O casamento de Débora e Willian vai servir de inspiração para muitos casais que procuram um casamento intimista, apenas para os amigos e família mais próxima.

 

Eles cogitaram fazer o casamento fora do Brasil ou em outro estado, mas quando foram conhecer a Villa Casarão, se apaixonaram e não quiseram ver mais nada.

 

” marcamos uma visita com a Regiane, proprietária do Villa, que nos recebeu maravilhosamente bem. O dia era de chuva, e mesmo assim o lugar era maravilhoso. Saímos de lá com a data marcada – dali 4 meses diríamos o nosso sim! ”   Débora

 

Vocês verão nas fotos e nos relatos o quão linda e especial foi essa celebração. Débora escreve bem e contou em detalhes como organizou as prioridades, falou sobre opções de buffet para casamentos na hora do almoço, e contou sua dificuldade na busca do seu vestido ideal.  

 

Leia a matéria completa e conheça esse casal de médicos que costurou seu casamento com seus valores e expectativas e viveram um dia mágico, junto com as pessoas que eles mais amam.  

 

 

Os Casamentos Reais publicados no CaseMe são escritos diretamente pelos noivos, em 1ª pessoa. Nossa proposta é uma troca livre e real de experiências, sejam boas ou ruins, que ajudem outros casais que ainda estão no caminho!

 

 

Noivos: Débora Zanatta e Willian Vargas da Cruz

Local: Villa Casarão, Florianópolis/SC

Data: 04/05/2019

 

 

Fotografia do destaque: André Vanzin

 

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-1-750x50

 

 

 

História do casal:

 

Nos conhecíamos “de vista” da faculdade, quando ambos cursavam Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina. Naquele tempo, nada aconteceu, mas o destino (e as redes sociais) nos aproximaram em meados de 2016, quando parabenizei o Willian pelo aniversário dele.

 

Alguns dias depois, eu recebia um desprensioso “parabéns pelo dia do oftalmologista”, e foi aí que começamos a conversar. O convite para um jantar veio rapidinho.

 

Daí em diante, não nos desgrudamos mais! O amor só cresceu, e em 1 mês o Willian fez um pedido caprichado de namoro, com direito a vídeo e tudo! A resposta do pedido enviei por um cartão postal, quando estava em uma viagem de férias com o meu irmão em Nova York. Só que o tal cartão demorou tanto a chegar, que quando voltei dei a resposta pessoalmente! No dia seguinte, lá estava o cartão-postal na caixa de correios dele…

 

 

O pedido de casamento:

 

Depois de 3 anos, já conversávamos sobre casamento, dividir a casa, a vida e os nossos sonhos… O Willian planejou um pedido lindo, num vôo de balão em Praia Grande/SC. Mas a ansiedade venceu e ele acabou fazendo o pedido antes, num jantar bem romântico em Florianópolis. O problema foi que os Correios atrasaram a entrega do anel de noivado, que vinha do Rio de Janeiro.

 

O noivo nem se abalou: comprou um anel “fake” de bijuteria e mandou ver no pedido! Foi tão emocionante, mais o fato de o anel ter ficado em segundo plano e ele ter feito o pedido mesmo assim – simplesmente perfeito! Afinal, não são os sentimentos os maiores protagonistas de um pedido de casamento?

 

Após alguns dias, reunimos nossas famílias para celebrar! E o passeio de balão programado virou nosso ensaio pré-wedding!

 

Créditos: todas as fotos desta matéria são do André Vanzin

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-2-750x50

 

 

 

Os preparativos:

 

Sempre falávamos que não noivaríamos sem data para o casamento. Nada de noivado eterno!

 

Então, após o noivado começamos a pesquisar locais para o nosso dia. Nada estava descartado: outra cidade, outro país… Só tínhamos definido algo essencial para o nosso planejamento: teríamos no nosso casamento um número reduzido de pessoas, apenas quem realmente participava das nossas vidas. Nada de convites por obrigação!

