Para as noivas que adiaram seus casamentos na praia, o casamento de Manu e Alysson será uma grande inspiração. 

As fotos do Tadeu Nanó e Luca Antunes estão incríveis e retratam perfeitamente a vibe maravilhosa de um casamento na praia.

Quem não sabe por onde começar confira as dicas que a Manu deu.

Ela contratou a incrível Mamá Omena que sabe tudo de casamento na praia. Rodrigo Barbosa fez uma decor praiana cheia de personalidade, com cores quentes e flores tropicais. E soube integrar com perfeição na decoração tudo que a Manu sonhou: Estação de foto Polaroid, estação de retoque de cabelo e maquiagem, espaço kids, barca de água de coco com florzinhas  e chapelaria.

 

Confira a história do casal e inspire-se nas fotos lindas deste casamento na praia!

 

Os Casamentos Reais publicados no CaseMe são escritos diretamente pelos noivos, em 1ª pessoa. Nossa proposta é uma troca livre e real de experiências, sejam boas ou ruins, que ajudem outros casais que ainda estão no caminho!

 

Noivos: Emanuelle Nunes Lira Chaves e Alysson Araujo Moura

Local: Paru Boutique Hotel, São Miguel dos Milagres – AL

Data: 07 de Março de 2020

 

Créditos da foto do destaque: Tadeu Nanó e Luca Antunes

 

 

 

História do casal:

 

Nós conhecemos em Fortaleza, em um cursinho preparatório para o ITA/IME. Ele, gênio, passou no IME na primeira tentativa dele. Eu passei no IME no ano seguinte. No IME, nós chegamos a nos encontrar algumas vezes, mas nunca rolou nada. Quando ele estava no último ano do IME (5o ano), nós descobrimos que morávamos no mesmo prédio. Um belo dia, ele liga no meu apartamento me pedindo para imprimir um par de ingresso de um show dos Melhores do Mundo. Eu perguntei se eu podia ir junto. A partir desse dia, começamos a sair com mais frequência, mas nada muito sério.

Um vez eu o chamei para ir para Búzios e ele animou. Como ninguém mais quis ir, fomos só nós dois mesmo, mas eu estava certa de que não ia rolar nada. Fomos em uma festinha em Búzios e lá nós ficamos. No dia seguinte, eu não me lembrava disso.

Depois de um tempo, eu tenho um flash e lembro que nós ficamos. Eu soltei o papo de “eu não quero nada além de amizade” e continuamos o passeio, mas ele continuou sendo super fofo.

Um belo dia, eu acordo decidida de que “agora eu quero”. Peço um beijo para ele e ele me dá um fora porque “eu estava confundindo as coisas”. Eu nunca tinha levado um fora desses antes, mas tentei levar na boa. Continuamos a amizade até que um dia nós decidimos ir para Campos do Jordão passar o final de semana e lá ele me pede em namoro. Namoramos por 7 anos antes de casar.

 

 

O pedido de casamento:

 

O Alysson me pediu em casamento na Bodega Lopez, em Mendoza, em uma época que eu estava morando temporariamente em Buenos Aires. A Bodega Lopez foi a primeira vinícola do nosso roteiro e tinha sido escolhida pelo meu marido. Nós fizemos o tour padrão e, antes de chegar na sala de degustação, onde seria o final do tour, alguém da vinícola nos separa do grupo e nos leva para outro lugar.

Quando chegamos lá, vimos uma mesinha de madeira e duas cadeiras no meio de vários tonéis de madeira com vinhos sendo envelhecidos. Na mesinha havia um vinho que eu escolhi no início do passeio, duas taças e uma seleção de queijos, frios, castanhas e pães. Quando eu olhei para o meu marido, ele se ajoelhou e me pediu em casamento.

Eu nunca fui de usar anel, então foi um desafio para o Alysson descobrir qual era o tamanho do meu dedo. Na véspera da minha ida para para Buenos Aires, ele pediu para uma amiga nossa descobrir o tamanho do anel. Então ela apareceu na minha casa com uma garrafa de vinho para jogar conversa fora enquanto eu arrumava as malas. No meio da conversa, ela pegou um anel que ela usava e insistiu para eu ver como ficava no meu dedo. Por sorte, o anel coube certinho em mim. 

