espanha, tive que sofrer seis meses de espera para fazer minha primeira prova oficial!! Confesso que sempre entrava no site só pra ver e namorar meu vestido.

Quando ele chegou, começaram as provas, e a última foi o inicio da minha sofrência pelo vestido… Trabalho e moro no Rio, o que torna impossível ir à São Paulo em um dia útil, e não é que a loja me avisa que eu teria que ir na última prova em um dia de semana? Pois sábado a costureira não poderia atender. Fiquei um pouco chateada com a loja, mas dei um jeito, avisei no trabalho e fui em uma sexta feira (duas semanas antes do casamento) fazer a prova e juntamente pegá-lo!

A última prova foi ótima, chamei quatro amigas bem irmãs para me acompanharem. No sábado peguei meu vestido e acabei não conferindo, já que havia vestido ele na sexta e estava tudo em ordem. Mas na loja questionei as meninas sobre a embalagem, já havia pedido diversas vezes para que elas me arrumassem uma caixa, para protegê-lo durante minha viagem de volta ao Rio, mas mesmo assim a loja garantiu que não havia necessidade e que a capa era suficiente. Pois bem, viajei com ele, um tanto tensa, afinal era meu vestido de noiva! Quando cheguei em casa, onde morava com minha avó, abri o vestido para mostrá-lo e para pendurar no armário para desamassar um pouco a seda da saia e ao tirá-lo da capa veio a surpresa desagradável, havia um rasgo na renda da manga! Na hora eu dei uma surtada! Fiquei super triste e chorei. Minha avó me tranquilizou falando que arrumaria se não tivesse outra opção.

Como era um domingo, aguardei o dia seguinte para entrar em contato com a loja. Infelizmente chamava e ninguém atendia. Decidi mandar um e-mail, com foto explicando o ocorrido e aguardar uma solução. Para minha surpresa, dois dias se passaram e nada de respostas. Continuei tentando contato telefônico sem sucesso. Em seguida gritei por socorro para a Paulinha, que me indicou a Vera, uma santa que veio para salvar meu vestido! Ela marcou sábado lá em casa, a exatamente uma semana antes da noite! Mais um dia de agonia na novela do meu vestido. Ao finalizar o reparo na renda, que ficou imperceptível, ela sugeriu que eu vestisse para ver se estava tudo em ordem e ao vesti-lo a Verinha viu mais um defeito na barra do vestido que até então eu não havia notado. Fiquei muito decepcionada e triste com a loja. A Vera me acalmou e falou que dava um jeito. E de fato deu. Ficou perfeito!

Bom, no fim tudo deu certo, mas passei poucas e boas com essa loja. Acho erros super aceitáveis, mas descaso e falta de respeito eu não admito!

Graças a deus no dia meu vestido estava perfeito! E tudo foi lindo!!!! 

Making ofComo tive que trabalhar a semana toda, acabei transferindo minha ansiedade por produtividade hahahahha. As duas semanas antes foram malucas e eu tava sem tempo, de dia trabalho e de noite resolvendo coisas do casamento. Juro super estressante. Todos sugeriram que eu pedisse folga na sexta ou ao menos pedisse para sair mais cedo, para me dar um tempo para descansar de tudo. Estava meio sem jeito de pedir folga, já que havia pedido antes para a prova do vestido, mas para a minha sorte o meu chefe mesmo me deu este dia de presente! Ufa, dia livre! Para melhorar ainda mais o João me deu uma massagem de presente! Nada melhor que tirar um dia para mim, aproveitei mesmo para descansar. Dormi, fui no salão, fiz a mão, o pé, massagem e hidratação (meu marido é demais hahaha).

Enquanto eu estava nessa maratona trabalho/casamento, o João tinha conseguido a semana de férias antes do casório. O que foi ótimo, porque ele é ainda mais ansioso que eu, e sim, ele estava muito mais nervoso que eu! Além do mais a família dele da Espanha já estava aqui.

Foi bom termos esse tempo para aproveitar as nossas famílias, a minha também chegou antes aqui, meus pais chegaram na quarta.

Tirando a história do vestido, tudo foi perfeito, no timing certo. Desde o inicio até o último instante de festa.

Cerimônia: Esse tópico acaba sendo repeteco lá do principio, já contei tudo… então vou falar sobre a escolha do celebrante. Pedimos sugestão da Paulinha que nos passou alguns nomes, ligamos para eles e simpatizamos de cara com o Frei Zé Pereira. Mais perto do casamento o encontramos na Santa Ignez, para nos conhecer e contar um pouco de nossa história.

