Impossível ler a história desse casal e não se sentir parte. A forma como eles nos contaram cada detalhe, cada escolha, cada momento… é lindo e notável!

Veja como eles se conheceram e como foi seu casamento.

Noivos: Idaliana Braido e Gustavo Torres

Data: 29.07.17 

Local: Fazenda Vassoural – Itu, SP

 

◊ ANTES DO CASAMENTO

 

História do casal contada pelo Gustavo: O dia em que eu conheci a Idah foi no chá de bebê do José, filho do Netinho e da Bia, que inclusive sou padrinho de consagração… e esse foi o motivo para me tirar de SP e ir até Barretos passar apenas UM dia. (Cidade longe, que vou falar mais a frente com detalhes… kkk)

Chegando lá, típica festa barretense, muita cerveja gelada, churrasco e moda de viola, a única coisa diferente foi uma loirinha solteira (note que ela não é mais loira, esse assunto também irei falar mais a frente, pois a Idah é quase uma metamorfose ambulante) e baladeira que me apresentaram.

Aí papo vai, papo vem… ela com seu novo Apple Watch (esse foi um dos assuntos kkk), combinamos de ir para a balada em SP um dia… daqueles que você já sabe que nunca vai acontecer, só fala pra se mostrar uma pessoa cool (essa balada nunca aconteceu mesmo)! No final, passamos quase a festa toda conversando e senti alguma coisa diferente ali. Garoto maroto que sou, fui pro hotel depois do batizado e liguei para a Idah… Vai que rola um romance né… tocou, tocou, tocou… e nada! (esse é o fim do dia que nos conhecemos).

Detalhes que marcam o tempo que estamos juntos, e situações ou pessoas que fizeram parte:

Nosso primeiro encontro formal e primeiro beijo foi em SP, 1 mês e meio depois. Logo depois do chá, ficamos conversando pelo Whatsapp… entre linda pra lá e linda pra cá, Reveillon passou e eu aproveitei que ela ia com alguma frequência à minha cidade para comprar produtos para sua loja, foi quando marcamos um almoço romântico. Pensei, onde deveria levar uma barretense no primeiro encontro? Levei no NB Steak (Churrascaria), completamente sem noção… kkk mas acho que funcionou né. Foi nesse dia que, horas depois desse almoço light, rolou nosso primeiro beijo!

Depois disso começamos um romance via Whatsapp e Facetime durante a semana, e encontros todos os finais de semana. Sim, todos os finais de semana… no começo ela até vinha a SP (ás vezes), depois, eu passei a ir todos os finais de semana para Barretos, até porque, é pertinho né? (430 km). Nesses meses as ações da Petrobrás até valorizaram de tanta gasolina que usei. Resultado: ganhei uma esposa e perdi minha CNH pela 2x.

Outra coisa é que eu sempre gostei de viajar e eu acabei escolhendo para casar uma mulher viciada em viajar. Resultado é que nesse tempo pudemos aproveitar juntos muitos momentos, em Salvador comemos muito caranguejo e moqueca no Prefeitinho, Buenos Aires eu comi todas as carnes disponíveis e a Idah ainda se recuperava de uma cirurgia na sopa, Miami onde foi meu aniversário e nosso noivado a beira mar no fim da tarde, Nova York a Idah me colocou para remar aquele barquinho lazarento do Central Park, Washington fizemos uma visita ao Obama, em Boston jogamos golfe e comemos muito Shake Shack, San Francisco rodamos no Vale do Silício e até reunião com a Oracle a Idah fez comigo. Por fim fomos a Tailândia conhecer Bangkok e as suas famosas ilhas regado a muita massagem Tailandesa.

 

O pedido de casamento: Estávamos juntos há uns 4 meses e fomos passar o aniversário do Gustavo em Miami. Um dia resolvemos conhecer Key West e o Gustavo preparou uma mochila (já imaginava que viria o pedido). Chegamos em Key West depois de quase 3 horas (pensamos que fosse perto) e caiu uma super chuva!!!! O restaurante que ele queria me levar estava cheio, o dia não estava nada bonito e resultado: voltamos pra Miami com a mochila e sem pedido de casamento. Durante um dia a tarde, eu já tinha até esquecido do pedido, fomos a praia e o Gustavo pediu uma champagne, quando ela chegou a caixinha estava dentro com um cartão lindo, ele se ajoelhou e me pediu em casamento! Os funcionários do hotel estavam mais nervosos do que a gente e super felizes!!!! Por onde a gente passava, eles nos parabenizavam!!