 

 

 

Créditos: todas as fotos desta matéria são do Tadeu Nanó e Luca Antunes

 

 

 

Os Preparativos:

 

Antes do Alysson me pedir em casamento, eu jurava que não iria fazer festa de casamento. Eu nunca tinha me imaginado como noiva e eu até tinha preguiça só de pensar no trabalho que os preparativos iriam dar. Depois do pedido, as coisas começaram a mudar e uma celebração a dois se transformou em um destination wedding de 100 convidados. Até hoje meu marido brinca dizendo que eu o enganei só para garantir o noivado, hahah. Apesar da minha resistência inicial por saber de todo o investimento que uma festa demanda, eu fico muito feliz que nós tenhamos mudado de ideia. O nosso casamento foi bem fora do tradicional, mas foi simplesmente incrível!

Começamos os preparativos um ano depois do pedido de casamento. O primeiro passo foi decidir onde iríamos nos casar. Depois que decidimos que queríamos nos casar em São Miguel dos Milagres, até mesmo antes de definir a data do casamento, nós contratamos a assessoria completa da Mamá Omena Eventos. Fechamos data com 11-12 meses de antecedência.

A ideia inicial era delegar tudo para o cerimonial, mas eu acabei me envolvendo bastante. Dá trabalho, principalmente se você tem que conciliar os preparativos do casamento com o trabalho, mas eu não me arrependo de nenhum minuto investido nisso. Além disso, o meu marido me ajudou demais. Quando eu ficava muito atarefada por causa do trabalho, ele sempre se prontificava para resolver pendências do casamento. Acho que isso fez toda a diferença para tornar os preparativos, que antes eu os imaginava como chatos e estressantes, em algo divertido.

A participação do meu marido foi MUITO acima da média.  Ele sempre fazia questão de participar pelo menos da primeira conversa com os principais fornecedores. Ele escolheu o papel do convite, definiu o que os padrinhos iriam usar, garantiu a inclusão de certos itens no buffet, escolheu a seleção de drinks (até qual vodka deveria ser usada nos drinks), alinhou o lineup da banda e do DJ diretamente com os artistas, definiu que o arranjo do altar seria em formato de trave, escolheu as alianças e por aí vai. A participação dele que mais me deixou impressionada foi, de longe, a escolha da lista de músicas que o coral ia tocar na cerimônia. Eu tinha uma sugestão de música para todos os eventos da cerimônia, exceto o da entrada do noivo. No final, meu marido acabou escolhendo simplesmente TODAS as músicas. Ele mudou inclusive a que eu tinha escolhido para minha entrada. Confesso que no começo eu fiquei indignada, mas depois eu reconheci que a seleção de músicas dele tinha realmente ficado bem melhor.

 

Casamento-Emanuelle-e-Alysson-Fotografia-Tadeu-Nanó-e-Luca-Antunes-244-750x475

 

Roteiro-completo-para-organizar-seu-casamento_-cronograma-comentado-em-7-etapas

 

 

No dia do casamento, antes da cerimônia: 

 

Não teve nada muito diferente. Como a festa de casamento foi no hotel onde nós ficamos hospedados, nós tomamos café da manhã juntos e depois nos separamos para nos arrumar. Depois disso, só nos vimos na cerimônia.

 

 

O vestido de noiva:

 

Como eu ia me casar na praia, eu queria algo muito prático (não amassasse com facilidade, fosse fácil de me vestir, etc.), confortável, leve e acinturado sem marcar o quadril. Além disso, eu estava decidida de que eu iria usar uma rasteirinha. Eu não queria casar de véu, porque achei que seria desconfortável por conta do vento forte da praia. Eu quase abri mão da cauda também porque eu achei que daria trabalho para me movimentar, mas a Danielle Benício, a estilista do meu vestido, me fez mudar de ideia. Sem dúvida a cauda deixa o vestido muito mais “poderoso”, sabe? As fotos do vestido com a cauda ficaram lindas. Eu pedi para a Dani não deixar a cauda muito longa e mesmo assim já dá para notar a diferença que faz. A Dani fez um suporte bem discreto na parte de trás do vestido para amarrar a cauda depois da cerimônia, então eu fiquei bem confortável a festa toda.

A Danielle Benício faz sob medida, mas ela sempre tem alguns vestidos de noiva prontos no ateliê dela para mostrar tecido, caimento, etc. Eu simplesmente me apaixonei pelo primeiro vestido que eu provei, então ela nem precisou fazer um croqui. Era um vestido da última coleção dela. 

