Larissa e Jorge Ribas

Assista neste CaseMe TV a visão de Larissa e Jorge Ribas, do Ribas Foto e Vídeo, a respeito da vantagem de explorar 2 olhares complementares na fotografia de casamento.

 

 

Dois olhares, dois ângulos, duas histórias

 

Dois olhares não significa ter 2 fotógrafos somando um número de fotos no casamento. E sim 2 abordagens complementares, para que se tenha nuances diferentes sobre o mesmo assunto.

 

No caso de Jorge e Larissa, que já fotografam juntos há mais de 10 anos, a movimentação em relação aos assuntos é de pura sintonia. O trabalho se complementa porque eles estão super afinados e sabem o que cada um vai fazer em termos de ângulos, conceito e luz.

 

Eles ressaltam a vantagem de ter câmeras com setagens e lentes diferentes para um resultado não linear. Assim as nuances de cor, luz e sombra, serão explorados de diversas maneiras, mesmo com as mesmas cenas e iluminação ambiente.

 

O processo de criação passa por entender que em um momento um fotografo está dirigindo a cena, buscando uma abordagem tradicional, enquanto o outro está livre para explorar fotos conceituais.

 

É uma tarefa muito difícil escolher entre um fotógrafo tradicional e um fotógrafo com uma linguagem própria. Escolhendo o tradicional bate a insegurança de não ter emoção, expressão nas fotos. E escolhendo um fotógrafo mais autoral corre-se o risco de faltar registros de momentos icônicos do casamento. Por isso os olhares complementares na fotografia de casamento são tão importantes: você não precisa escolher!

 

Você conhece o nosso canal no Youtube? Inscreva-se!
Acompanhe o CaseMe TV com dicas direto de quem entende do assunto!
 

 

 

Leia mais:

O que esperar do seu filme de casamento?

Daniel Cruz: dicas para a reunião com decorador

Lua de Mel em Portugal – Alentejo

Deixar um comentário