 

◊ O CASAMENTO

 

Os preparativos: Como fui pedida em casamento em abril, começamos a pesquisar em junho as fazendas. Desde o começo, eu queria casar em um local aberto e fora da minha cidade. Visitamos 4 fazendas: Vila Rica, Santa Bárbara, Dona Catarina e Fazenda Vassoural. As 3 primeiras são fazendas maravilhosas, mas não me identifiquei e sabia que um casamento ali não caberia no meu orçamento.

Isso é o mais importante: definir o tipo de festa e quanto você quer gastar. Não dá pra fazer uma festa com cristais na Vassoural, não combina. Se você quer um casamento clássico, escolha um salão de festas.

A minha madrinha, Bia Romani, é cerimonialista e me ajudou com todos os preparativos. Como pesquisei bastante em blogs, consegui definir os profissionais que eu gostaria de ter na minha festa. Foi tudo muito tranqüilo.

Não me via casando na fazenda com um coral, então comecei a pesquisar outras alternativas e encontrei a Lorenza Pozza. Foi amor à primeira vista. Havia fechado a Fazenda para setembro, mas quando entrei em contato com a Lorenza, ela já não tinha mais data. Logo, mudei a data para agosto e mandei email pra Lorenza, que estava gravando em Paris, mas ela também não tinha disponibilidade.

Nesse momento avisei o Gustavo: “EU SÓ CASO SE A LORENZA CANTAR”. Ele tentou mostrar outras cantoras mas eu não gostava de nenhuma. Este foi o único momento da organização que fui bem mimada e bati o pé até conseguir, risos.

A verdade é que eu nunca me imaginei casando… não era aquela noiva que tinha a festa inteira na cabeça e que apenas procura o marido. Não! Nossa festa foi criada do ZERO e ficou exatamente a nossa cara: SIMPLES, ALEGRE E GOSTOSA. Engraçado é que eu falo a palavra SIMPLES uma 10x somente nesse texto, e na cerimônia, durante seus votos, o Gustavo falou muito dessa palavra. Ela me resume.

Eu não gosto de frio e nunca me casaria no frio, mas pela Lorenza e pela Vassoural, tive que mudar meus planos e deu tudo muito certo. Nos casamos no dia 29.07.17. O dia estava lindo, com sol e ao mesmo tempo fresco. Se tivesse sido em Setembro, teríamos derretido de calor.

Depois foi hora de fechar a decoração. Mais uma vez eu já sabia o que eu queria: decoração colorida da Tais Puntel. Em apenas uma reunião conseguimos fechar tudo.

 

O vestido de noiva: Para o casamento religioso, em Barretos, no dia 18.02.17, usei um vestido que comprei na The Bridal Garden NYC. Não gosto de vestidos bolo de noiva… procurava algo simples e bonito (são os modelos mais difíceis de encontrar). Quando comprei o vestido, não sabia que faria o religioso antes, comprei pensando em usá-lo na Fazenda Vassoural.

Estava sozinha em NY com o Gustavo e escolhi apenas duas lojas para pesquisar vestidos (Bhdl e a The Bridal Garden), porque não queria perder a nossa viagem olhando vestidos, fomos para passear e não para comprar vestido.

Enquanto fui para a primeira loja, ele foi para uma loja de golfe. Nesta loja, os vestidos ficam separados por tamanho e você seleciona os que mais gosta para provar. Selecionei uns 5 vestidos e entrei no provador. Conforme ia pegando pra provar, reparei que peguei 3 modelos iguais, apenas em tamanhos diferentes e na hora pensei: “pelo jeito eu amei esse vestido”.

Tinha visto em um site que nesta loja conseguiria encontrar vestidos de marcas famosas como Vera Wang, com preços de até 75% mais baixos, achei tentador, mas o que mais me chamou a atenção foi que parte do valor das vendas das peças é revertida para uma escola do Brooklin. Eu não queria pagar caro e lá consegui encontrar o vestido dos meus sonhos por $1500 dólares e ainda ajudar crianças. Como estava sozinha, fiquei na dúvida se aquele seria “O VESTIDO”, então mandei foto para minha mãe e para as madrinhas, e todas falaram: “COMPRA AGORA”.

No final do ano, decidimos que faríamos o religioso em fevereiro, para poucos convidados. Como estava em cima da hora e eu não queria procurar outro vestido, acabei usando o vestido de NY e deixei para pensar depois no que usaria em julho. Realmente o segundo vestido ficou bem para depois.