 

Já tínhamos ido juntos a muitos casamentos, então conhecíamos muitos fornecedores e locais de festa em Florianópolis. Não queríamos “mais do mesmo”. Eis que resolvo jogar no Google “casamentos florianópolis” e aparece um local que nunca tínhamos ouvido falar: o Villa Casarão. Nos apaixonamos pelas fotos do lugar.

 

Na semana seguinte, marcamos uma visita com a Regiane, proprietária do Villa, que nos recebeu maravilhosamente bem. O dia era de chuva, e mesmo assim o lugar era maravilhoso. Saímos de lá com a data marcada – dali 4 meses diríamos o nosso sim!

 

Com apenas 4 meses de antecedência, aceleramos os contratos com os outros fornecedores. E deu tempo de fazer tudo sem atropelos. Decidimos cada detalhe do nosso dia! As dicas das nossas mães, da nossa cerimonialista Cássia e das nossas madrinhas que já haviam se casado foram essenciais.

 

 

No dia do casamento, antes da cerimônia: 

 

No Villa Casarão há uma pousada, então um dia antes já estávamos reunidos com nossas famílias no local do casamento – o que foi uma delícia!

 

Nos vimos pela última vez de manhã bem cedinho, já que nossa cerimônia estava programada para as 11 horas.

O Willian se arrumou com o pai e os amigos na casa de um deles, próxima ao local. Teve café irlandês e making of do noivo.

 

Eu me arrumei no salão de beleza do Villa, com minha maquiadora (Tathiana) e minha cabeleireira (Bruna) de confiança, que foram até lá para me atender. Com minha mãe e mais uma amiga, os preparativos foram muito tranquilos. Conhecer o trabalho das profissionais foi essencial para que não houvesse nervosismo e desespero de última hora – elas me acompanham há mais de 10 anos, desde minha formatura da faculdade.

 

Minha estilista também estava lá, para que o vestido ficasse perfeito. E as equipes da foto e do vídeo eram muito especiais, o making of fluiu de uma forma deliciosa! Até achei que passou rápido demais!

 

 

O vestido de noiva:

 

Eu, que sou superdecidida pra tudo, me peguei num limbo quando comecei a pensar no vestido de noiva… E agora? O que eu quero?

 

Comecei a pesquisar muito sobre casamentos de dia, tecidos fluidos, modelos confortáveis. Teríamos a dança dos noivos, então também precisava de algo com movimento.

Quando agendei uma conversa com a Patrícia Sabiá, em 10 minutos ela conseguiu traduzir tudo o que se passava na minha cabeça!

 

O modelo foi feito em renda chantilly, bem fluido, com cauda. Amo cauda! E ela não atrapalhou ao longo da festa, já pensamos nisso de antemão e a Patrícia fez uma alcinha para prendê-la. O dia foi bem quente, mas as mangas compridas não atrapalharam, pois o tecido era bem leve.

Nunca pensei que um vestido de noiva pudesse ser tão confortável: foram mais de 12 horas nele, sem desconforto nenhum.

 

O véu foi feito também por ela, com a mesma renda do vestido aplicada nas bordas, para que não ficasse nem pesado, nem leve demais (já que a cerimônia era ao ar livre, não queríamos o véu voando em cima dos convidados).

 

 

Acessórios:

 

O arranjo de cabelo foi um achado no mercado livre: flores de renda de guipir e pérolas. Tudo a ver com o horário e o estilo do casamento. Pensei também nas flores naturais, mas eu e minha cabeleireira achamos que, por serem muitas horas de festa e calor, elas poderiam oxidar e não ficar tão bonitas ao longo do dia. Várias lojas tem venda/aluguel de peças para noivas, mas todas com muito brilho para o dia.

 

Fica a dica para fornecedores: pensem nas noivinhas que casam pela manhã, há poucas opções de arranjos de cabelo que combinem com este horário.