Antes de ir no ateliê da Danielle Benício, eu olhei vestidos em algumas lojas recomendadas por amigas que já tinham casado. Confesso que eu me senti mais à vontade na minha visita ao ateliê da Dani porque eu sabia muito bem o que eu estava buscando e, ao contrário das outras lojas, lá não pareceu que o meu gosto tinha que se encaixar nos modelos disponíveis. Além disso, eu pensava em alugar porque eu achava que não valia a pena comprar um vestido, principalmente se fosse para usar apenas uma vez. No ateliê da Dani eu mudei de opinião e eu não me arrependo de ter comprado porque:

  • ⇒ é um vestido que com certeza eu usaria de novo, fazendo ou não ajustes depois da festa;
  • ⇒ eu não tive nenhuma restrição dos ajustes que eu queria fazer porque o vestido não seria reaproveitado por outra pessoa;
  • ⇒ apesar de não ser barato, o custo x benefício era muito bom quando comparado com os outros vestidos que eu tinha visto e que eu não tinha gostado tanto;
  • ⇒ eu não deixei de aproveitar a festa ao máximo por medo de estragar o vestido (eu judiei muito do vestido, apesar dele ainda estar inteiro);
  • ⇒ eu não passei estresse com a logística de mandar o vestido para lavar e entregá-lo no loja, na véspera da minha lua de mel.

Eu acabei nem ajustando o vestido depois porque eu realmente tenho planos em usá-lo no futuro do jeitinho que eu comprei. 

 

 

 

Acessórios:

 

Jóias: Usei um brinco da Vivara que foi um presente que o meu marido me deu, durante os preparativos do casamento.

Acessório do cabelo: Foi indicação da Danielle Benício. Durante a segunda prova do vestido, ela me perguntou se eu já tinha acessório. Eu disse que não, mas que eu procurava alguma coisa para usar no cabelo sem muito brilho. A Dani ligou no ateliê do Miguel Alcade, e pediu para trazerem acessórios assim e assado. Na hora que colocaram a flor no meu cabelo, ficou maravilhoso! Comprei na hora. Eu tinha feito prova de cabelo antes, mas mudei o penteado só por causa do acessório.

Sapato: Comprei uma rasteirinha da Constance e a Danielle Benício fez uma aplicação de renda e pontos de luz. Ficou muito linda! 

Buquê: Eu queria um buquê bem colorido, com cores quentes, com mais ou menos 20-25cm de diâmetro. Eu escolhi o buquê com base em referências que Rodrigo Barbosa, o decorador, me mostrou próximo ao dia do casamento.

Alianças: Eu e meu marido escolhemos uma aliança da Hstern bem fora do ouro amarelo tradicional. Escolhemos uma aliança em ouro branco com acabamento fosco e “amassadinho”.

 

 

Roupa do noivo:

 

O Alysson fez surpresa para mim quanto a roupa que ele ia usar. Um dos padrinhos o ajudou com a escolha. Meu marido casou com um terno azul-esverdeado da Ricardo Almeida com uma camisa de linho branca. Ele usou terno completo, sem gravata, com um sapato smart casual da Brooksfield. Eu adorei! Assim como eu, ele decidiu comprar ao invés de alugar o terno.

 

 

Cerimônia:

 

Nosso celebrante foi o Fernando Peron. O Peron é, na verdade, um empresário que mora em Maceió. Ele foi recomendado pela equipe da Mama Omena Eventos depois que eu e o meu marido falamos que nós estávamos buscando alguém que fizesse uma cerimônia leve, muito divertida e nada tradicional. O Peron é acostumado a dar palestras, e apesar de ter sido a primeira vez dele celebrando um casamento, ele fez exatamente do jeito que nós queríamos.

A cerimônia e a festa foram no Paru Boutique Hotel. Dou mais detalhes sobre isso mais adiante.

 

 

Música da cerimônia:

 

Contratamos o coral da Camerata ARS Nova para cerimônia, sem vocal e com sete instrumentos. As músicas eram mais modernas e, como eu mencionei antes, meu marido escolheu todas. 

O mais próximo de clássico que teve foi um pedacinho do início da marcha nupcial logo antes da minha entrada. Decidimos fazer assim por recomendação do maestro e, apesar de ter descartado completamente a marcha nupcial inicialmente, eu acho que ficou bem legal.