A cerimonia foi perfeita do inicio ao fim. O momento de maior nervosismo foi realmente na hora de entrar. Que frio na barriga! Quando encontrei o João no altar, ele estava com a boca pálida de nervoso.

Padrinhos e madrinhas: Essa foi uma escolha difícil pra mim, tenho muitas primas e somos todas muito unidas, além das amigas mais próximas e minha cunhada que não jamais iria deixar de fora. Os Homens para mim foram mais fáceis, com o meu irmão, só haviam dois amigos que fazia questão, e o João tinha exatamente quatro casais de amigos e o irmão dele.

Fizemos uma matemática maluca e acabamos formando ao todo 9 pares, 18 padrinhos. Sabíamos que não era comum, mas era a única maneira de colocar todos lá com a gente! No fim deu tudo certo.

Damas e pajens: Não tínhamos muitas crianças próximas para entrar. Só a irmãzinha do João, filha do segundo casamento do Ricardo (pai dele), que hoje tem 7 anos, e minha sobrinha que tem um ano. Como a Maria estava começando a andar, preferi que meu irmão e minha cunhada a levassem com eles na entrada dos padrinhos. Desta forma a Mariana entrou sozinha levando nossas alianças.

A Marinha entrou com eles e a Mari levou as alianças. As duas estavam lindas demais! Duas bonecas! As melhores daminhas da vida!

Local da festa: A principio desejávamos algo bem pequeno, só com a família e amigos próximos. O problema é que só com a família a festa que sonhávamos para 50 pessoas acabou virando uma lista de 250 convidados. Só a minha família, próxima, eram 100, com a do João, nosso numero subiu para uns 180, mais os amigos próximos, chegamos a esta contagem. Realmente escolhemos muito nossos convidados, foram pessoas que fazem parte da nossa história! Não queríamos um casamento de aparências e sim uma noite especial com pessoas que realmente amávamos.

Com a base da lista pronta, e com a ajuda da Paulinha, concluímos que no dia haveriam em torno de 160/180 pessoas. Este cálculo foi fundamental para a escolha do local. Mais uma vez a Paulinha nos entregou uma lista de lugares. Como a cerimônia seria na Zona Sul, optamos por fazer a festa também para evitar grande deslocamento dos convidados.

Tanto eu como o João, sonhávamos com um casamento de dia e mais natural. Logo que conhecemos a Santa Ignez pensamos em fazer a festa lá, mas pensamos que para casar lá teria que ser cedo para que a festa durar bastante, mas como somos ansiosos, isso significava acordar cedo no dia do casamento, ficamos com receio de termos insônia, ou sei lá, ficamos com medo de casar muito cedo. Por este motivo recorremos a outras opções de salões e optando pela festa à noite. Seguimos uma série de critérios na escolha e no final ficamos entre Jockey (tribuna B, salão maravilhoso com uma linda vista) e o Marriott (também lindo). Por fim, escolhemos o Marriott, era ideal para nosso número de convidados e tinha a infra perfeita para uma festa! O Jockey por ser maior exigia uma festa maior. Não me arrependo! Amei cada momento!!! Me casaria todo mês se pudesse, com o João, óbvio.

Nosso casamento começou com uma idéia e ao longo do ano foi se transformando, no fim foi mais perfeito que eu sonhei!!!

Decoração: Não mudaria nada!

Sou arquiteta e apaixonada por tudo em minha profissão. Não trabalho com decoração, mas amo. No dia que fechamos nossa data no Marriott pedi para que a Lívia, responsável pelos eventos do hotel, me encaminhasse a planta do salão, para que eu começasse a esboçar o projeto. Com uma idéia de layout, montei um 3D, com o mobiliário que gostava. Pesquisei muito os detalhes, mas como não tenho experiência em evento e nem conheço os fornecedores adequados sabia que não conseguiria colocar essa tarefa 100% na minha mão.

Mais uma vez a Paulinha listou uma serie de profissionais de sua confiança. De cara amei o Thiago Calil! Lembro que o João não estava comigo na nossa primeira reunião, mas no fim do nosso papo inicial, entrei no carro e liguei eufórica para ele dizendo: é  ele!!!

Logo de cara mostrei para ele minha idéia e ele foi sem rodeios. Me auxiliou desde o inicio.

Claro que houve um ajuste ou outro nos móveis e no final ficou tudo demais! O Thiago escolheu tudo do jeito que pedi! Os tons das flores, as almofadas, os detalhes, vasos, as forminhas… tudo impecável! Incrível! Juro que estava ainda mais lindo que eu imaginava! Ele é demais! Os arranjos estavam um mais lindo que o outro.