Usei o vestido de NY no religioso com véu e um arranjo de flores naturais no cabelo. Tudo isso foi decidido na semana, pelo whatsapp, mas ficou lindo e simples do jeito que eu queria. Combinou com o clima da cerimônia, as 11hrs e com a Capela.

Em maio comecei novamente a procurar vestidos, fui a algumas estilistas, mas achei muito caro (20/30 mil) para fazer sob medida. Encontrei alguns prontos com preço legal, mas não me apaixonei por nenhum.

Foi quando decidi visitar a Pynablu. Fui atendida pela Jana e pela Fabi, e elas foram super fofas. Me passaram uma média dos valores vestidos e estava dentro do que estava disposta a pagar. Viajei em maio e apenas em junho voltamos a conversar sobre o vestido. A Tuca, estilista da Pynablu, desenhou o vestido na hora e do jeito que eu queria. Pedi 2 coisas: forro nude e uma cauda maravilhosa.

Começamos as provas em julho (quase 3 semanas antes do casamento). A cada prova surgiam mil ideas e mudávamos o vestido. O resultado ficou incrível. Eu não quis usar véu para deixar o decote aparente, no cabelo usei flores naturais, decisão tomada na hora pelo meu tio Moyses e pela Gisele Barbosa, que cuidou da make e do hair.

Na prova final, com o vestido pronto, pensamos na melhor forma de prender o vestido e na prática deu super certo. Na semana do casamento comprei uma sandália plataforma para trocar na hora da festa, para aguentar a noite inteira. Foi a melhor coisa do mundo!!!!

Acessórios: Comprei os brincos em janeiro para usar em fevereiro, como estava na dúvida, comprei 2 e na hora decidi. Usei brincos pequenos e simples.

Making of: O dia foi incrível. Acordamos na fazenda (a fazenda disponibiliza quarto para os noivos e acomoda até 12 pessoas), tomamos café da manhã e começamos os preparativos.

Todas as madrinhas estavam ao meu lado (10 no total) + minha mãe, elas se arrumaram na fazenda comigo. Foi incrível, alto astral total, muitas risadas, histórias sendo lembradas e muitas fotos. Elas fizeram uma saída para usarmos durante o dia. A equipe de fotos Old Love e de filme Click4u, estavam presentes e me deixaram super tranquila, rimos muito.

O Gustavo foi para o campo de golfe com alguns padrinhos e amigos. Chegou as 14:00, super tranqüilo para se arrumar.

 

Cerimônia: Em fevereiro tivemos a benção do Padre Davis, o mesmo que fez a celebração do casamento do meu irmão. Um padre abençoado, que fez uma cerimônia linda. Neste dia o Gustavo chorou muito!!

Em julho, optamos pelo Reverendo Renato Dumas. Nós o conhecemos na cerimônia de uma amiga do Gustavo e adoramos a forma como ele conduziu a cerimônia.

Nos reunimos com o Reverendo uma semana antes, enviamos uma “tarefinha” e com isso ele montou a cerimônia. FOI DEMAIS! Ele parecia ser nosso amigo de infância. Com um texto super alegre, criativo, contou como nos conhecemos, nossas características e fez os convidados rirem e chorarem. Foi a nossa melhor escolha.

A parte mais emocionante foi a troca de votos que fizemos. Eu pensei que eu não falaria em público (tenho pânico em falar, ainda mais falar para 360 pessoas e com um microfone na frente – sou daquelas que choro só de pensar em falar em público). Deu tudo certo, o texto do Gustavo foi lindo e enquanto eu falava meus votos, o Gustavo começou a chorar e eu tive que ficar firme para conseguir terminar.

Padrinhos e madrinhas: Em Barretos foram 4 casais de cada lado. Em Itu tivemos 10 casais de cada lado!!! Foram muuuitos padrinhos.

Pedi para os padrinhos usarem terno chumbo ou preto (para facilitar e ninguém precisar alugar ou comprar) e dei uma gravata personalizada com a estampa do casamento. Ficou muito divertido.

Para as madrinhas sugeri tons pasteis, mas deixei claro que não era uma exigência, pois não queria que elas gastassem ou que se sentissem “obrigadas” a usarem um tom que não gostam. Quase todas foram e as fotos ficaram lindas.

Damas e pajens: Em Barretos tivemos 4 damas, sobrinhas e filhas dos primos, e 2 pajens, sobrinhos.Um pajem e uma dama não entraram… Eu atrasei e eles acabaram dormindo. Mas eu já sabia que muitos poderiam não entrar. O  melhor é já estar preparada para tudo! Risos.