 

 

Padrinhos e madrinhas:

 

13 padrinhos no total. 6 mulheres e 7 homens. Sem dress code para das mulheres, mas todas usaram um mini arranjo de flores, parecido com o da lapela dos homens, no cabelo. Os homens usaram calça bege com camisa branca de linho sem gravata e sapato smart casual.

 

 

Damas e pajens:

 

Não teviveram damas e pajens. O mais próximo disso foi a entrada das alianças com o meu irmão (13 anos) levando o nosso primeiro sobrinho (6 meses) no colo. Eles usaram uma roupa parecida com a dos padrinhos, apesar de não termos dado orientações sobre o dress code.

 

 

Local da festa:

 

Nós queríamos muito casar em alguma praia no Nordeste, pois apesar de hoje morarmos em São Paulo, ambos nascemos no Nordeste (ele em Fortaleza-CE e eu Imperatriz-MA) e queríamos uma festa mais informal. Uma vez que eu e o meu marido decidimos que iríamos casar em São Miguel dos Milagres, nós visitamos a cidade em um fim de semana para conhecer os possíveis lugares para festa. Essa foi a nossa primeira vez em Milagres.

A equipe da Mama Omena Eventos fez um roteiro de pousadas e locais de festa e nos acompanhou em cada um deles. Descartamos a Capela dos Milagres já de cara porque nós não somos religiosos. O Paru Boutique Hotel foi a última pousada que nós visitamos no sábado, mas já estava escuro quando chegamos lá. Marcamos de almoçar no Paru Boutique Hotel no dia seguinte para discutirmos, junto com equipe da Mama Omena Eventos, as nossas impressões dos lugares que nós tínhamos visitado. Quando vimos o Paru Boutique Hotel ainda estando claro, nos apaixonamos pelo lugar. Ele tinha uma vista muito generosa do mar maravilhoso de Milagres, tinha uma decoração impecável, era espaçoso e arejado com vários coqueiros. Ficamos tão maravilhados com o lugar que o racional para a escolha da data do nosso casamento foi tão simples quanto: queremos nos casar em março, então qual é a disponibilidade de vocês em março? O critério de desempate foi escolher o final de semana que tinha lua cheia. O céu estava maravilhoso no dia da festa!

 

 

Decoração:

 

Para o casamento, queríamos algo mais rústico, com suculentas, flores secas e cores bem vivas. Nada do tradicional verde-branco dos casamentos. Passamos para o Rodrigo Barbosa o Instagram @eucca como inspiração, mas frizamos que queríamos cores mais quentes. Nós demos o direcionamento de coisas diferentes que nós queríamos no casamento (como estação de foto polaroid, estação de retoque de cabelo e maquiagem, espaço kids, barca de água de coco e florzinhas para decorar o coco, chapelaria) e ele fez o projeto de acordo. Deixamos muita coisa na mão dele, mas ele de vez em quando pedia a nossa opinião sobre algum detalhe, como o formato do arranjo do altar da cerimônia. A iluminação da Interluz valorizou bastante o local e a decoração à noite. 

 

 

Bolos e doces:

 

Eu confesso que eu cheguei a cogitar em não ter bolo na festa porque isso nunca tinha me chamado a atenção em casamentos. Durante os preparativos do casamento, eu vi um bolo feito de bolo de rolo MARAVILHOSO decorado com flores de açúcar da Delices Gourmet. Mesmo gostando muito de bolo de rolo, nós fizemos a degustação só para confirmar que ele era muito gostoso e doce da medida certa. Eu passei uma referência de arranjo para a Mirela da Delices Gourmet para as flores de açúcar e o resultado ficou muito lindo. Ela também nos orientou sobre quantidade e tamanho das camadas e os possíveis layouts. Acabou sobrando bolo mas, como dá para congelar o bolo de rolo para comer depois, ele não foi desperdiçado.

A maioria dos doces foram da Lucinha Cascão, pois apenas o doce de tapioca foi da Rosa Alice. Não tinha opção de chocolate porque eles derretem no calor de Milagres. Nós queríamos doces com uma pegada mais regional, mas que incluísse opções mais amargas / menos doces.