 

 

O sapato foi um Jorge Bischoff da linha noivas deles, escolhi um salto grosso e bem presinho porque meu casamento era em local aberto, com grama, pedras. Fiz todas as aulas de dança com ele, e foi ótimo porque no dia já estava bem segura de usá-lo. E a idéia era “não descer do salto” – nunca tiro a sandália em eventos, imagina no meu próprio casamento?!

 

O brinco foi um da Vivara, bem lindo da linha noiva, que combinava com o meu anel de noivado da Tiffany. O buquê deixei nas mãos da minha decoradora, confiei no trabalho dela. Só queria que fossem flores brancas, sortidas, com algo verde. Não fiz exigência de nenhuma flor especial, deixei que ela escolhesse o que havia de melhor na época. E ficou lindo!

 

 

Roupa do noivo:

 

Mas é claro que o Willian decidiu a roupa dele sozinho! E ainda manteve segredo de mim, dizia que era surpresa. E ficou maravilhoso, terno azul com gravata e camisa brancas. Mandou fazer na Alfaiataria Carlos Pinto, em Florianópolis/SC.

 

O sapato e o cinto ele comprou pela internet, da marca Louie. Abotoaduras Hugo Boss.

 

 

Cerimônia:

 

Realizamos a cerimônia na igreja de pedra do Villa Casarão, às 11 horas da manhã.

Como era ao ar livre, servimos água saborizada aos convidados e deixei um leque com gravação personalizada para as convidadas.

 

Nosso celebrante foi o Edi Carlos, que tem o dom de brincar com as palavras, e fez uma cerimônia linda. Ele foi dica do nosso fotógrafo, que havia se casado há alguns meses e o escolhido como seu celebrante.

O que mais gostamos no Edi foi que ele nos encontrou algumas vezes antes da cerimônia e conseguiu se conectar com a nossa história. Foi uma celebração muito específica para nós, feita sob medida!

Um cuidado que tomamos foi não atrasar muito o início, para conforto de todos, e que não se estendesse demais, pelo mesmo motivo.

 

 

Música da cerimônia:

 

Contratamos um trio de músicos para nossa cerimônia, e recomendamos muito! Foram músicas modernas tocadas em violino, teclado e violoncelo, escolhemos cada música e eles se esmeraram em fazer os melhores arranjos. Foi O Capriccioso Produções Musicais.

 

Segue a lista das nossas escolhidas:

♦︎ Entrada dos padrinhos: música tema da abertura de Game of Thrones

♦︎ Entrada dos pais: Como é Grande o Meu Amor por você – Roberto Carlos

♦︎ Entrada do noivo: música tema da Champions League

♦︎  das daminhas: Aqui no Mar –  (da Pequena Sereia)

♦︎ Entrada da Noiva – Mix Marcha Nupcial com Don’t want to miss a thing – Aerosmith

♦︎ Votos – Shallow – Lady Gaga

♦︎ Saída – Despacito

 

 

Padrinhos e madrinhas:

 

Nós tínhamos 14 casais de padrinhos, escolhidos entre nossos amigos e parentes mais próximos. Os trajes foram livres, não exigimos nem modelos nem cor específica, só informamos todos que a cerimônia e a festa seriam em local aberto e com terreno irregular. Achamos melhor deixar todos bem à vontade para escolher trajes e sapatos confortáveis!

No convite dos padrinhos havia uma meia divertida e um charuto, que deram um charme a mais na festa!

 

Damas e pajens:

 

As daminhas eram da família. Maria Alice e Laís, de 7 anos e 1 ano e meio; e a Gabriela, de 9 meses. As roupinhas foram iguais e compradas pela noiva. Tínhamos medo que a Gabriela não entrasse com as alianças, então tínhamos o plano B, que era o irmão mais novo da noiva, o Delcio. No fim, ele entrou levando a Gabriela no colo e ficou lindo! A Laís cansou do agito e não entrou, mas a Maria Alice deu conta do recado.

 

 

 

Decoração:

 

A decoração acompanhou o clima do lugar: meio rústico, local aberto. Nossa decoradora entendeu bem a nossa proposta: queríamos que a decoração fosse um complemento à beleza do local, nada pesado ou exagerado.