Como queria que os vestidos combinassem com o dia e com a Capela, decidi eu mesma costurá-los. Elas usaram vestido leve, de algodão cru com aplicação de rendas, coroa de flores e folhagens. Já os meninos usaram bermuda caqui, camisa, suspensório e gravata borboleta, com a estampa do casamento. Ficaram lindos!

Em Itu foram as mesmas daminhas e pajens, apenas acrescentamos o nosso sobrinho mais novo, de 1 ano e 6 meses. Ele foi a sensação!!! Quis entrar sozinho e foi lindo!!! Os 2 que não entraram em Barretos, também não entraram nesse (acho que eles não gostam de casamentos – risos).

Mandamos fazer o vestido das daminhas na costureira da minha sogra, um vestido de crepe branco com um laço verde bem grande! Também usaram tiaras de Gipsogila e buquê feito pela Tais Puntel, meia calça branca e sapato branco.

Para os pajens mandamos fazer na mesma costureira, pois não encontrávamos todos os tamanhos iguais – 1 ano a 8 anos. Calça cinza, suspensório cinza, boina, camisa branca e gravata com estampa do casamento – a mesma dos padrinhos.

Local da festa: Conheci o lugar através de um blog e quando fomos visitar, amamos o clima. Foi a única fazenda que realmente tinha “ar de fazenda”, com galinhas, cavalos, possibilidade de cerimônia ao ar livre nas árvores e festa com vista para o por do sol.

A Fazenda Vassoural atendeu todas as nossas expectativas. Foi melhor do que esperávamos. Os convidados vinham nos falar que se arrepiaram quando escutaram as galinhas durante a cerimônia e que amaram o local.

Os donos da fazenda são super amáveis e ajudam muito, estão o tempo nos acalmando e resolvendo tudo!

Decoração: Idealizamos o projeto juntas, eu e a Tais Puntel. Ela abria o mapa da festa e juntas íamos definindo cada detalhe.

Não mudaria nada no meu projeto. Conseguimos acomodar todos sentados e ficou lindo!

Música da festa: A Fazenda Vassoural promove todos os semestres um evento aos domingos para os noivos. Fomos a um evento, conhecemos o Dj Mazzur e adoramos.

Tivemos a Lorenza Pozza tocando na cerimônia e depois uma dupla Sertaneja (não podia faltar na festa de Barretenses, né?!)

A música que mais marcou nosso casamento foiThe dog days are over– saímos da cerimônia com ela na voz da Lorenza e entramos na festa com a versão remixada.

Fotos festa de casamento em Barretos:

Buffet: O buffet foi do Marcelo Gussoni, de São Paulo. Ficamos muito felizes com a nossa escolha. Comida maravilhosa, bem servida e farta.

Tivemos ilha de aperitivos, coquetel volante, jantar buffet e mesa de sobremesas. Servimos whisky, vodka com redbull, aperol, Bellini, Gin Tonica, Vinho Tinto e Espumante.

 

Registros: Contratamos a Old Love para a fotografia – é um casal de Ribeirao Preto apaixonado um pelo outro, e também por seu trabalho.

Para o filme contratamos a Click4ufilms, o Renan e sua equipe são demais! Eles registraram os 2 casamentos!!!

Não usamos outros tipos de registros e usamos as hashtags#casamentoidahegt e #casamentoidahegtparteII.

Convidados: Como sou de Barretos e o Gustavo de Santos, imaginamos que teríamos uma quebra boa de convidados. A festa foi pensada para 300 convidados e convidamos 493 pessoas. Fizemos RSVP, ligamos um a um e na semana do casamento decidimos aumentar para 330 pessoas. No dia foram 360 pessoas!!!  Mas deu tudo certo e conseguimos atender e sentar todos.

Dica: Não deixe de convidar ninguém!!! Faz tempo que não fala com a pessoa? Convide mesmo assim… No final, aquela pessoa que vc tem certeza que vai, acaba não indo, o que você convida e acha que não irá pela dificuldade de locomoção, dá um jeito e vai!!!

Tinha medo que muitos da minha cidade não fossem, pois teriam que viajar 400km, mas no final, muitos foram!!! Chegaram na sexta e transformaram o casamento em “weekend”!!! Sexta fomos ao bar do Alemão para um welcome dinner, bebemos e dançamos muito até as 2h da manhã, e no sábado festejamos das 15h30 até 2h30 !!!