Os bem casados eram mini bolo de rolo cobertos com renda de açúcar, da Delices Gourmet, nos sabores doce de leite e brigadeiro. A Délices Gourmet finalizou a apresentação com sisal e sempre-viva bege.

 

 

Buffet:

 

Como eu e meu marido nascemos no Nordeste, fizemos questão que a comida, além de muito boa, fosse bem regional ou remetesse muito a praia. Nós contratamos o melhor buffet para isso: WGourmet, do chef Wanderson Medeiros! O ponto forte dele é comida regional. Além da comida ser maravilhosa, a apresentação dos pratos e o serviço eram impecáveis. O buffet era servido em ilhas gastronômicas e buffet volante. Também tiveram snacks antes do início da cerimônia e lanche da madrugada.

O menu incluía pratos como caldinho de Sururu (peixe típico do Alagoas), peixe com frutos do mar e azeite trufado em papillote, moqueca, baião de dois, carne de sol com queijo coalho, casquinha de siri com farofa de manteiga de garrafa, entre outros. Sobremesa foi cubos de queijo coalho com doce de caju e goiabada cascão. No menu do lanchinho da madrugada incluía tapioquinhas recheadas, rapadura e café.

Depois da sessão de fotos após a cerimônia e antes da entrada dos noivos, o pessoal do buffet nos serviu todos os itens do menu. Eu acho que isso fez muita diferença porque depois disso eu comi pouquíssimo. 

O bar era do WBar. Apesar de ser do mesmo dono, o bar é um serviço separado do buffet. O menu de drinks incluía caipiroskas com frutas tradicionais e regionais (caju e siriguela), seleção de gin & tônica, moscou mule, aperol spritz e uma adaptação do Jorge Amado (um drink de Paraty-RJ, a base de cachaça de cravo e canela, que eu e meu marido ADORAMOS). O bar também fazia esses drinks na versão sem álcool. O móvel usado pelo bar era do acervo do WBar.

Nós mandamos fazer algumas tags com frases para colocar no copo dos drinks. A maioria das frases eram engraçadas com uma pegada nordestina.

Além do bar, também tinha uma barca de água de coco. O menu de bebidas incluía espumante rosé, espumante branco, vinho tinto, whiskey, vodka, energético, refrigerante, suco e água com e sem gás.

 

 

Música da festa:

 

Nós abrimos mão da tradicional dança dos noivos e decidimos abrir a pista contando uma versão da música “Eu não quero dinheiro” do Tim Maia remixada pelo DJ Gunnga. Deu um friozinho na barriga na hora, mas ficou bem legal e os convidados interagiram bastante.

O DJ Gunnga arrasou no repertório até a entrada da Fernanda Guimarães, uma banda maravilhosa de samba-rock. A Fernanda tem muita presença de palco e animou muito a galera. Eu e o Alysson até nos empolgamos em alguns momentos e cantamos juntos com ela no palco.

Depois da Fernanda, tivemos o Sax and Sounds, que é uma apresentação com DJ, saxofone e violino. Nós fechamos um pacote que incluía Sax and Sounds com dançarinos, pistolas de gás carbônico e tambores. Foi muito animado.

Por fim, fechamos a noite com o DJ Gunnga que animou a festa até o amanhecer.

Tinha música na festa desde a entrada dos convidados até a saída do último convidado e eu acho que isso fez toda a diferença.

 

 

Registros:

 

Contratamos apenas fotógrafos e esse foi um dos profissionais que eu passei mais tempo pesquisando. Eu adoro guardar foto como recordação, então eu fui muito exigente com isso. Olhei bastante fotos em sites e no Instagram e achamos o trabalho do Tadeu Nano muito promissor. Decidi entrar em contato. 

O Tadeu me explicou tudinho com a maior paciência do mundo. A minha primeira impressão dele já foi ótima, mas o “é esse” veio quando ele me mandou o link com todas as fotos de alguns casamentos que ele e a Luca Antunes tinham fotografado. Quando você olha o Instagram ou site de um fotógrafo, é de se esperar que ele escolha as melhores fotos dado que esse vai ser o cartão de visita dele. Mas quando você olha TODAS as fotos do casamento e você gosta de TODAS as fotos, esse cara ganha o meu respeito. Na semana do casamento, nós conhecemos a Luca Antunes, esposa dele. O Tadeu e a Luca são muito profissionais, guerreiros e divertidos. Eles aguentaram três dias seguidos de comemorações, eles sustentaram até 5:00 no casamento e tiraram fotos maravilhosas no nascer o Sol. 