Depois chamei a Patricia Koeler para fazer a papelaria e arte visual. Ela Arrasou! Os dois fizeram tudo em sintonia, deixando a festa impecável!

Na Igreja, chamamos a Amélia Portuguesa, que cuidou não só dos arranjos da cerimônia, mas também das lapelas, coroa da Mari e do meu buquê. Mais uma profissional de tirar o chapéu! Tudo lindo, do jeitinho que pedi a ela!

Tanto ela, como o Thiago e a Patricia entenderam de cara o meu jeito e estilo. Eles superaram minhas expectativas, foi PERFEITA!

Buffet: Como falei anteriormente o Marriott nos ganhou pela infra. Eles tinham tudo, o que significava menos dor de cabeça com mais mil e um fornecedores.

O buffet foi do próprio hotel, e que buffet! Foi mais um item da nossa festa extremamente elogiado! Eu e o João comemos antes na salinha dos noivos, e por mim teria pedido o menu todo, mas lógico que não dava hahaha.

No dia da degustação foi difícil escolher os pratos finais. A comida deles é MARAVILHOSA! Havia um cordeiro na degustação que eu nem queria provar mas para a minha sorte a Lívia insistiu, ele derretia na boca! O prato que eu não queria nem provar virou minha escolha de jantar.

A Livia é outra profissional INCRÍVEL que cruzou no meu caminho nessa jornada, super dedicada. Ela e toda a equipe de eventos do Marriott estão de parabéns pelo carinho e atenção que tiveram com a gente durante os preparativos e na grande noite!

Para finalizar, o jantar foi buffet sentado, foi uma exigência minha. Não gosto de festa que os convidados precisam comer em pé ou com prato no colo, ao menos para mim acho bem desagradável. Thiago conseguiu colocar lugar para todos!

As bebidas escolhidas foram: bar de caipirinha; caipvodka; espumante; vinho tinto e whisky.

Música da festa: O DJ também foi recomendação da Paulinha, e ta aí mais um senhor profissional, o Rafael Barreto da M2 Eventos!!!

A festa foi animada do inicio ao fim. O Rafa ARRASOU MUITO!!!!! Melhor pista do mundo!!! Além de conseguir o impossível: fez o João dançar do inicio ao fim! O João é a pessoa que mais odeia festa do mundo, e olha que nos conhecemos em uma.

Todos os convidados vieram elogiar a pista, foi animada, músicas boas e com o timing certo!

Registros: Tanto eu como o João não fazíamos questão de filmagem. Achamos um valor expressivo, para algo que veríamos uma vez. Já a foto para nos é super importante, somos apaixonados por foto. O João é artista 3D, então para ele esse era o assunto a ser tratado muito bem. Conhecemos uma série de profissionais, indicados pela Paulinha, lógico.

O João foi super critico nesta parte. Olhou atentamente o portfólio de todos os profissionais e por fim escolhemos o Lenine Serejo, que além de um fofo apresentou o material mais compatível com nossas expectativas! Gostamos do jogo de iluminação, das cenas criadas, de tudo. E ele não decepcionou, amei as fotos que recebi!!

Fora isso sempre adorei as cabines em casamento, mas sempre achei meio incomodo essa história de centralizar em um lugar, pois gera fila e acho que fila não combina com casamento.

Durante esse ano de preparativos soube de uma empresa que fazia impressão direto do insta , que por sinal sou viciada, falei com a Paulinha e entrei em contato com eles. Se chama Printgram!!! Amei! SUPEROU TUDO! Os convidados amaram! Virou mais uma lembrança linda daquela noite.

Como o Joao é artista 3D, ele cuidou da arte e a equipe da Printgram cuidou de ajustar de acordo com o padrão deles! Ficou lindo!

Usamos esta arte também para nosso chá bar, save the date e havaianas. 

Convidados:  Minha dica é: convide com o coração, não faça festa por aparências. Eu convidei todos que queria comigo naquela noite e o João idem. Como muitos de nossos convidados eram de fora, ficamos muito surpresos com algumas presenças, é incrível como algumas vezes uma presença mexe com a gente! Tive receio que alguns amigos deixassem de vir por ser em outra cidade, mas vieram! Um dos melhores amigos do João, e padrinho, mora no Canadá e mesmo assim deu seu jeitinho e veio.