Uma amiga muito especial não conseguiu ir, a Tallita, minha madrinha do primeiro casamento. Ficamos mandando mensagem para ela enquanto nos arrumávamos!!!

Minha Tia Selva trabalha aos finais de semana e também não conseguiu ir. Na sexta à noite, minha mãe deixou o presente dela sobre a minha cama, era uma imagem de São José. Fiquei arrepiada, pois em meus votos eu cito São José como o Santo que me trouxe o Gustavo. Muita coincidência, né?!

◊ APÓS O CASAMENTO

Lua-de-mel: Viajamos apenas em fevereiro para a Tailândia. A melhor viagem de nossas vidas, até hoje o Gustavo vira e fala: “vamos voltar para lá?”.

Praias maravilhosas, hotéis incríveis, com preço bom e cultura totalmente diferente. Povo é muito educado e receptivo.

Recomendo apenas se programar para conseguir de 15 a 18 dias de férias e pesquisar passagens baratas.

Dicas importantes sobre a organização pós casamento + lua-de mel + novo apartamento: Vou confessar que essa parte não é nada fácil e dá vontade de correr pra casa da mãe na primeira pia de louça suja!!!! Risos.

Organizar um casamento já não é fácil, mas é tudo lindo, tudo gostoso. A viagem são os melhores dias, 18 dias conhecendo lugares sensacionais, sem se preocupar em cozinhar, arrumar a cama e zero rotina. Aí você chega em uma cidade nova (no meu caso mudei de Barretos para SP), longe dos amigos e familiares, com mil obrigações, presentes para guardar, casa para organizar, dia a dia, rotina chata, cada um acorda em um horário e com um humor… Nessa hora é preciso sentar, respirar, respirar de novo e ter muita paciência. Aos poucos tudo vai se encaixando, você se acostuma com as manias do marido (depois de algumas brigas, é claro), você acaba mudando seu jeito também e tudo vai dando certo.

Dica: Conversa com o marido e combina algumas regrinhas. Por exemplo, eu tenho o meu banheiro e o Gustavo tem o dele. Ele cozinha e eu lavo a louça. Quando eu cozinho, ele lava! Quem levanta por último, arruma a cama. Depois que estabelecemos essas regras, nossas brigas diminuíram muito!!!

Presentes: Fizemos lista na Fast Shop e em algumas lojas da minha cidade, também ganhamos muitos presentes do site que fizemos.

Vamos mandar um cartão de agradecimento para cada presente. Ainda não sei como vai ser essa entrega, mas acho que cada convidado ficará contente em saber que recebemos o presente e que gostamos. Nesse mundo tão virtual, um cartão escrito a mão vale mais que mil palavras.

Ficha técnica:

✓ Cerimonial e Assessoria – Cerimonial Bia Romani

✓ Celebrante – Reverendo Renato Dumas

✓ Local da Cerimônia e Festa – Fazenda Vassoural

✓ Vestido de Noiva – Pynablu

✓ Cabelo e Maquiagem – Gisele Barbosa Atelier

✓ Sapatos – Couro Corum – Ribeirão Preto

✓ Buquê e Lapelas dos padrinhos – Tais Puntel

✓ Roupa das Damas e Pajens – Rosa Costureira

✓ Alianças – Tiffany & Co

✓ Música Cerimônia (Coral, Orquestra) – Lorenza Pozza – Voz e Violão

✓ Música Festa (DJ, Banda, Sax, Bateria) – Dj Mazzur – Dupla Ruan e Mollina

✓ Foto – Old Love

✓ Filme – Click4u films

✓ Buffet e Bar – Marcelo Gussoni

✓ Decorador –  Tais Puntel

✓ Iluminação –  Vitor Destefani

✓ Toldo – Gilberto Tadeu

✓ Bolo – Renata Maria – Barretos

✓ Doces – Ana Abelha

✓ Bem-casados – Ana Cristina bem-casados

✓ Lembrancinhas – Mantinha para aquecer no frio – Karina Costureira; Rasteiras com estampa personalizada – Bru Puoli

✓ Convite e identidade visual – Bia Coutinho – Ninguém Mais Tem

✓ Roupa do noivo – Terno feito em Bangkok

✓ Manobra e Segurança – Anjos da Guarda – Itu

✓ Hotel da noite de núpcias – Fazenda Vassoural

✓ Lua de mel – Tailândia

✓ Lista de presentes – Fast Shop, Casa Pedro Garcia, Tres Jolie

Comentários “Casamento Idalina e Gustavo

Deixar um comentário