Escolhemos a paleta de cores com a ajuda da decoradora e a deixamos bem à vontade. O resultado nos agradou muito, ficou bem lindo!

 

O que mudaríamos: fez um calor fora do normal para a época no dia do nosso casamento. Hoje, investiríamos no fechamento da tenda com tecido, para que ficasse mais ameno, e pensaríamos talvez em ventiladores (apesar de ser local aberto). Não faria a decoração com tulipas, pois a flor é pouco resistente e logo murcharam.

Uma dica legal veio da mãe da noiva: velas de citronella espalhadas pela festa, que acendemos ao entardecer para espantar os bichinhos – deu supercerto!

 

 

Bolos e doces:

 

O bolo foi indicação de uma amiga, encomendamos uma prova e gostamos muito. O noivo não gosta de bolo, mas a prova do nosso foi devorada em um dia! Então não tivemos dúvida, logo fechamos um naked cake com a Telma da Rosa Glacê. Foi um sucesso, apesar de ter 3 andares, não sobrou uma fatia pra contar história. Os bem-casados também foram feitos por ela, com recheio de nozes e banhados no chocolate – divinos!

Os doces não tínhamos nenhuma dúvida de que seria com a querida Bruna Doces. Ela fez uma caixinha de provas e escolhemos os que mais gostamos para nossa mesa. Foi bem variado: doces com frutas, chocolate, pistache… Nossa conta foi de 7 a 8 doces por pessoa (mais que a conta usual) e não sobrou nenhum!! Acho que foram aprovados, né?

 

 

Buffet:

 

O buffet era nossa maior preocupação.

Primeiro, porque não queríamos o buffet estilo “restaurante a quilo” no nosso casamento. Eram pessoas de regiões diferentes, gostos diferentes, então servido à francesa talvez não agradasse a todos. A solução era buffet volante, mas já tínhamos ido a alguns casamentos com esse tipo de serviço e havíamos saído com fome. Mais ainda, nossa festa começaria no almoço e duraria pelo menos 12 horas, PRECISAVA ser bem servido.

 

Conversando com o Styllus, que nos deu ótimas opções de buffet volante e outras opções fixas, para que os convidados ficassem bem à vontade. Foi bem farto, serviço ótimo dos garçons. Foi muito elogiado pelos convidados.

 

Tivemos barca de ostras na entrada, vários pratos volantes, mesa de frios bem farta e duas ilhas de pratos quentes. Quando o sol se pôs, inovamos e substituímos o tradicional hamburguinho por um cook show onde o chef fez polenta em tachos de cobre, servida com dois tipos de molho.

 

Como a festa seria longa, tivemos o cuidado de ter lugares para todos se sentarem, mas não queríamos nada engessado. Desta maneira, a festa ficou bem dinâmica.

Bebidas alcoólicas foram compradas por nós e servidas pelo buffet. Tínhamos espumante, whisky, gin. E um chopp muito especial, feito por um dos padrinhos, que é mestre-cervejeiro.

 

 

Música da festa:

 

Nosso DJ foi o Juliano do Agituss, que já havia tocado na formatura da noiva e em alguns outros casamentos em que éramos convidados. Optamos por não contratar banda, pois sempre parece que a festa dá uma “caída” quando a banda termina, parece que a festa acaba mais rápido.

Decisão muito acertada: o Juliano é muito acessível, atendia todos os pedidos, animou do início ao fim!

 

 

Durante os preparativos, fizemos uma lista compartilhadas de músicas no Spotify, onde os padrinhos inseriam sugestões, e repassamos ao Juliano. Ajudou muito!

Fizemos a dança dos noivos, foi muito legal! Ao som de Fly Me To The Moon, do Sinatra, éramos ovacionados a cada firula, foi muito engraçado! Nosso professor de dança foi o João da Dance Ímpar, que soube usar nosso potencial e nos deixou superseguros no dia.