Infelizmente perdemos o avô do João no inicio do ano. A presença dele era fundamental para nós dois! O Rogério era o único avô que ele tinha e éramos muito próximos a ele. Foi uma dor não termos ele com a gente naquela noite! Somos muito ligados à familia. Outra coisa que me entristeceu muito foi quando liguei para meus avós paternos que moram em Minas, para confirmar a presença deles. Meu Avô Antonio se desculpou e explicou que na idade dele e da minha avó, uma viagem era complicada. Claro que entendi, mas ainda assim foi difícil conter o choro. De fato eles moram no interior e uma viagem de carro, cerca de 4 horas para o Rio, não é fácil na idade deles.

Graças a deus minha avó Gilda estava lá, como eu morava com ela somos muito ligadas! Fora nossos pais, irmãos, nossos tios, primos e  amigos!

◊ APÓS O CASAMENTO

Lua-de-mel: Fomos para a Itália. No começo queria conhecer um lugar novo, então pesquisei muitos lugares, mas todos eram péssimos para visitar em Julho, e para completar as minhas férias que não saiam, minha empresa estava super rígida em me liberar mas no fim consegui 15 dias! Ufa! Quando soube que poderia sair de férias estava tudo muito em cima da hora, então complicou nossa situação… Mas assim como o casamento, a viagem foi PERFEITA!

Dicas importantes sobre a organização pós casamento + lua-de mel + novo apartamento: Veja tudo com muita calma e curta esses momentos ao máximo. Sou arquiteta, então montar minha casa foi uma sensação maravilhosa!

Uma coisa que fiz questão de fazer foi voltar um pouco antes de viagem, e ficar uns 5 dias de férias em casa. Aproveitei esses dias antes de voltar a rotina para organizar nossa casa, colocar os presentes no lugar e curtir uns dias na casinha nova! Foi a melhor coisa que fizemos. Quando voltamos ao trabalho a casa estava em ordem! Sou organizada, então qualquer coisinha fora do lugar tira meu sossego.

Ah, além disso, marcamos com nossa faxineira de arrumar a casa um dia antes de voltarmos de viagem. Assim, no dia que chegamos em casa, estava tudo um brinco.

É importante também deixarem umas comidinhas para não voltar com a geladeira vazia.

Troca de presentes: 

Ainda não trocamos todos, mas a maioria já está inclusive organizado e arrumado em casa!

Acho importantissimo agradecer todos os convidados, não só os que deram presentes. Copiei a idéia que uma das minhas melhores amigas fez em seu casamento: escrevi um cartão para cada convidado presente no dia e pedi para a Paulinha entregar a cada um na festa. Foi uma delicadeza que todos amaram. Muitos convidados me escreveram agradecendo o bilhetinho.

Ficha técnica:

✓ Cerimonial e Assessoria – Paula Rocha Eventos

✓ Celebrante – Frei Zé Pereira

✓ Local da Cerimônia – Capela Santa Ignez

✓ Local da Festa – Hotel JW Marriott

✓ Vestido de Noiva – Rosa Clarà

✓ Grinalda – Pronovias

✓ Cabelo e Maquiagem – Pedro Vicunã

✓ Acessórios – Brincos: de Família // Anel de Noivado: Monte Carlo // Correntinha: H Stern

✓ Sapatos – Le chique, no Leblon.

✓ Buquê e Lapela dos padrinhos – Flora Real

✓ Alianças – Vivara

✓ Música Cerimônia (Coral, Orquestra) – Violinos Mágicos de Murillo Loures

✓ Música Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria) – DJ Rafael Barreto da M2 Eventos

✓ Foto – Lenine Serejo

✓ Decorador – Thiago Calil

✓ Iluminação – M2 Eventos

✓ Bolo – Os Bolos da Betah

✓ Doces – Brigadeiros Fabiana D’Angelo // Doces Portugueses – Barriga de Freira // Demais doces: Rosângela Lourenço

✓ Bem-casados – Elvira Bona

Lembrancinhas – Havaianas Carina Cruvinel com a arte do João // Fotos Printgram com a arte do João // lembranças padrinhos, pais e avôs, Patricia Koeler e brigadeiros Fabiana D’Angelo.

✓ Convite e identidade visual – Eurostile convites // Caligrafia: Girlanda

✓ Roupa do noivo – Brooksfield

✓ Lua de mel – Ítalia

✓ Lista de presentes – Mickey Presentes, Fast Shop, Roberto Simões e H.Stern Home

 

Comentários “Casamento Ana Paula e João

Deixar um comentário