Desconsiderando o momento das fotos protocolares que são tiradas logo após a cerimônia, nós aproveitamos a festa normalmente e nem senti que estava sendo fotografada. Sempre que eu queria tirar uma foto no meio da festa, um dos dois sempre estava perto de mim.

Não contratamos foto de cabine, mas nós tivemos um mural de Polaroid. Neles os convidados podiam tirar foto com uma instax mini, escrever um recadinho na foto e colocar em um mural para os noivos guardarem de recordação. Na hora de estimar a quantidade de filmes que iríamos comprar, nós consideramos que alguns convidados iriam querer levar foto como recordação também.

A nossa hashtag foi #manuealyemmilagres.

 

Convidados:

 

Fizemos uma festa para 100 convidados e a quantidade real de convidados ficou bem próxima disso. Fizemos uma lista inicial de mais ou menos 250 pessoas pois sabíamos que nem todo mundo conseguiria ir para Milagres. 100 em 250 pessoas pessoas parece uma conversão baixa, mas estava dentro do esperado porque desde o início nós mapeamos a probabilidade de cada um comparecer e ficamos acompanhando as pessoas que já tinham confirmado se iriam ou não à festa. Ter um RSVP ativo ajuda bastante nisso, pois poucos convidados confirmam presença no site. O nosso buffet era bem flexível quanto ao ajuste da quantidade de convidados, desde de que fosse avisado com certa antecedência. Então acho que vale checar essa flexibilidade com os fornecedores, se você não tem muita segurança sobre a quantidade de convidados que vão confirmar presença.

A lista de convidados foi com certeza a parte mais difícil de todos os preparativos, desde definir a quantidade de pessoas até decidir quem convidar. Eu sei que é difícil deixar de chamar algumas pessoas, mas convidem quem vocês realmente gostariam que fossem. Não se prendam a obrigações nem formalidades. Particularmente, eu gostei de fazer uma festa menor porque assim deu para interagir com todos os convidados sem precisar ir de mesa em mesa e ainda aproveitar bastante a festa.

 

 

 

Lua-de-mel:

 

Eu sempre faço o planejamento das nossas viagens, mas considerei em contratar uma agência de viagens personalizada para nos ajudar com o planejamento da lua de mel, por conta da correria do trabalho e dos preparativos do casamento. Até conversamos com algumas agências, mas no final eu acabei preferindo fazer isso por conta própria. Deu trabalho, mas eu gostei bastante do resultado final.

Acho que vale ressaltar que eu sou acostumada a planejar viagens e que eu tive que resolver muita coisa em inglês (por e-mail e telefone). Se você não se sente à vontade, acho que vale investir em uma agência.

Nós ficamos 6 noites nas Maldivas, em 2 resorts do Four Seasons, e 3 noites no Al Maha no deserto de Dubai. O plano inicial era ficar apenas 1 noite no Al Maha e 2 noites em Palm Jumeirah em Dubai, mas mudamos o plano na hora porque tudo em Dubai estava fechado, por conta da pandemia da COVID-19, quando nós chegamos lá.

Confesso que eu não estava muito animada com Dubai inicialmente, mas depois que eu comecei a pesquisar, vi que tem várias coisas legais para fazer. Uma das que eu estava mais animada para fazer era o passeio de balão no deserto durante nascer do Sol, mas infelizmente ele foi cancelado. Com certeza voltarei a Dubai para fazer tudo o que tinha sido planejado inicialmente.

Maldivas dispensa comentários. É um destino caro, mas compensa cada centavo investido. Ficamos 3 noites em um bangalô na praia e as outras três em um bangalô sobre o mar. Se você tem tempo  para mudar de quarto, acho que vale ter uma experiência em ambos. Se você não tem tempo, sem dúvidas vale a pena escolher um bangalô sobre o mar.

 

 

Dicas de lua-de mel + novo apartamento:

 

Novo apartamento: Nós moramos juntos antes de casar por um ano e continuamos morando no mesmo lugar. Aliás, tem uma apartamento prontinho para morar antes da festa de casamento foi ótimo porque eu acho que mobiliar / arrumar um apartamento logo depois de um investimento financeiro no casamento e na lua de mel fica bem pesado. Além disso, nós já estávamos acostumados com as nossas manias quando voltamos da lua de mel, então foi tranquilo morar junto, mesmo de quarentena em casa, hahah.