 

Registros:

 

As fotos foram feitas pelo querido André Vanzin, que já havia feito nosso pré-wedding. Já conhecíamos o trabalho dele, que é sensacional, e já tínhamos nos tornado amigos, então foi fácil posar no dia!

 

 

A filmagem era um “opcional”, decidimos na última semana e fechamos contrato com o Gui da EGD Wedding. E olha…que resultado incrível!! Que delícia é assistir ao vídeo e reviver aquela emoção! Hoje com certeza encararíamos o vídeo como prioridade, vale muito a pena!

 

 

 

Convidados:

 

Nossa idéia inicial era festa para 60 pessoas. Mas na hora de colocar no papel, sempre tem “mais um” que não queríamos deixar de fora. Fechamos em 80.

Como todos eram pessoas muito próximas e queridas, só não foi quem tinha algo inadiável ou não estaria no país na data. Poucos que não haviam confirmado até 15 dias da festa, nossa cerimonialista Cassia ligou. Ninguém que confirmou faltou ao evento. Alguns fizeram um esforço para chegar, mas estavam conosco no dia!

 

Ah, e o nosso convite foi online. Facilitou muito nossa organização, pois tínhamos convidados de cidades diferentes e pouco tempo pra organizar tudo. Apesar de algumas opiniões contrárias, funcionou muito bem, gerou economia de tempo e dinheiro e ainda ajudamos a natureza!

 

 

TITULO-CASAMENTO-REAL-3-750x50

 

 

 

Lua-de-mel:

 

Fomos para o Lago di Como e para a Suíça, mas só 1 mês após o casamento por questões de trabalho. Sentimos que fez muita falta uma folga após a festa, afinal são dias de preparação, dar atenção a quem vem de longe, ansiedade… O cansaço realmente pega! Ao mesmo tempo, seria muito difícil planejar todos os passos da viagem e tirar o máximo proveito dela no meio da organização do casamento, então recomendamos: tire uns dias para descansar, ou vá para um lugar em que só se faça isso. Viagem em que há lugares para conhecer, passeios etc., melhor ir depois de descansar.

 

 

Dicas de lua-de mel + novo apartamento:

 

Essa fase é só felicidade, né? Receber os presentes, morar junto, descobrir como é gostoso a vida a dois… A dica é aproveitar!

 

Os presentes vieram da lista ou fora dela, todos muito úteis e lindos! Agradecemos todos à medida em que íamos recebendo.

 

 

Ficha técnica:

 

♦︎ Local: Villa Casarão

♦︎ Assessoria e cerimonial: Cassia Silva

♦︎ Celebrante: Edi Carlos

♦︎ Música de Cerimônia: Capriccioso Produções Musicais

♦︎ Fotografia: André Vanzin

♦︎ Filme: EGD Wedding

♦︎ Decoração: Arquitetura de Eventos    

♦︎ Buffet: Styllu’s Buffet Chef Leno     

♦︎ DJ e luz de pista: DJ Juliano

♦︎ Bolo e bem-casados: Rosa Glacê

♦︎ Doces: Bruna Doces     

♦︎ Vestido e véu: Patricia Sabiá Haute Couture

♦︎ Convite: feito pelos noivos

♦︎ Identidade visual: feita pelos noivos

♦︎  Grinalda: do Mercado Livre

♦︎ Maquiagem: Tathiana Ogama

♦︎ Penteado: Bruna Kreutzer

♦︎ Acessórios: Vivara e Tiffany

♦︎ Sapatos: Jorge Bischoff

♦︎ Buquê e lapelas: Arquitetura de Eventos   

♦︎ Roupa do noivo: Carlos Pinto Alfaiataria 

♦︎ Roupa das Damas e Pajens: Mercado Livre

♦︎ Alianças: H. Stern

♦︎ Lista de presentes: Camicado, iCasei, Ponto Frio

 

Caseme_banner_728x100px

NEWSLETTER-POST-3-3-750x125

 

Leia mais:

O que não pode faltar no seu casamento no inverno

Roteiro do dia do casamento

O caimento correto do terno masculino

 

Deixar um comentário