Lua de mel: A festa de casamento foi no sábado e só voltamos para São Paulo no domingo à noite. Como o vôo disponível para Maldivas era por volta de 2h da manhã, decidimos viajar só na terça. No final, isso foi ótimo pois deu tempo de arrumarmos a mala da lua de mel com calma e resolver algumas coisa para viajar tranquilos. A semana anterior ao casamento foi bem corrida e não deu tempo de fazer isso antes do casamento.

Organização de casamento: Vale investir em um site com informações úteis para os convidados. Sendo bem honesta, mesmo informando o site no convite, muitos convidados me procuravam com dúvidas. O site ajudou porque, ao invés de explicar tudo de novo, eu simplesmente passava o link de onde isso estava no site. Quando aparecia uma dúvida nova, eu atualizava o site com mais informações.

Se você vai fechar um hotel/resort para fazer uma festa, você tem que fechar todas as diárias e gerenciar quem são os hospedes. No meu caso, eu fiz isso para dois hotéis: um do casamento e outro da festa de boas vindas. Você pode contratar uma agência para te ajudar, mas eu decidi organizar isso por conta própria. Coloquei no site as informações do valor da diária e o link de um Google Sheets com a lista dos hóspedes confirmados e o status do pagamento das diárias. Eu inclusive dei a opção para o convidado pagar as diárias direto pelo site. Na véspera do casamento, eu só precisei compartilhar o link do Google Sheets com o pessoal do hotel.

 

 

Presentes:

 

Como nós já morávamos junto, o nosso apartamento estava bem completo. Então, decidimos fazer uma lista virtual de presentes com a temática da nossa lua de mel. Alguns poucos convidados até pediram o nosso endereço para mandar um presente físico, mas até hoje ninguém mandou nada. Todo mundo preferiu comprar presente virtual.

Como ir para São Miguel dos Milagres envolve um investimento alto para nos prestigiar, tanto financeiro quanto de tempo dedicado para se planejar, nós deixamos bem claro no site que não fazíamos questão do presente, mas se o convidado quisesse nos presentear mesmo assim, colocamos algumas opções de cotas (acho que foram 12) com valores diferentes. 

 

 

Ficha técnica:

♦︎ Local: Paru Boutique Hotel

♦︎ Assessoria e cerimonial: Mamá Omena Eventos     

Celebrante: Fernando Peron

♦︎ Música da cerimônia: Camerata Ars Nova    

♦︎ Fotografia: Luca Antunes    

♦︎ Fotografia: Tadeu Nanó   

♦︎ Decoração: Rodrigo Barbosa

Toldo: Conexao Locação e Eventos

Florista: Rodrigo Barbosa

♦︎ Mobiliário: Locatto Móveis

♦︎ Iluminação: Interluz Iluminação

♦︎ Som, luz e imagem: Datta Eventos

Música da Festa: DJ Gunnga

♦︎ Atração: Sax And Sounds   

Música da Festa: Fernanda Guimarães

♦︎ Buffet: Buffet WGourmet

♦︎ Open bar: W.Bar de Eventos

Barca de coco: PV do Coco

♦︎ Bolo: Délices Gourmet    

Doces: Rosa Alice

Bem-casados: Delices Gourmet

♦︎ Doces: Marly e Lucinha Cascão      

♦︎ Vestido: Danielle Benício

 Cabelo e Maquiagem: Erivelton Ferreira

♦︎ Grinalda: Miguel Alcade    

♦︎ Alianças: H.Stern

♦︎ Acessórios: Vivara

Buquê: Rodrigo Barbosa

♦︎ Terno do noivo: Ricardo Almeida

♦︎ Papelaria: Convites Papel e Estilo

♦︎ Recreação: Alegrô Festas

♦︎ Limpeza: Clean Party

Manobra e Segurança: Fabio Seguranças

 

 

Cadastre-se para receber nossas matérias no seu email.

NEWSLETTER-POST-3-3-750x125

 

 

Leia mais:

A mesa de doces no casamento: tudo o que você precisa saber

Decoração de casamento: dicas para começar a escolher a sua

Casamento Tainã e Hugo no Itapororoca Villa, Trancoso

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixar um comentário